Fórum do Búfalo

Versão Completa: Pq o feminazismo é tão mais forte no ocidente e quase inexistente no resto do mundo?
Esta é uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Na minha opinião, se a mulher como indivíduo quiser ser "carreirista", deve ser direito dela. Se ela quiser uma vida mais tradicional, idem. As leis não devem fazer diferenciação por gênero, raça, credo, nacionalidade e etc salve com raríssimas exceções(eg - Exigir cidadão nato pra Presidente)

Quando eu falo feminazismo, eu não falo em igualdade perante a lei entre os gêneros e só. Eu falo no feminazismo que vemos por ai, que prega que o homem é violentador em potencial responsável por tudo de ruim do mundo. Em que um homem que teve o pênis mutilado é humilhado em rede nacional e não da nada pra mulher enquanto passam-se leis criminalizando deixar mulheres tristes. Onde existem trocentos programas de crédito e cotas para mulheres nos mais diversos países e mesmo com ter todos os privilégios e direitos que quiseram, elas ainda se veem como oprimidas. Não basta a mulher ter mais privilégio legal que qualquer aristocracia na história da humanidade, o movimento feminazi sempre quer mais.

Minha especulação. Por região :

Leste da Europa :

No vídeo abaixo(com legenda em ENG) pode se ver entrevistas com o pessoal de rua na Ucrânia a respeito do tema. Apenas duas pessoas apoiaram o discurso feminazi de pseudo igualdade. Ambos homens. As mulheres lá parecem odiar tal movimento. No Leste da Europa, os comuna levaram igualdade a sério. Forçaram mulheres a ir na linha de frente, a ir pra minas de carvão e etc. Quando o comunismo colapsou(algo inevitável segundo Mises), a mulher passou a ter acesso aos bens do capitalismo e ela no geral não quer saber de movimentos coletivistas estúpidos. Ela no geral, quer é acesso ao conforto e prosperidade que só o capitalismo pode proporcionar.

Mostrar Conteúdo

A Russia, apesar da mídia mentir que descriminalizou violência doméstica, apenas a equiparou a agressão de Rua e estabeleceu critérios objetivos pra punir alguém, sem ser apenas uma mera denúncia. Vídeo em inglês abaixo.

Mostrar Conteúdo

Oriente Médio :

O Islã Reina lá. O cristianismo também é uma religião patriarcal, porém, o Cristianismo ocidental é bem mais secularizado. O que tem seu lado bom, e lado ruim. Sob o Islã, paeis de gênero são bem definidos e muitos países que de fato oprimem a mulher são muçulmanos.

África :

O feminazismo só existe nas partes mais ocidentalizadas da África como a África do Sul. A grande maioria dos países Africanos ainda são bem patriarcais.

Ásia :

Na Ásia também. Tirando nos países mais ocidentalizados como a Coreia do Sul, o feminazismo praticamente não existe. Na Coreia do Sul, existem cotas para mulheres em empresas, doze universidades só para mulheres e um monte de lei insana estilo ocidental, porém culturalmente a população abomina o femilixo. O feminazismo só é forte lá por causa de investidor ativista financiando este lixo.

Em Singapura, o feminazismo também não é muito forte. Na Tailândia, idem. Na China, mulheres nem podem fazer parte do partido comunista. O feminazismo é extremamente fraco no geral na Ásia também.

Agora no Ocidente :

Tirando um ou outro lugar bem conservador, tipo no Interior do Alaska ou em Liechtenstein, o feminazismo é bem forte e quanto mais infectado pelo marxismo da escola de frankfurt, mais feminazi o país é. Por eg, o Paraguai é bem menos feminazi que o Bostil. Nos EUA, O interior do Alaska é bem menos infectado que a Commiefornia. Dito isto, creio que o feminazismo foi uma tentativa da escola de Frankfurt de subverter e destruir a cultura da sociedade. Para quem não sabe, os teóricos de tal escola chegaram a conclusão de que uma rev comunista no ocidente seria impossível dado o fato de que o trabalhador médio era individualista demais, pensava no melhor pra si e pra própria família e não na "classe trabalhadora", então bolaram o plano de ficar dividindo a sociedade em grupos raciais, religiosos e etc a fim de gradativamente deixar a sociedade mais marxista.

Como a influência deles é muito maior no ocidente, os lugares mais influenciados por eles acabam sendo os mais feminazis.

DISCLAIMER : Eu sei que pra uns não se deve sequer falar de coisas culturais, deve se focar só em desenvolvimento pessoal, mas ta ai uma reflexão pros interessados. Deixe quem quiser tal reflexão e discussão que participe. Eu odeio futebol, mas vc não me vê reclamando de quem quer discutir isto.
Thanatos, aprende, cara. A gente tem que preocupar com nós e com nossa tribo somente. O resto do mundo que se lasque.
Cara, vamos ser sinceros, o povão sabe que esses movimentos são nocivos e geraram mais confusão e ressentimento do que resolveram os problemas práticos da vida humana. Agora, quem quiser estudar sobre financiamentos desses movimentos, quem os comanda e as agendas ocultas, vai fundo! Eu não sou fiscal das práticas alheias, só que eu não tenho mais saco, e nem tempo para isso.

Mas é bem fácil:

Em tese cara, é a secularização do Cristianismo Ocidental , que de forma geral teve que se preocupar e se adequar a demandas modernas e inserir em suas pautas novos aparatos como: justiça social, distribuição de renda, racismo, igualdade de gêneros, etc.

O Ocidente como 'bastião de liberdade' ainda possui certa liberdade de transito de informação se deixa influenciar com mais facilidade, absorvendo outras vertentes com mais facilidade, portanto vai tratar o feminazismo com benevolência, sempre vai existir gente que vai enxergar o feminazismo como uma 'agenda positiva' e que deve ser discutido e se possível integrado como política pública interferindo na vida das pessoas.

Já no Oriente Médio, no Sudeste da Ásia, a pegada é na base da porrada, pois eles entendem que isto atravessa valores, crenças e princípios de tempos imemoriais.
Thanatos, creio que consigo contribuir para a discussão de uma forma simples. É interessante o silogismo que vc a respeito dessa questão, mas vamos lá.

A coisa começa na cultura. Se observar bem, vai ver que a resposta para a questão está no que vc próprio escreveu. Vc precisou citar vários países para construir a sua argumentação.

Vc ta comparando democracias ocidentais, acostumadas com eleições presidenciais, com tradições de povos milenares e tribalistas, como africanos, chineses, russos e ucranianos. Procure sobre a história da cidade de Kiev. Quando ela surgiu, o Brasil ainda estava a centenas e centenas de anos antes de ser colonizada pelos europeus. Se fossemos falar então sobre as dinastias chinesas, seria mt "pano para manga"

Entenda uma coisa: a cultura sulamericana e caribenha são similares. Povo servil, sacana uns com os outros, individualistas e mesquinhos. E ainda possuem a cara de pau de sair falando que "americanos são frio", "francês é mal educado", "alemão faz tudo certo".

Por fim, não é a cultura marxista que molda o povo. É o povo que modela essas porcarias a seu favor, em função da cultura. Marxismo europeu é uma coisa, americano é outro e o tupiniquim é outra mais diferente ainda.
é tudo um jogo politico de dividir a sociedade pra destruir a depois reconstruir