Fórum do Búfalo

Versão Completa: [RELATO] Minha bruxa madrinha, by Sacerdote John Preston
Esta é uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Páginas: 1 2
Estava devendo este relato... Vamos lá.
ATENÇÃO: Todos os nomes aqui citados são fictícios.

Conheci a Simone no meio do ano de 2010, no meu local de trabalho, que é um hospital. Deixem-me descrevê-la um pouco: tem +- 1,60cm, 20 anos na época, morena clara, corpo nota 9, rosto nota 7. De modos discretos, parecia ser uma garota legal pra namorar (mas essa aparência era enganosa, como mostrarei mais adiante).

Ela iniciou um contrato temporário de 1 ano, na equipe de enfermagem, no mesmo turno que eu (à noite). Desde o início ela parecia demonstrar interesse em mim, mas eu, matrixiano, não ia pra cima: é que tinha outros colegas na jogada, e eu sempre achava que os outros caras que iam pra cima tinham mais chance do que eu. Isso pra qualquer mulher... [facepalm]

Durante semanas, conversávamos um pouco no refeitório, sempre que podíamos, durante o jantar. Percebi que tínhamos coisas em comum (agora, pós-Real, sei que elas não estão nem aí pra “afinidades”). Percebi também que, mesmo os outros colegas a assediando, ela continuava dando bola pra mim. Como eu era tímido, esperei todo esse tempo pra ter certeza que ela tava afim de mim [facepalm].

Em novembro, tomei coragem e convidei-a para sair. Ela alegava que estava em um período de bastante atividade na faculdade, que estava focada nos estudos e tal. Me pareceu justo, então suspendi os convites por um tempo. Me culpava por não tê-la convidado antes, mas continuei a conversar com ela durante o jantar, sempre deixando a entender que estava no jogo.

Entretanto, percebi uma coisa curiosa: como já a tinha adicionado no Orkut, notei que, mesmo nesse período de foco nos estudos, volta e meia apareciam fotos de saídas a pizzarias com amigos, sessão de videokê na casa de uma amiga, etc. Eu ficava me auto-iludindo, pensando “Decerto ela já tinha marcado essas coisas há muito tempo”, tudo pra não aceitar que ela tava me enrolando [facepalm].

Com o fim do semestre letivo da faculdade dela, voltei a convidá-la para sair, e ela se esquivando. Até que, perto do natal, ela me mandou um SMS: “Conheci alguém há pouco tempo, mas que mexeu muito comigo... Desculpa”. Que belo presente de natal!

Fiquei muito desapontado. Passei a tratá-la apenas profissionalmente, e procurava jantar em horários diferentes do habitual, pra não ter que olhar pra cara dela.

Assim entrou o ano de 2011. Achei que já tinha superado essa, já estava esperando que outra garota entrasse na minha vida. Como um bom matrixiano, eu acreditava piamente que os relacionamentos “aconteciam”, que não adiantava ficar forçando encontros, ou insistindo com uma mulher [facepalm].

Em fevereiro, ela começou a dar bola pra mim, de novo. E eu, como todo matrixiano que se preza, caí na armadilha. Tornei a convidá-la pra sair, e ela continuava sempre a se esquivar.

Faltando 2 semanas para eu sair de férias (abril/2011), insisti como nunca para que ela saísse comigo, mas ela ficava num jogo de atrair-repelir. Decidi que, se eu saísse de férias sem uma definição, iria esquecê-la. Isso seria facilitado porque, quando eu retornasse, iria para outro setor, em horário comercial. E assim se deu. Algum tempo depois, encarava isso tudo como mais uma experiência na vida, afinal nem tinha sido tão dramática assim.

Em setembro de 2011, porém, eu soube de coisas que mudaram completamente meu ponto de vista sobre tudo isso. Fiquei sabendo, através de outros colegas, que ela estava grávida, e não sabia quem era o pai. Na verdade, ela estava tentando acobertar o verdadeiro pai, um colega de setor dela que era casado, chamado Mauro.

Mas isso ainda não era tudo: outros colegas dela falaram que viam ela marcar encontros com outros caras, inclusive outros funcionários, desde que iniciou a trabalhar ali. Ou seja, todo aquele período em que a gente estava se “conhecendo”, na verdade ela estava me manipulando pra aumentar seu ego. E eu caí direitinho! Pensei que tinha tirado da caixa a granada simulacro, mas peguei uma granada de verdade!

A gravidez da Simone começou a ter complicações, tinha vômitos e desmaios com frequência diária. Devido a isso, ela teve que entrar em auxílio-doença (“entrar em INSS”, “entrar em benefício”, “se encostar”). Devido à raiva que eu sentia, só pensava “bem-feito!”. Cheguei até a compartilhar esse pensamento com algumas pessoas, o que as chocou. Hoje não vejo a coisa assim, mas não me arrependo nem penso em pedir desculpas por ter pensado isso. Parafraseando Batman, em Batman begins: “Não vou fazer ou desejar mal, mas não significa que eu vá ajudar ou me importar”.

Foram tempos difíceis para a D. Aurora, a mãe da Simone (a única pessoa com quem me importei nessa história toda). Ela estava com a irmã (tia da Simone) internada em um hospital de Porto Alegre, enquanto a filha estava em casa, vomitando e desmaiando a toda hora. Nem mesmo assim deixou de ir trabalhar, mas a coisa estava tão estressante que ela chorava praticamente todo dia.

Lembro de, na época, fazer comentários debochados, do tipo: “Mas porquê o Mauro não ajuda a cuidar da Simone? Ah é, esqueci: ele não tá nem aí pra ela... quiiiii coisa, não?” E as minhas colegas diziam: “Não fala assim”. Então eu meti a real, antes mesmo de conhecer a Real:

“Eu não tenho pena, porque no fim das contas ela procurou por isso. Se ela tivesse escolhido outro cara em vez de ter me escolhido, eu nem poderia falar nada. Mas ela ficou me cozinhando, posando de moça direita, e ao mesmo tempo ficava com outros caras, inclusive com caras casados! Ela e o Mauro são adultos, trabalham na área da saúde, e até parece que não sabem como são feitos os bebês! Aí deu merda, e o cara vazou!”

Talvez eu não devesse ter debochado da situação, em respeito à D. Aurora, mas o sentimento de justiça (na verdade era vingança) me inebriava: o retorno do mal que ela tinha feito veio muito rápido, e sem que eu tivesse feito qualquer coisa para que isso acontecesse!

Em fevereiro de 2012, nasceu o EAA, no nosso hospital. Eu não ia visitar, mas muitas colegas me encheram o saco para ir. Eu só dizia: “Não tenho nada a ver com essa história!”. Até que, no segundo dia de internação da Simone, encontrei a D. Aurora, que me pediu para subir ao quarto da Simone, quando eu tivesse tempo.

Nesse ponto, abrirei um parênteses para falar da D. Aurora: ela havia percebido meu interesse desde o início, e fazia muito gosto de que eu namorasse a Simone. Ela se sentiu muito envergonhada de me ver, depois que a Simone me deu o primeiro fora, no natal. Mas nunca pensei mal dela, afinal ela não tem culpa das vadiagens da filha. Inclusive eu soube que, naqueles períodos de crise (irmã internada/filha desmaiando) ela cobrou da Simone, em prantos: “Porquê tu não ficou com o Sacerdote John Preston, em vez do Mauro, que era casado e que agora nem quer saber se tu e o bebê precisam de alguma coisa? Ele não se preocupa nem em saber como tá o bebê, nem em saber se tu tá viva!” Outra coisa que a deixou arrasada é que ela esperava ver a Simone casar e ter filhos, mas ela engravidou sem casar, e com um cara casado! Ouvi dizer até que não colocaram o Mauro como pai, na certidão de nascimento. Fiquei sabendo também que a esposa do Mauro tomou conhecimento da história, e o expulsou de casa.

Fechado esse parênteses, voltemos ao pedido da D. Aurora. Nesses mais de 10 anos que eu a conheço, nunca me neguei a fazer qualquer das poucas coisas que ela me pediu, então me senti muito mal de negar esse pedido dela. Comprei um conjunto de lençol numa loja perto do hospital, para dar de presente. Fiz isso unicamente por causa da D. Aurora.

Ao entrar no quarto, Simone estava no leito, EAA no colo. D. Aurora veio me cumprimentar. Entreguei o presente a ela, que levou-o para a Simone. Permaneci aos pés do leito, e dali não saí até ir embora. Eu disse “Parabéns” dali mesmo, sem abraço, a seco. Simone abriu o presente e agradeceu. D. Aurora pegou o EAA e me fez segurar. Aceitei, pois nem nessa hora deixei de ter um pensamento de justiça (tá bom, vingança): aceitei para que a Simone visse a família decente e honrada que ela poderia ter tido comigo, mas que havia jogado no lixo por causa de vadiagens.

Depois que voltei pro meu setor, me senti mal o resto do dia: EU é que passei a pensar na família decente e honrada que poderia ter com ela, sobre como me deixei manipular por acreditar que a Simone poderia ser a pessoa com quem eu concretizaria esse sonho. Minha tentativa de “justiça” se voltou contra mim!

Nesse mesmo mês de fevereiro de 2012, comecei a ler, de forma sistemática, os textos da Real. Aí praticamente se desfez qualquer ilusão que eu pudesse ter em relação à Simone, e também em relação às mulheres em geral. Muita coisa se esclareceu, tanto nesse caso como em praticamente todos os casos da minha vida.

Meses depois disso, numa conversa com uma colega de trabalho, surgiu o assunto da Simone. Falei que nunca mais daria outra chance a ela. Essa colega disse: “Não diga ‘nunca mais’, é muito forte”. Minha resposta: “Então tá: enquanto eu viver, ela não terá outra chance. Veja bem, eu não disse ‘nunca mais’!” Ela retrucou que talvez no futuro, quando as coisas estivessem diferentes, talvez eu mudasse de ideia, e ainda disse que agora a Simone estava muito bonita. Não retruquei mais nada, e conversamos sobre outras coisas. Mais tarde, fiquei pensando: decerto essa minha colega me acha tão loser, que eu não vou conseguir coisa melhor que uma M$ol. Mas o lance na verdade é outro: é que essa colega não admite que a Simone agiu errado, acha até que ela é vítima (típico, mulheres vivem se queimando umas às outras, mas quando é contra um homem, se unem que é uma beleza).

Para finalizar, passado um ano, ela me mandou um convite no Facebook. Como já tinha lido “A real e o perdão”, pensei que não faria mal aceitá-lo, pois mostraria a ela e a mim mesmo que não guardo rancor (e não guardo mesmo). Apenas não preciso ficar curtindo nada dela, nem entrando em contato. Descobri que ela fez isso só pra que eu visse que ela arranjou um CSP. Não me abalei, o que me mostrou que consegui superar tudo isso. Agora, só fico com pena do CSP, não sabe onde tá se enfiando. Acha que tá fazendo grande coisa, se juntando com uma “guerreira”, fazendo a diferença na vida dela! Vai lá, champz! Acho que vou mandar pra ele aquele fluxograma que eu fiz, de repente dá um “clique” nele...
O começo da história se parece com a minha, mas eu cortei o mal pela raíz no 1º fora e meti um gelo monstro nela. Hj em dia ela vive dando aberturas, mas eu simplesmente ignoro. Periga um dia eu jogar o papo reto e tentar comer, qdo eu tiver sem grana pra ir no trashão.

Vi q a mão da vadia te achava um bom partido. Uma coisa interessante q o Jorge Tadeu do MR sempre fala é: "Se os pais da vadia acham que vc seria um excelente marido pra filha deles, isso é um PÉSSIMO sinal." Significa q eles te vêem como um bundão, sabe pq?

Eles, como pais, vão querer obviamente um bom e submisso burro de carga pra cuidar da filha deles. E se eles gostam de vc, é claro q na visão deles vc é um EXCELENTE BURRO DE CARGA! Q legal, não? E claro, todos sabemos qual é o destino de caras não dominantes numa relação...

No fim, só sei q no teu lugar não teria visitado porra nenhuma e inventaria alguma desculpa idiota pra não ir. Vivo fazendo isso rs
Parabéns por não ter se tornado um CSP..rs A Real salva vidas !
Grande relato meu caro! Ainda bem que não te trouxe grandes prejuízos financeiros e nem psicológicos.

Eu tbm não teria ido visitá-la. Merda quanto vai mexe mais fede! Há tempos atrás eu ficaria com dó da ex-sogra tbm, mas com a Real, a gente percebe é que as mães querem um burro ou para sustentarem as filhas ou se livrarem do fardo.

Minha ex-sogra e ex-sogro me adoram até hj e sempre que me encontram dizem para eu não sumir, será pq? :yaoming

E qto a última parte do seu texto:
Citar:Para finalizar, passado um ano, ela me mandou um convite no Facebook. Como já tinha lido “A real e o perdão”, pensei que não faria mal aceitá-lo, pois mostraria a ela e a mim mesmo que não guardo rancor (e não guardo mesmo). Apenas não preciso ficar curtindo nada dela, nem entrando em contato. Descobri que ela fez isso só pra que eu visse que ela arranjou um CSP. Não me abalei, o que me mostrou que consegui superar tudo isso. Agora, só fico com pena do CSP, não sabe onde tá se enfiando. Acha que tá fazendo grande coisa, se juntando com uma “guerreira”, fazendo a diferença na vida dela! Vai lá, champz! Acho que vou mandar pra ele aquele fluxograma que eu fiz, de repente dá um “clique” nele...
Tudo bem que vc já a perdoou, e isso é muito nobre, mas nem por isso vc era obrigado a aceitar o pedido de amizade no facebook. Acho que cada um age da forma como achar melhor. Eu não adicionaria, pois é uma forma de contato e hora ou hora ela pode começar a curtir as coisas que vc postar, começar a escrever coisas na sua "Timeline" do face e de repende no chat. Cuidado. Eu preferiria deixar como estar e não dar brecha.

Mas no mais, vc já está vacinado e mostra que já tem o conhecimento da Real no seu espírito e creio eu sabe muito bem o que está fazendo.
Preston:

MEUS PARABÉNS!

De graças a Deus que ela não entrou em sua vida para ficar, ela veio para te mostrar algumas verdades e perigos, essa foi a razão dela em sua vida.

Imagina se você obtivesse sucesso e namorasse ou até mesmo casasse com ela, você estaria segurando aquele bebê, pensando que seria o seu filho, e o Mauro ou qualquer outro estaria dando o fora para fazer outro filho fora do casamento.

Agradeça a ela por ter te feito mais forte e mais sábio, que o feitiço dela não surtiu efeito sobre você!

Estava pensando hoje mesmo de manhã, no carro "fumando meu cigarrinhotrollface", as vezes ficamos bravos, com raiva e tristes quando brigamos com a namorada... Me perguntei, porque fico triste? Porque sinto raiva? Então remonto a situação que me angustiou e o resultado dela (podendo ser a briga e ficar sozinho ou socar a mesa etc), então penso, estou bravo porque poderia estar com essa pessoa em uma situação legal e não estou? Então percebo que as vezes; não sei se acontece com vocês; na verdade eu estava fantasiando as emoções, sentindo que iria fazer isso ou aquilo, realmente me ludibriando com fantasias sutis... Então me pego pensado, owww, pera ai Eskillo, essa é a situação que aconteceria de verdade ou você está se enganando?!? Na maioria das vezes percebo que me frustei por minhas próprias fantasias, a pessoa (a mina) que briguei ou me desapontou não iria realizar o que eu estava pensando, eu que estava com a expectaqtiva surreal...

Um pouco confuso não? Exemplo:

Vou sair para um restaurante Cantina do Barba, vou comer a melhor pasta da cidade, meu carro quebra e não posso ir, fico puto xingo mijo no carro chuto o carro porque não fui comer o melhor fuzile com perna de carneiro com batatas do mundo! Sendo que na verdade a Cantina do Barba é um lixo de restaurante... Eu me fiz frustar sozinho, porque a realidade está ali e não muda, apenas distorcemos a mesma para nos sentirmos melhores (ou piores)...

Então, Preston, quando pensou que era o cara certo para e como ela poderia ser boa esposa e boa mãe e os caralho, você se deixou enganar por seus próprios desejos, talvez porque você realmente deseje algo verdadeiro em sua vida (eu aspiro o mesmo)... São as expectivas e o auto engano um perigo? Sim... Todas as expectativas são malignas? Não, apenas depende de como você as encara... Entendendo seus desejos íntimos você entenderá suas expectavivas e talvez melhor se relacione com elas... o porque quero isso, porque quero aquilo, vai entender porque eu sou assim e assado...

Parabéns por abrir os olhos antes da merda no ventilador! Sucesso em sua busca!
GDR 01 x Vadias Pseu de santas 00 GAME OVER Vadia
Um amigo meu que estudava medicina dizia que é quase uma regra geral que enfermeiras dão para médicos. Se já acreditei na época que ele comentou, hoje com o conhecimento a respeito da hipergamia a informação ficou ainda mais compreensível.
(18-04-2013, 02:44 PM)Tiago Escreveu: [ -> ]Um amigo meu que estudava medicina dizia que é quase uma regra geral que enfermeiras dão para médicos. Se já acreditei na época que ele comentou, hoje com o conhecimento a respeito da hipergamia a informação ficou ainda mais compreensível.

Conheci um cara que foi fazer curso de enfermagem só por causa da mulherada. Comeu quase todas da sala! Segundo ele 99,9% das mina enfermeira são putonas.
Aliás, um dos apelidos da área de Enfermagem é ESPERMAGEM rsrsrs
Citar:Um amigo meu que estudava medicina dizia que é quase uma regra geral que enfermeiras dão para médicos. Se já acreditei na época que ele comentou, hoje com o conhecimento a respeito da hipergamia a informação ficou ainda mais compreensível.

Citar:Aliás, um dos apelidos da área de Enfermagem é ESPERMAGEM rsrsrs

Que coincidência...ha pouco tempo atrás eu tinha uma foda fixa vadia que dividia apartamento com uma outra amiga vadia (tinha caso com um homem noivo). E essa outra era formada em qual curso?

Vocês adivinham?? trollface

PQP, viu....se for parar pra pensar isso é uma grande contradição. Teoricamente essas mulheres deveriam ser pessoas "bondosas", pra cuidar do doente, dar amparo...
(18-04-2013, 11:40 AM)barão_kageyama Escreveu: [ -> ]O começo da história se parece com a minha, mas eu cortei o mal pela raíz no 1º fora e meti um gelo monstro nela. Hj em dia ela vive dando aberturas, mas eu simplesmente ignoro. Periga um dia eu jogar o papo reto e tentar comer, qdo eu tiver sem grana pra ir no trashão.

Vi q a mão da vadia te achava um bom partido. Uma coisa interessante q o Jorge Tadeu do MR sempre fala é: "Se os pais da vadia acham que vc seria um excelente marido pra filha deles, isso é um PÉSSIMO sinal." Significa q eles te vêem como um bundão, sabe pq?

Eles, como pais, vão querer obviamente um bom e submisso burro de carga pra cuidar da filha deles. E se eles gostam de vc, é claro q na visão deles vc é um EXCELENTE BURRO DE CARGA! Q legal, não? E claro, todos sabemos qual é o destino de caras não dominantes numa relação...


No fim, só sei q no teu lugar não teria visitado porra nenhuma e inventaria alguma desculpa idiota pra não ir. Vivo fazendo isso rs

Isso acabou de estalar na minha cabeça, respondeu muita das minhas dúvidas que ocorrem anos atrás.
Sacerdote Preston, essa sua bruxa foi quase uma fada cara, ela lhe abriu os olhos sem lhe deixar detonado emocionalmente. Agora, não se arrisque mantendo contato com ela, porque as artimanhas femininas são muito poderosas, ela deve ter uns 23 anos agora, ainda está no auge da beleza, e está mais experiente nas armas da sedução, ela já conhece seus gostos e desejos e sabe como se tornar a mulher dos seus sonhos... Eu penso como o Sorine: não manteria nenhum contato com ela, nem virtual.
Agradeço imensamente aos confrades pela atenção dedicada ao meu relato, e ainda mais pelas análises realizadas.

Barão:

Eles, como pais, vão querer obviamente um bom e submisso burro de carga pra cuidar da filha deles. E se eles gostam de vc, é claro q na visão deles vc é um EXCELENTE BURRO DE CARGA! Q legal, não?

Cara, eu nunca tinha pensado nisso! Até dei uma pesquisada rápida aqui e no MR, mas não encontrei nada referente a isso. Existe algum artigo sobre isso, ou é só algo que o Sr. Jorge Tadeu tem o costume de dizer? Se existir um artigo, gostaria de indicações.

Sorine e Professor: A intenção dela, ao me adicionar no Facebook, era mostrar que tinha fisgado um CSP. Não acredito que ela vá ficar contatando, ou se importando com minhas postagens. A idéia dela era me causar ciúmes e fazer com que eu ficasse correndo atrás dela. Se ela começar a me contatar, nem respondo. Se ficar insistente, simplesmente a excluo. E essa M$ol, nem pra foda eventual!

Eskillo: Sorte mesmo que isso tenha acontecido, no fim das contas. Avaliando melhor, meu caso foi menos danoso que outros daqui do fórum. Nem quero imaginar se eu tivesse casado, decidido ser pai, e descobrir que os filhos são do Ricardão, do Mauro, etc.

Além disso, sua análise é correta: projetei bastante em cima dela, e de uma possível relação.

Tiago: Não foi o caso aqui, mas posso confirmar o que dizes, através de outros casos. Sei de 2 enfermeiras e uma secretária do meu trabalho que tiraram a sorte grande (casaram com médicos), e sei de umas 7 ou 8 técnicas de enfermagem/ enfermeiras que já deram pra médicos, ou até namoraram com eles por um tempo (pra elas é um evento, pra eles é só um passatempo. Por isso que não dura muito, eles acabam enjoando e querendo variar).
(19-04-2013, 09:53 AM)Sacerdote John Preston Escreveu: [ -> ]Barão:

Eles, como pais, vão querer obviamente um bom e submisso burro de carga pra cuidar da filha deles. E se eles gostam de vc, é claro q na visão deles vc é um EXCELENTE BURRO DE CARGA! Q legal, não?

Cara, eu nunca tinha pensado nisso! Até dei uma pesquisada rápida aqui e no MR, mas não encontrei nada referente a isso. Existe algum artigo sobre isso, ou é só algo que o Sr. Jorge Tadeu tem o costume de dizer? Se existir um artigo, gostaria de indicações.

Olha, eu acredito que não tenha. Aliás, depois q eu escrevi isso aqui, eu tive a ideia de escrever tal coisa, vou ver se bolo algo...

O Jorge Tadeu escreve mt pouco, e isso fica esparso por lá. Mas ele sempre fala isso qdo alguém fala q os pais da vadia gostavam do cara.
(19-04-2013, 09:53 AM)Sacerdote John Preston Escreveu: [ -> ]Sorine e Professor: A intenção dela, ao me adicionar no Facebook, era mostrar que tinha fisgado um CSP. Não acredito que ela vá ficar contatando, ou se importando com minhas postagens. A idéia dela era me causar ciúmes e fazer com que eu ficasse correndo atrás dela. Se ela começar a me contatar, nem respondo. Se ficar insistente, simplesmente a excluo. E essa M$ol, nem pra foda eventual!

Mesmo assim tenha cuidado meu amigo! Olho vivo e faro fino!
(18-04-2013, 07:12 PM)Blanka Escreveu: [ -> ]PQP, viu....se for parar pra pensar isso é uma grande contradição. Teoricamente essas mulheres deveriam ser pessoas "bondosas", pra cuidar do doente, dar amparo...

Pois então...os médicos tadinhos trabalham tanto, o nível de stress é muito alto. E acho que não há nada de errado uma "boa" enfermeira uma hora ou outra tocar uma punhetinha ou fazer um boquetinho nos médicos para aliviar os sofrimento deles. Vão pro céu..tadinhas!! trollface
Há as enfermeiras ... kkkkkk
Tem sempre uma ou outra gostosinha HASUHAUSHAS
Mas realmente algumas coisas acontecem e ficamos nos perguntando e se fosse eu?

No seu caso você se livrou de uma vadia manipuladora e talvez de pagar uma boa pensão!
Tem relatos aqui do fórum de que quando os pais puxam muito o saco, é sinal de que a filha é rodada e então eles estão ajudando a vadia que criaram a "arrumar um bom partido".

Barão, no artigo você pode comentar o outro lado da Real, o lado do filho, que ao apresentar a namorada ou pretendente para a mãe, ela já estará capacitada para mandar a real.

A regra geral fica sendo os pais querendo proteger seus filhos. No lado da vadia, através do acobertamento. No lado nosso, através do sentido sobrenatural que uma mãe tem sobre o filho.
Excelente. Vou colocar isso também.
(19-04-2013, 01:16 PM)Tiago Escreveu: [ -> ]No lado nosso, através do sentido sobrenatural que uma mãe tem sobre o filho.

Não acredito nisso, aê.... O que eu acredito é que 100% da manginisse do mundo foi produzida pelas mães, na cabeça dos filhos.

Se eu fosse atrás do que minha mãe queria pra mim eu só pegava tribufu trabalhador. Pois, mãe não consegue te enxergar como HOMEM. Então ela quer é mais que você se case virgem e com uma menina que seja estudada e tenha bom emprego. Fudeu!!! Vai virar CSP de uama carreirista!!!!

Eu falo abertamente que meus filhos vão sim no puteiro comigo, assim que tiverem idade. E sim, eu vou arranjar fodas free pra eles. Sim, eles precisam saber que existem 2 lados da vida, pilula azul, ou vermelha....

Alguém aqui acha que alguma mãe aprovou essa minha atitude?
Páginas: 1 2