Fórum do Búfalo

Versão completa: O casamento como bolsa de estudos
Você está vendo uma versão siplificada do nosso conteúdo. Ver versão completa com a formatação apropriada.
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9
Como toda boa mulher dentro da nossa cultura tida por muitos como machista e patriarcal, ela crê que a obrigação de prover a casa é do homem. Como toda boa feminazi de conveniência, ela crê que essa história de trabalho doméstico ser executado pela mulher é coisa do passado. Como toda boa carreirista, ela crê que precisa fazer uma faculdade e conseguir uma posição de alto status e boa remuneração. Como toda boa moça de família, ela pensa em se casar. E como toda mulher minimamente consciente, ela sabe que não pode demorar muito a fazer isso, do contrário não terá tempo de encontrar um pretendente, namorar, casar e ter seus filhos antes dos 35 anos, considerado a idade limite para uma gravidez saudável.

Ocorre, porém, que dos 18 aos 25 anos, período da vida em que uma pessoa responsável para com seus estudos faz faculdade, ela estava ocupada demais se divertindo. Como toda mulher moderna, ela sabe que curtir a vida é necessário. Festa vai, festa vem, até que ela percebe que já está chegando aos 25 e nem sequer entrou na faculdade. Seus relacionamentos, alguns tão efêmeros quanto uma noite de festa, outros um pouco mais duradouros, mas não o suficiente para evoluir para algo mais sério, acabaram-se todos e ela não tem nenhum candidato a marido. De repente a ficha cai e ela vê que é hora de correr atrás do prejuízo.

Ela encontra um bom rapaz. Estudioso. Diligente. Trabalhador, de preferência concursado, com um salário suficiente para sustentar uma família. Se já tiver um imóvel financiado melhor ainda. Carro próprio? Ela nem faz mais tanta questão disso quanto fazia há algum tempo atrás, quando colocava isso como condição sine qua non para que um homem pudesse desfrutar as delícias do seu "amor". Apesar de esse rapaz ter uma aparência minimamente aceitável, o suficiente para ela não ter vergonha de mostrá-lo às amigas, ele está longe de ser o moreno claro sarado estilo latin lover para o qual ela dava atenção antes. Esse rapaz estudou. Conseguiu uma boa colocação no mercado de trabalho e agora ele é um bom partido. Um "homem pra casar".

Ela então faz de tudo para engatar um relacionamento com esse homem. Usa todo o poder de sedução aprendido durante o tempo em que "curtia a vida". O rapaz, não tão experiente quanto, afinal ele foi tratado como um lixo pela maioria das mulheres até bem pouco tempo atrás, acaba se envolvendo e eles começam a namorar. Ela trata logo de tornar sério esse relacionamento. Cobra dele que a visite, que conheça a família dela, que conviva com seus parentes. Se ele morar sozinho, ela passa a visitá-lo e a deixar um objeto pessoal dela na casa dele hoje, outro amanhã e assim vai. Ela quer se casar. Mas o que ela espera do casamento?

Ela espera poder morar com ele, na casa dele e ser sustentada por ele, enquanto ela faz sua faculdade, que muitas vezes ele pagará. Durante o tempo em que o jovem homem trabalha, paga seu imóvel e procura investir parte do dinheiro que ganha pensando no futuro, ela procura melhorar profissionalmente e se qualificar. Muitas vezes entra em um emprego de meio período, afinal de contas ela é uma mulher moderna e independente e não quer pedir dinheiro ao marido. Isso fica pras "amélias". Ocorre, porém, que a nossa "heroína" não tem qualificação profissional e vai ganhar pouco. No máximo o suficiente para manter seus estudos. Ela receberá do marido moradia com água, luz e gás, roupa, alimentação, saúde e lazer. Muitas vezes até mesmo o transporte, já que ele vai buscá-la e deixá-la na faculdade.

Ou seja, ela conseguiu uma bela bolsa de estudos ao se casar e está no caminho para se tornar uma mulher bem sucedida. E o casamento, como fica? Ela passa o dia fora e chega em casa tarde da noite, afinal, é uma mulher esforçada que trabalha e estuda. Seu marido não tem uma esposa. Ele sustenta uma universitária. Todos sabem que um casamento requer sentimento, carinho, sexo, presença, companheirismo, cumplicidade. Esse casamento não tem nada disso. Serão 5 longos anos em que o casal mal vai se ver na hora de dormir. Tempo suficiente para o desenrolar de casos extra conjugais. Esse casamento não terá futuro. E o que o homem lucra em um relacionamento assim? O que ele está ganhando ao dar essa magnífica bolsa de estudos para a sua amada? Enquanto ele trabalha para aumentar o patrimônio e sustentar a esposa para que a mesma estude, ela está com suas energias voltadas para algo que favorece unicamente a si mesma. Sorte se enquanto faz isso ela não aproveita para dar umas puladas de cerca com algum "cara com pegada" que ela conheceu na faculdade.

E quando, depois que ela tiver seu diploma e seu bom emprego em mãos, ela resolver pedir o divórcio, o que sobrará para o homem nessa relação? Se você respondeu entregar metade do patrimônio construído ao longo do casamento a ela, acertou. Além de uma bela pensão que comprometerá no mínimo uns 30% de sua renda caso esse casamento bolsa de estudos tiver dado algum fruto.

Nenhuma mulher aceitaria ficar no lugar do homem na relação acima. Por um simples motivo: elas não são idiotas. No entanto, o número de homens que se submetem a isso é cada vez maior. Eu mesmo já recebi "propostas" vindas de namoradas que tinham esses planos. E a minha resposta? Disse na cara dura: "e o que eu ganho com um casamento desses? casar comigo não é bolsa de estudos". Conheço casais que vivem nesse sistema. Por que ser otário a esse ponto? Porque se permitir ser explorado a esse ponto meu amigo? O que você tem a ganhar com isso? É para isso que você vive? Foi para isso que atravessou a fase difícil da juventude, batalhando, se esforçando? Tudo bem que você queira ter uma família, criar seus filhos e isso é nobre e louvável de sua parte, mas por causa desse sonho você vai se permitir ser feito de burro de carga? Vá viver sua vida. Não aceite uma proposta tão desfavorável para você. Tenha amor próprio e inteligência suficiente para se recusar a ser feito de trouxa! E daí que você vai ficar sozinho? Dane-se. Ficar sozinho é melhor do que pagar esse preço tão alto só para tentar ter alguém que não vai te dar nada do que você espera de uma relação e que entrará na sua vida como um parasita, sugando o que puder de você e não oferecendo nada ou quase nada em troca. Diga não ao casamento bolsa de estudos!
Eu conheço um caso, que o cara se matava para pagar a faculdade de direito para a "esposinha" com teve 2 filhos e o trato seria que assim que ele subisse, ajudasse ele.Então ela se formou, passou como promotora pública e sabe o que aconteceu?Deu pé nele com os dois filhos e hoje ele só vê os filhos de 15 em 15 dias pois até maus tratos ela enfiou no divórcio.

O cara coitado, vive a base de cigarros e bebida para poder levar a vida.
Texto demolidor, merece ir pro Canal do Búfalo e pros textos recomendados.

Aliás, melhor é espalhar ele por toda a net.
A real escancarada
Clap! Clap! Clap! Bravo!
Esse texto deveria ser colado no espelho do banheiro de todo homem desavisado, para ser lido todos os dias pela manhã.

(31-03-2014, 03:40 PM)Fabricius Escreveu: [ -> ]Eu conheço um caso, que o cara se matava para pagar a faculdade de direito para a "esposinha" com teve 2 filhos e o trato seria que assim que ele subisse, ajudasse ele.Então ela se formou, passou como promotora pública e sabe o que aconteceu?Deu pé nele com os dois filhos e hoje ele só vê os filhos de 15 em 15 dias pois até maus tratos ela enfiou no divórcio.

O cara coitado, vive a base de cigarros e bebida para poder levar a vida.

Infelizmente isso é comum...
Se eu fosse aplaudir na quantidade merecida por este artigo, ficaria com cãibras nas mãos. Real crua e escancarada!
Quem não conhece casais assim? E quem já não viu no que deu?
(31-03-2014, 09:44 PM)John Romano Escreveu: [ -> ]Se eu fosse aplaudir na quantidade merecida por este artigo, ficaria com cãibras nas mãos. Real crua e escancarada!

Excelente artigo, mais um forte argumento para reforçar minha adesão ao Relationship Strike.

Citação:Quem não conhece casais assim? E quem já não viu no que deu?

Quando fiz faculdade, fui aluno de um casal de professores, em suas respectivas disciplinas. Nessa época, ele tinha doutorado e ela, mestrado. Ele financiou o doutorado dela, pois queria vê-la valorizada profissionalmente. No fim, levou um divórcio no rabo, onde se ferrou. Pra dar uma idéia, ele andava sempre de carro do ano (já o vi de Golf e Civic), logo depois do divórcio andava com carro popular com mais de 10 anos.
Menos mal que, em alguns poucos anos, ele deu a volta por cima: financiou uma nova e ótima casa, se casou de novo, é pai (não tinha filhos do casamento anterior), e de quebra acrescentou um pós-doutorado ao currículo. Quanto a ela, demitiu-se da universidade algum tempo depois do divórcio, pois não tinha mais clima pra continuar trabalhando lá. Depois disso, não soube mais dela.
Isso foi um tapa na minha cara!!!

Solução: torne-se um gigolô
Excelente texto Confrade Gordon Gekko. Talvez um dos melhores que li nas tavernas da Real.

Merece sem dúvida ir para o Canal do Búfalo e rodar a internet.

[Imagem: aplauso.gif]

Siga com esse excelente trabalho no fórum!
Isso deve ser fixado e mandado pra galera que já passou dos 40 e fica dando moral pra vadiazinha e msol.
Putz, Gekko DESTRUIU O FORUM INTEIRO com esse texto, excelente.

Inclusive, já tou cansado de ver casos assim, na minha família mesmo tá acontecendo uma parada dessas ae, mas prefiro ficar quieto no meu canto.

E Spectro, acredito que vc não tenha sido o único a ter levado soco na cara. Tem nego por ae q deve ter se mordido por causa desse texto tbm...
Infelizmente esse é o padrão. Estou numa fase em que estou com com dificuldade de aceitar essa realidade, mesmo a compreendendo. Mesmo sendo contra o marriage striker, sinto colocado em xeque diante da realidade de que as mulheres só entram em relações com homens honestos e trabalhadores quando tem interesse financeiro envolvido, mesmo que indiretamente.
Ja vi isso dezenas de vezes, inclusive aconteceu algo parecido comigo e minha 1ª esposa.
Puta que Pariu, muito bom. Tinha um amigo meu que trabalhava junto com ele numa multinacional do ramo de energia, eu terceirizado e ele CLT, Engenheiro na área de Gestão de projetos, cara japonês, formado em facu de 1. linha, pós graduado na FGV, vivia com uma guria pra cima e pra baixo levando ela pra prestar concursos, até em outros estados, ela não trabalhava, segundo ela era melhor se dedicar aos estudos e depois de formada ganhar seus 20k/mês, claro até lá ser bancada pelo meu amigo. Um belo dia se casaram, ele comprou um apê num bairro nobre de SP, passou um mês ela mostrou as garras, queria humilhar o cara de qualquer jeito, ele me contou que ela até o agrediu fisicamente, ele pediu a separação, gastou uma nota preta na festa, até uísque tinha. Enfrentou um processo durante uns 3 anos pra se livrar da Bruxa. Por azar eu não conhecia a Real ainda, senão tinha passado umas dicas pra ele.
A pergunta que fica: como não cair nessa? Obvio que ser um radical xiita e não se relacionar com nenhuma mulher não é a melhor saída. Peço aos confrades que por favor indiquem como não cair nessa. Seria comprando uma casa pagando 50% e a mulher os outros 50%? Seria comprar uma casa e aceitar que ela vá morar com você, mas não banca-la profissionalmente? Um casamento com comunhão total de bens garante que a casa será sempre só minha nessa situação?
Sensacional, texto preciso nos ensinamentos e com leitura agradável.

Orgulho desse fórum.

(01-04-2014, 06:05 PM)Tim Laflour Escreveu: [ -> ]A pergunta que fica: como não cair nessa? Obvio que ser um radical xiita e não se relacionar com nenhuma mulher não é a melhor saída. Peço aos confrades que por favor indiquem como não cair nessa.

Seria comprando uma casa pagando 50% e a mulher os outros 50%?
Não. Automaticamente 50% da casa é dela.

Seria comprar uma casa e aceitar que ela vá morar com você, mas não banca-la profissionalmente?
É um começo. Desde que o imóvel seja seu antes do início do relacionamento, e não haja comunhão universal de bens.

Um casamento com comunhão total de bens garante que a casa será sempre só minha nessa situação?
Não. Comunhão total de bens é furada, tudo que foi e será seu, automaticamente passa a ser do casal.
O ideal sempre é separação total de bens.
(01-04-2014, 06:05 PM)Tim Laflour Escreveu: [ -> ]A pergunta que fica: como não cair nessa? Obvio que ser um radical xiita e não se relacionar com nenhuma mulher não é a melhor saída. Peço aos confrades que por favor indiquem como não cair nessa. Seria comprando uma casa pagando 50% e a mulher os outros 50%? Seria comprar uma casa e aceitar que ela vá morar com você, mas não banca-la profissionalmente? Um casamento com comunhão total de bens garante que a casa será sempre só minha nessa situação?
Isto vai da sua sorte de como encontrar uma mulher se ela aproveitará disto, ou seja se achará uma mulher honrada

Eu penso assim: já que querem igualdade que seja em tudo. Eu por exemplo, já tenho carro em meu nome, vou comprar uma moto em meu nome e brevemente quero financiar um AP em meu nome, pois só Deus sabe o veneno que passo diariamente para ter a coisas. Faculdade só pagarei para meus filhos é olhe lá.

Quer estudar?Trabalhe!Ah, mas eu trabalho o dia todo e fica dificil...

....pourra nehuma!Eu acordava as 5, trampava e de lá ia direto para a faculdade, fora que as vezes eu tinha que ir "jantando" dentro do ônibus pela falta de tempo.

Agora conheço um caso exceção de um cara que trabalhava no ponto frio como vendedor (na parte de eletrônicos) e era colega do meu irmão, que ralava muito para sustentar a mulher e filho e neste período ela passou o tempo estudando para concurso e passou no FNDE aqui em BSB, daí assim que ela assumiu, disse para ele pedir contas no Ponto Frio que agora era ele que ia estudar, então pouco tempo depois ele passou para agente carcerário aqui no DF.
(01-04-2014, 06:05 PM)Tim Laflour Escreveu: [ -> ]A pergunta que fica: como não cair nessa? Obvio que ser um radical xiita e não se relacionar com nenhuma mulher não é a melhor saída. Peço aos confrades que por favor indiquem como não cair nessa. Seria comprando uma casa pagando 50% e a mulher os outros 50%? Seria comprar uma casa e aceitar que ela vá morar com você, mas não banca-la profissionalmente? Um casamento com comunhão total de bens garante que a casa será sempre só minha nessa situação?

Se o cara casa é game over, o poder passa pra mão da mulher pelo Estado feminazi, legitimando até a sua prisão mediante uma falsa acusação. Todo aparato judiciário das varas de família funciona a favor da mulher, taí o Sorine e o Petulas já comentaram aqui no fórum, acho difícil escapar disso.
(01-04-2014, 06:05 PM)Tim Laflour Escreveu: [ -> ]A pergunta que fica: como não cair nessa? Obvio que ser um radical xiita e não se relacionar com nenhuma mulher não é a melhor saída. Peço aos confrades que por favor indiquem como não cair nessa. Seria comprando uma casa pagando 50% e a mulher os outros 50%? Seria comprar uma casa e aceitar que ela vá morar com você, mas não banca-la profissionalmente? Um casamento com comunhão total de bens garante que a casa será sempre só minha nessa situação?


Isso já foi tema de uma boa discussão. Fique à vontade para desenterrar o tópico abaixo caso suas dúvidas não sejam dirimidas lá:

Proteja seu patrimônio em caso de divórcio
(01-04-2014, 07:50 PM)Gekko Escreveu: [ -> ]Isso já foi tema de uma boa discussão. Fique à vontade para desenterrar o tópico abaixo caso suas dúvidas não sejam dirimidas lá:

Proteja seu patrimônio em caso de divórcio

Valeu Gekko. Vou "estudar" esse tópico.
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9