Fórum do Búfalo

Versão Completa: A Real e o Perdão...
Esta é uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Páginas: 1 2 3 4 5
Este é um tópico que há tempos já pensava em fazê-lo. Ficou um pouco grande, mas espero que gostem.

É claro que muitos aqui já são meio que “auto-didatas” no Estudo da Real. Ou conheceram a Real por intermédio de amigos ou outras situações. Mas fato é, que muitos de nós conhecemos a Real e chegamos aqui, no pior estado emocional possível. Nos sentimos enganados, iludidos, frustrados, cheios de ódio, raiva, vingança, ao descobrirmos a verdade. Todos fomos machucados na vida. Todos fomos rejeitados por uma namorada, traídos por um amigo, passados para trás numa promoção, rejeitados pelos pais, ou vitimas de preconceito.

E acho que é natural sentir este tipo de coisa. É claro que com o tempo, a tendência é com os ensinamentos da Real, ir se desapegando e seguindo sua vida, se desenvolvendo, evoluindo, deixando estes sentimentos pra trás.

Mas muitos ainda, por mais que não digam ou que não afirmem isso (nem pra eles mesmos), bem lá no fundo, ficam presos ao sentimento de revanchismo, vingança a quem os iludiu, enganou, traiu. Seja quem for, uma namorada, um amigo, um parente, a maioria de nós acredita que as pessoas que nos feriram devem pagar pela dor que nos causaram; afinal, elas merecem ser castigadas, mesmo que inconscientemente ("nada como um dia atrás do outro" ou "um dia a pessoa vai ver o que perdeu").

A Real e o perdão... e digo: perdoe! Não se trata de esquecer a maldade alheia ou minimizar o próprio sofrimento. Para ser capaz de um perdão verdadeiro e sadio basta entender que ele traz muito mais benefícios do que o rancor.

Infelizmente, o conceito de perdão de cada um pode limitar ou dificultar a capacidade de perdoar. Dizem que perdoar é coisa de gente fraca, medrosa, sem auto estima. Possuímos crenças negativas de que perdoar é aceitar de forma passiva tudo o que nos fizeram. Achamos que perdoar é aceitar agressões, desrespeito aos nossos direitos. Muitos afirmam: "eu não levo desaforo para casa!..." ou tipo “Que se foda, eu sou assim!” Pergunto: Somos alguns destes? Um GDR age assim? Será que a pessoa que perdoa demonstra fraqueza de caráter? NÃO, NÃO E NÃO!

Falemos então sobre algo que invariavelmente discutimos, a todo momento: relacionamentos.
Muitos dizem: "Ah, eu me estrepei com aquela mulher". É claro! E não foi por causa do feminazismo, do marxismo cultural (Tudo bem, em alguns casos sim! trollface) Sabem porquê ? Porque se iludiram, pensaram que ela seria perfeita o tempo todo. Culpa tbm da Matrix, mas tbm porque provavelmente, notaram muitas virtudes e aí passaram a imaginar que aquela pessoa era um "anjo caído do céu", mas quando esta mostrou os seus defeitos, veio a desilusão, o engano, a decepção. Aí, muitos dizem que não conseguem perdoar porque estão muito magoados. Porém, o problema não está no outro, pois era previsível que por mais especial que esta pessoa fosse (por favor não me joguem pedras por falar isso trollface), um dia acabaria agindo de forma diferente daquela que esperávamos. O erro está em nós, que não aceitamos as pessoas como elas são. Ainda mais nos dias de hoje, onde pode tudo!

Pergunto: Será que estamos aceitando as pessoas como elas são? Será que não estamos esperando muito dos outros? Mulheres, familiares, chefes, amigos? Será que estamos esperando lidar com mulheres, seres angelicais ? Sabemos que de angelicais elas não tem nada. Amigos, Sem Aceitação, Não há Perdão!

Um outro motivo para esquecermos as ofensas está na constatação de que o perdão traz um grande alívio para quem perdoa. Não é para quem é perdoado. Muitas vezes quem é perdoado não consegue se livrar da sua consciência, mas este também precisa aprender a se perdoar e a recomeçar novamente. O autoperdão também é importante. Para que reconhecendo os nossos erros encontremos forças para reformular nossas atitudes e começar uma nova vida.

Considerando a própria fragilidade, o indivíduo deve conceder-se a oportunidade de reparar os males praticados, reabilitando-se perante si mesmo e perante aqueles a quem haja prejudicado. O arrependimento, puro e simples, se não acompanhado da ação reparadora, é tão inócuo e prejudicial quanto a falta dele.

Um Guerreiro da Real perdoa a si mesmo pelos erros cometidos no passado e não fica se martirizando por isso. O autoperdão ajuda o amadurecimento moral, emocional, porque propicia clara visão responsabilidade, levando o indivíduo a cuidadosas reflexões, antes de tomar atitudes agressivas ou negligentes, precipitadas ou contraditórias no futuro.

Quando alguém se perdoa, aprende também a desculpar, oferecendo a mesma oportunidade ao seu próximo.

"O PERDÃO É SEMPRE PARA QUEM PERDOA".

Não nos contaminemos pela raiva, pela cólera e pela mágoa. Vivamos em paz e com a nossa consciência tranqüila pronta para merecer o perdão das pessoas que prejudicamos com os nossos atos, palavras e pensamentos, pois somente será perdoado aquele que perdoa. Essa é a lei.

O que quero dizer não tem ligação direta com religião ou qualquer seita ou culto. É mais do que isso. O perdão sob a ótica da Real, ele te ajuda no desapego e te faz andar pra frente, sem que mais nada te prenda ao passado.

Quando digo perdoar a pessoa que te prejudicou, não quero aqui dizer que as coisas vão ser igual ao que era antes, que você vai ter que conviver com a pessoa, ou se relacionar com ela. Não, não e não. Você apenas aceita que a pessoa agiu daquela forma e que ela é assim e de certa forma você se protege e começa a andar pra frente rumo ao seu desenvolvimento.

Quando perdoamos as pessoas que nos machucaram, não estamos dizendo que o que foi feito contra nós não teve importância ("não foi nada") ou não deixou marcas profundas (aquelas a ferro e fogo). Essas perdas foram terríveis e fizeram grande diferença em nossa vida, mas nos ensinaram muitas coisas: tanto a não nos tornarmos vítimas novamente, como não fazermos o mesmo para terceiros e o principal, traz pra nós o aprendizado.

PERDOAR NÃO É ESQUECER. É LEMBRAR SEM SENTIR DOR. É NÃO LEVAR EM CONTA.

Um Guerreiro da Real perdoa. Portanto, seja o que for e a quem for.
O perdão beneficia aquele que perdoa, por propiciar-lhe paz espiritual, equilíbrio emocional e lucidez mental na busca pelo desenvolvimento intelectual, físico, financeiro e emocional que se busca no Estudo da Real.

Acredito que muitos têm alguma dificuldade ou são reticentes quanto ao usar o perdão.
Não perdoar nos dá a ilusão de força, de poder ("agora eu controlo", “eu conheço a Real”). Não perdoar ajuda a compensar a sensação de falta de poder que nós sentimos quando fomos machucados.

De fato, se trancarmos na prisão de nossa mente essas pessoas que nos prejudicaram, vamos nos sentir onipotentes ("agora é minha vez") pela força do nosso ódio silencioso. Isso não é bom.

E, por último, não perdoar nos dá a ilusão de que não seremos machucados outra vez. Mantendo a dor viva, os olhos bem abertos para qualquer perigo em potencial, reduzimos o risco de voltamos a sofrer rejeição, traição ou qualquer outra forma de ferimento.

Mas será que os benefícios (iludidos) de não perdoar valem o preço que pagamos por armazenar essas mágoas, remoer esses sentimentos e nos agarrarmos com unhas e dentes à dor do passado? Será que vale a pena continuarmos alimentando a raiva, revidando com palavras ou com silêncio e assim nunca sentirmos o verdadeiro prazer de viver? Claro que não! É o que a Real prega, desapegue-se do passado e seja uma pessoa melhor pra você mesmo!!

O perdão se torna uma possibilidade quando a dor do passado pára de reger nossas vidas; quando não precisarmos mais do ódio e do ressentimento como desculpas para obter menos da vida, do que queremos ou merecemos. Perdoar é chegar à conclusão de que já odiamos bastante e não queremos odiar mais; portanto, perdoar é usar a energia da vida, não para reprimir esses sentimentos, mas para quebrar o ciclo da dor se voltando para o futuro e não machucando outras pessoas como fomos machucados.

Há quem diga que perdoar é escolher entre se vingar e se aproximar, entre ser vítima ou sobrevivente. Na realidade, perdoar é um processo que vem de dentro. É uma libertação. Uma aceitação. Perdoar é aceitar que a coisas ruins podem e de fato acontecerem na vida das pessoas, e que as pessoas mesmo quando se envolvem, machucam e se machucam. Perdoar é um sentimento de bem-estar, é reconhecer que existe algo melhor que queremos fazer com a energia da vida e fazê-lo.

E creio que todos nós aqui somo sobreviventes rumo a um futuro de muitas batalhas, na busca se sermos melhores homens, melhores pessoas, enfim melhores seres humanos!
E tenho dito!!Fuckyeah
Sensacional!

Preciso perdoar muita gente por aqui confrade, seu post foi o incentivo que eu precisava!

Big Grin
Estou aplaudindo de pé!!! Texto muito poderoso, confrade Sorine. Perdoar é o processo mais importante para um GDR. Sem perdão não há desapego, e sem desapego, continuamos na matrix. Sensacional!!!
Odiar alguém, e manter ressentimentos é no mínimo, um disperdicio de tempo e energia, que poderiam estar sendo empregados em outras atividades. Além do mais, depois da vingança, vem uma alegria passageira, que dá lugar a um vazio difícil de ser preenchido.

Muito bom texto Sorine!
Prezado Sorine,

Por várias vezes me peguei pensando como seria legal se fôssemos amigos pessoais. Até porque ambos gostamos de Heavy Metal ( eu só não gosto muito de Slayer, sorry, Mr. Kerry King, rsrsrs ).
Depois desse show de lucidez, você acaba de entrar no hall dos caras da Real que eu realmente gostaria de ser amigo pessoal: Navarre, John Romano e agora, Mr. Sorine.

Meus parabéns!!!
Belo texto, Sorine. Inspirador e pra mim muito oportuno.

Mágoa, raiva e rancor são como ervas daninhas, se não forem podados vão crescer indefinidamente e ocupar todo o espaço disponível em sua mente com pensamentos tóxicos que só atrapalham a nossa saúde mental e emocional.

Como você mesmo expôs, o perdão não é pra quem te magoou. É pra você mesmo. Você nem precisa avisar pra pessoa que você a está perdoando.

É uma forma de desligar/desapegar da situação ou pessoa que lhe fez mal. É uma forma de dizer para si mesmo que essa situação aconteceu, mas não vou guardar rancor.

De tempos em tempos eu faço um exercício de “faxina mental”. Eu perdoo a mim mesmo pelas minhas falhas comigo mesmo e com as outras pessoas (e assim evitar de “entrar em looping” remoendo coisas que não podem mais ser mudadas) e me comprometo a melhorar nos pontos onde acho que falhei.

Depois, em pensamento, eu vou perdoando todo mundo que é importante e presente na minha vida. Por fim eu vou perdoando aquelas mágoas e pessoas que não estão mais presentes na minha vida. Praticamente uma terapia. Se a mente insistir em repassar uma lembrança ruim, apenas repito que “já perdoei essa ofensa”, e logo logo a mente se acalma.

Como você também disse, não é questão de esquecer uma maldade ou minimizar o sofrimento, e sim de aprender com os erros sem alimentar raivas, mágoas ou sentimentos de vingança. É um exercício de auto preservação, conhecimento e desapego (morte do ego).
Compreendo a ideia principal do texto, entretanto é bom não aplica-la ao pé da letra.
Confrade parabéns pelo texto.

Perdoar as pessoas sim mas sem esquecer o seu rosto.
Não confundam perdoar, deixar passar, com fechar os olhos pra falhas alheias, ignorando as consequências, pois estas não terão o mesmo ponto de vista que você, e não irão admira-lo por isso, não precisa se vingar, só não deixe ser feito de bobo, afinal não temos que nos tonar um santo que perdoa e aceita tudo, aqui adquirimos conhecimento justamente pra não quebrar a cara constantemente e passar raiva.
No caso das mulheres, perdoar sim, mas sempre devolver as consequências dos atos dela. Que nesses casos, resume-se a deixá-las sem olhar pra trás.
(14-02-2013, 06:28 PM)Lucard Escreveu: [ -> ]Não confundam perdoar, deixar passar, com fechar os olhos pra falhas alheias, ignorando as consequências, pois estas não terão o mesmo ponto de vista que você, e não irão admira-lo por isso, não precisa se vingar, só não deixe ser feito de bobo, afinal não temos que nos tonar um santo que perdoa e aceita tudo, aqui adquirimos conhecimento justamente pra não quebrar a cara constantemente e passar raiva.

Entendo o que vc quer dizer Lucard. A questão é justamente não cometer novas falhas (confiar de novo em quem te prejudicou, por exemplo), nos protegendo a fim de não continuar errando. É um aprendizado. Minha intenção tbm não é de ser santo e viver quebrando a cara.

Agora outra coisa que andei pensando tbm, é que o perdão também nos ajuda a chegar no estado do qual Schopenhauer e Nesshan Alita dizem que é "morte do ego" e que tbm o Confrade Mandrake fez um tópico sensacional sobre isso!

Nessahan Alita em sua Obra - O Profano feminazismo :
Citar:Devemos mudar a nós mesmos e não ao mundo e nem as pessoas, já que isso é impossível. As tentativas de exterminar o mal exteriormente resultam em efeitos colaterais cada vez maiores e piores, o que pode ser comprovado ao se observar o mal fatos atuais e a gênese história dos mesmos.

E essa mudança passa tbm pela morte do Ego que deve ser buscada.
O perdão nos ajuda a atingir essa mudança em nós mesmos.
Abraço
A cabeça do homem tem que ser livre, tranquila, com pensamentos que sejam benéficos e tenham alguma utilidade. O ódio, amargura e ressentimento só impedem o homem de alcançar o seu verdadeiro potencial. Perdoar o outro é libertar a mente.

Sorine, muito bom o seu texto.
Obrigado a todos pelos comentários e pelas palavras de afeto e respeito!
Muito bom, só não podemos confundir também a vingança com o senso de justiça, podemos respeitar a pessoa e repudiar certas atitudes. Nesse caso, perdoamos a pessoa, continuamos a discordar de suas atitudes, mas sem ressentimentos, e sem fazer mal p/ o próprio fígado enquanto a pessoa que te fez mal está se divertindo sem lembrar que vc existe.
(14-02-2013, 07:14 PM)Sorine Escreveu: [ -> ]Obrigado a todos pelos comentários e pelas palavras de afeto e respeito!

Nós é que agradecemos Sorine.Pelas sábias palavras.


Esse texto caiu como uma luva pra mim.
Ótimo texto cara. Eu normalmente não sou de guardar ressentimentos, mas tem um filho da puta que eu nunca consegui perdoar. Não vou matá-lo, mas se ele morresse eu garanto que tomaria uma cerva para comemorar.
Excelente texto. Desculpe a demora em comentar, sorine, só entrei agora no forum, foi uma semana cruel no trabalho. Seu texto está perfeito. Eu creio que aí reside o segredo - O Guerreiro mais completo da Real é o cara que perdoa. É como se livrar de uma carga pesada. Para que alguém perca a importância que tem em nossas vidas, primeiramente temos de fazer com que o pecado desta pessoa deixe de importar. Essa é a parte mais difícil, relevar a injúria, porém quando o fazemos, é uma enorme vitória. Sabe, pessoalmente... Você não faz ideia de como já me feriram. Se eu contasse aqui... Ainda assim, hoje, aos domingos, por exemplo, quando apanho meu carro e vou passear na Beira Mar, e me sinto melhor, de certa forma mais bonito (perdi MUITO peso, mudei alimentação), com mais grana no bolso, e só o fato de eu ter me colocado como a prioridade de minha vida, eu só tenho a agradecer às pessoas que me feriram, porque se elas jamais tivessem me magoado, eu JAMAIS estaria aqui, e os amigos sabem que JAMAIS estariam aqui também. Estariam enganados e fazendo papel de bobos, casando, arcando com responsabilidades em face de uma megera qualquer que só ajudariam que envelhecessem mais rápido, até chegarem aos 50 para se darem conta de que queimaram parte de suas vidas. O Forum do Bufalo me fez pensar no bem que eu tenho de mais precioso, o tempo. Eu sou grato por ter sido ferido, senão JAMAIS estaria aqui, melhor, mais feliz, com mais saúde.
O Imperdoável
Sangue novo junta-se a esta terra
E rapidamente ele é subjugado
Pela constante e dolorosa desgraça
O jovem aprende as regras deles

Com o tempo a criança é enganada
Este rapaz massacrado age errado
Privado de todos os seus pensamentos
O jovem homem aguenta e aguenta, ele sabe
Uma promessa a si mesmo
Que nunca a partir deste dia
Sua vontade lhe tirariam

O que eu senti
O que eu soube
Nunca refletiu no que eu demonstrei
Nunca ser
Nunca ver
Não posso ver o que poderia ter sido

O que eu senti
O que eu soube
Nunca refletiu no que eu demonstrei
Nunca livre
Nunca eu mesmo
Então eu nomeio-o o Imperdoável

Elas dedicam suas vidas
Para tirar tudo dele
Ela tenta agradar a todos
Este homem amargo que ele se torna

Por toda a sua vida o mesmo
Ele batalhou constantemente
Esta luta que ele não pode vencer
Um homem cansado eles veem não se importa mais
O velho homem então se prepara
Para morrer cheio de arrependimentos
Aquele velho homem, aqui, sou eu

O que eu senti
O que eu soube
Nunca refletiu no que eu demonstrei
Nunca ser
Nunca ver
Não posso ver o que poderia ter sido

O que eu senti
O que eu soube
Nunca refletiu no que eu demonstrei
Nunca livre
Nunca eu mesmo
Então eu nomeio-o o Imperdoável

Vocês me rotularam
Eu rotularei vocês
Então eu nomeio-o o Imperdoável




Imperdoável Tambem

Deite-se ao meu lado,
Diga-me o que eles fizeram
Diga as palavras que eu quero ouvir,
Para fazer meus demônios fugirem
A porta está trancada agora,
Mas, está aberta se você for sincera
Se você poder entendeu o eu
Então, eu posso entender o você

Deite-se ao meu lado,
Debaixo dos céus malignos
A negridão do dia,
A escuridão da noite,
Nós compartilhamos esse paradoxo
A porta se quebra
Mas não há nenhum raio de sol através dela
Coração negro cicatrizado permanece obscuro
Mas não há nenhum raio de sol
Não, não há nenhum raio de sol
Não, nenhum raio de sol...

O que eu senti,
O que eu soube
Vire as páginas,
Vire as pedras
Atrás da porta
Eu devo abrí-la pra você?

Yeah!
O que eu senti,
O que eu soube
Doente e cansado,
Eu permaneço sozinho
Você poderia estar lá,
Porque eu sou aquele que espera por você
Ou você é imperdoável também?

Venha deitar-se ao meu lado,
Isso não machucará, eu juro
Ela não me ama,
Ela ainda me ama,
Mas ela nunca vai amar de novo

Ela se deita ao meu lado,
Mas ela estará lá quando eu me for
Coração negro cicatrizado permanece obscuro
Sim, ela estará lá quando eu me for
Sim, ela estará lá quando eu me for
Morto, certo de que ela estará lá

O que eu senti,
O que eu soube
Vire as páginas,
Vire as pedras
Atrás da porta
Eu devo abrí-la pra você?

Yeah
O que eu senti,
O que eu soube
Doente e cansado
Eu permaneço sozinho
Você poderia estar lá,
Pois eu sou aquele que espera por você
Ou você é imperdoável também?

Deite-se ao meu lado,
Diga o que eu fiz
A porta está fechada, assim como seus olhos
Mas agora eu vejo o sol,
Agora eu vejo o sol
Sim, agora eu o vejo...

O que eu senti,
O que eu soube
Vire as páginas,
Vire as pedras
Atrás da porta
Eu devo abrí-la pra você?

Yeah,
O que eu senti,
O que eu soube
Doente e cansado,
Eu permaneço sozinho
Você poderia estar lá,
Pois eu sou aquele que espera
Aquele que espera por você
Oh,

O que eu senti,
O que eu soube
Vire as páginas,
Vire as pedras
Atrás da porta
Eu devo abrí-la pra você?

O que eu senti
O que eu soube
Eu pego esta chave
E eu a escondo em você
Porque você é imperdoável também

Nunca livre
Nunca eu mesmo
Porque você é imperdoável também

nao vou postar a 3, pq o james manginou nela, cuzao do caralho
Sensacionallllllllllllllllllllll Sorine !!!!! Grande obra !!!! O perdão é tudo .
(16-02-2013, 11:42 PM)Tio Peba Escreveu: [ -> ]nao vou postar a 3, pq o james manginou nela, cuzao do caralho
Será q manginou mesmo Tio Peba? Acho a letra 3 mais interessante até...
Páginas: 1 2 3 4 5