Fórum do Búfalo

Versão Completa: Shibumismo
Esta é uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7
Droga Doutrina,

Sai do anonimato e nos representa porra !!!! trollface


Parece até contos modernos de romeu e julieta. Não adianta, eu não falo mais nada.
(15-07-2015, 05:27 PM)lawlyet_w Escreveu: [ -> ]Escolhi ficar com ela porque me apaixonei por ela. simples assim... porque fui vendo quem ela é enquanto íamos nos conhecendo... e vi a pessoa mais doce e amável desse mundo. feminazismo atual prega, sim, esse monte de merda, mas nao significa que toda feminazi siga. Corto meu dedo mindinho e peço pro barao mudar meu nome no fórum pra lawlyet lula se ela um dia for capaz de me desrespeitar ou desrespeitar a si mesma. Ela é uma pessoa muito inteligente e boa, além de possuir uma tremenda força de caráter, mas além disso é uma pessoa que me ama verdadeiramente e nunca seria capaz de me magoar. Da mesma forma como a maioria aqui acha que toda feminazi do mundo usa roupas curtas e nao respeita namorado, também a maioria das feministas acham que todo machista é possessivo, agressivo, infiel, bate em mulher, é estuprador em potencial etc. Uma colega feminazi demente dela falou pra ela estar sempre preparada para chamar a polícia, uma feminazi famosinha disse a ela que me namorar era um "comportamento de risco" (me comparou a usar crack, compartilhar seringas etc rs). Ela, é claro, já chegou a pensar assim de machistas, antes de me conhecer. Quando nos conhecemos, eu era meio que considerado o pior de todos por várias feministas. Da mesma forma que conhecê -la me fez ver a pessoa doce e me levou a amá-la e admirá-la, deixando de lado o preconceito que tinha e entendendo a diferença entre ideologia e ser humano, com ela aconteceu o mesmo.

Sobre o Doutrina, pra mim ele é o maior mestre que a Real já teve e quem mais me influenciou e ainda influencia.

Mas como assim namorar com feminazi confrade?...Digo no sentido objetivo mesmo, já que subjetivamente o livre-arbítrio concede a possibilidade de namorar com quem quiserem.

Eu realmente fiquei impressionado com o relato do confrade Lawliet aqui no post sobre ser apaixonado por uma feminazi. Ela continua sendo?...Se sim, como isso é possível? E em vista do que? Fornicação?...Você não é cristão? Porque matrimônio cristão é impossível de se manter com uma feminazi, óbvio.

Como dissociar a pessoa daquilo que ela tem como ideologia?

"Da mesma forma que conhecê -la me fez ver a pessoa doce e me levou a amá-la e admirá-la, deixando de lado o preconceito que tinha e entendendo a diferença entre ideologia e ser humano, com ela aconteceu o mesmo."

O ser humano é exatamente aquilo que ele tem como verdadeiro, belo e bom (porque é isso que transcende do Ser). Então ele vai agir certo ou errado, bem ou mal conforme assentir com o que é ou não bom pra si....ele vai se sensibilizar, fruir, e admirar por aquilo que tem como belo....e vai se moldar interiormente, se orientar nas decisões e dar respostas para si mesmo e para a sociedade conforme aquilo que ele entender como verdadeiro.

Ou seja, o ser humano é todo o conjunto daquilo que demonstra ser nas suas ações, admirações e gostos sensíveis, conhecimentos e crenças. A não ser que consiga ser falso 24 horas por dia e em todos esses quesitos. Como então dissociar a pessoa daquilo que ela tem como ideologia?

Acredito que sua noiva não é mais feminazi. Ou então ela nunca foi, mesmo dizendo que era, tipo sem entender a ideologia, como, por exemplo, quando um qualquer diz ser comunista, mas nem sabe o que significa isso. Estou certo?

"Da mesma forma como a maioria aqui acha que toda feminazi do mundo usa roupas curtas e nao respeita namorado, também a maioria das feministas acham que todo machista é possessivo, agressivo, infiel, bate em mulher, é estuprador em potencial etc. Uma colega feminazi demente dela falou pra ela estar sempre preparada para chamar a polícia, uma feminazi famosinha disse a ela que me namorar era um "comportamento de risco" (me comparou a usar crack, compartilhar seringas etc rs). Ela, é claro, já chegou a pensar assim de machistas, antes de me conhecer. Quando nos conhecemos, eu era meio que considerado o pior de todos por várias feministas. Da mesma forma que conhecê -la me fez ver a pessoa doce e me levou a amá-la e admirá-la, deixando de lado o preconceito que tinha e entendendo a diferença entre ideologia e ser humano, com ela aconteceu o mesmo."

A antítese do machismo não é o feminazismo. O machismo no máximo seria um vício por excesso, isto é, um exagero do temperamento natural do homem devido a masculinidade, virilidade. A antítese do machismo seria, na mulher, o excesso de delicadeza, sensibilidade, fragilidade, devido a feminilidade que lhe é própria naturalmente.

feminazismo é ideologia oriunda da doutrina igualitarista liberal, portanto diabólica (e por óbvio fabricada). E assim extremamente nociva para a sociedade. O machismo não chega nem às unhas do mau que é o feminazismo. Nem ideologia o machismo é.

Bater em mulheres ou realizar contra elas qualquer violência é desvio moral gravíssimo e crime com pena prevista em lei e não uma consequência de machismo. Ser possessivo, infiel, agressivo, e ter ciúmes doentios, são desvios morais e mentais graves, e não consequência de machismo.

Repito, a antítese do machismo não é o feminazismo. Então qual o motivo e sentido da comparação dos efeitos feminazismo x machismo entre vocês dois, sendo que um termo é signo de ideologia das mais diabólicas possíveis oriunda do liberalismo igualitário e o outro termo designa apenas vício de temperamento masculino?

De fato estou boquiaberto, considerando, logicamente, que ela é mesma feminazi. Mas espero que não, para o seu bem e o dela (Deus vos livre), e para menor perplexidade para os confrades do fórum.

Quanto aos elogios que você tece a ela:

"...Corto meu dedo mindinho e peço pro barao mudar meu nome no fórum pra lawlyet lula se ela um dia for capaz de me desrespeitar ou desrespeitar a si mesma. Ela é uma pessoa muito inteligente e boa, além de possuir uma tremenda força de caráter, mas além disso é uma pessoa que me ama verdadeiramente e nunca seria capaz de me magoar..."

...espero que de maneira alguma o confrade me entenda mal, não a estou julgando subjetivamente, e na verdade nem é uma questão só dela, mas de qualquer ser humano vivo. Nenhum homem ou mulher nesta vida seria capaz de ter certeza que cumpriria tal feito que você narra acima. Eles podem passar a vida inteira sem magoar ou desrespeitar o parceiro(a). Mas ter a certeza que jamais farão isso é impossível.

Santo Agostinho disse certa vez que ao vermos um vício ou pecado gravíssimo sendo praticado por alguém nunca olhemos para aquela pessoa com olhar de superioridade moral como se jamais fôssemos capazes de cometer o mesmo vício ou pecado. Pelo contrário, saibamos que, devido a nossa natureza decaída, "qualquer homem vivo é capaz de cometer o pior pecado que qualquer outro já cometeu e não tem a certeza de que nunca o fará um dia" (Sto Agostinho).

Daí, meu caro confrade, vejo que estás meio que iludido. Não no sentido de confiar na índole da moça, se ela é virtuosa nada mais justo, porém digo no sentido de exaltá-la mais que a uma santa, posto que nem uma santa viva teria tanta certeza sobre si mesma.
Law,

Tenho a mesma visão que o confrade Teophilo.
Espero, de coração, que você não esteja tão iludido. Por que, por melhor que seja uma pessoa, somos todos humanos. Por favor, não me entenda mal, não sou revoltado contra as mulheres, sou casado e amo a minha esposa. Mas não espero isso de ninguém. O John Romano nos alertava de que nenhum homem está livre de acordar, no próximo dia, com a testa enfeitada. Nenhum. Ninguém pode ter certeza de nada.
Sobre o Doutrina, também o considero o maior dos mestres da Real. Ele, com certeza, superou NA. Tenho muita vontade de, um dia, encontrá-lo pessoalmente, e poder apertar a sua mão e dizer obrigado, olhando nos seus olhos. Já agradeci a ele e ao NA, via ask.fm, mas não é a mesma coisa.
Continuo no aguardo de mais informações sobre o Shibumismo.

Confrade Don Welzo,
Quando eu falei sobre masculinidade e gentileza, estava me referindo a mim. Eu procuro ser viril, mas gentil e educado com as pessoas. Acho que não são excludentes.

Sorine,
Pelo nível dos comentários do confrade Teophilo, acho que temos um novo " Navarre " novamente no forum. Assim como considero o Tiago ( sumido também infelizmente ) e o Raito, como " Navarres ", e , consequentemente, patrimônios bufalescos de honra.

Abraços a todos!!
O que é Navarre?
Don Welzo,

Navarre foi um dos confrades mais iluminados que já passou aqui pelo forum. Procure pelos textos dele.
Inteligência, bom senso, respeito. Ele deu uma contribuição enorme a todos nós, aqui do FB.
Uma pena que ele não apareça mais.

Abraços,
Teophilo. Nada do que você disse contraria as coisas que eu disse. Por exemplo: a comparação entre machismo e feminazismo foi em relação ao modo como está sendo vjsto hoje em dia (da forma errada) o machismo. O shibumismo desde o começo diz q o machismo eh bom e o ponto central dele eh q sem machismo verdadeiro um homem nao pode ser um cristao verdadeiro e q sem cristianismo tb n pode ser machista. Tudo o q vc disse sao coisas q venho dizendo. A diferença é que costumo escrever de forma menos detalhada e mtas vezes polemica e com trolladas justamente para forçar em quem lê o questionamento para aumentar as possibilidades de diálogo. O ano todo venho planejando fazer um live com calma, mas numa encontro tempo

Lembrando q minha maior influência é justamente o Chesterton, que para muitos cristãos pode parecer confuso na primeira leitura, mas dps q se acostumam nao conseguem mais largar.

Sobre relacionamentos, uma grande influencia q tenho é o padre charbonneau, que escreveu uma obra excelente sobre o tema (antes de cair no erro, infelizmente)

A noite tento ver se respondo tudo .

Enquanto isso, quero dar uma demonstração.. gostaria de pedir a todos os confrades que respondessem c calma o seguinte:

1. O maior problema do feminazismo
2. Refutação da falácia da cultura de estupro
1- Ter destruído a família tradicional.
2- Não tenho idéia.
Lá vai.

1 - Pior que o feminazismo, são os homens que se deixam influenciar pelo feminazismo. Por exemplo, eu critico as leis misândricas de divórcio e que violam a presunção de inocência. Grande parte delas, foram projetos de lei, criados e aprovados por homens. E se não existissem homens pra ser CSP, COB, etc; elas não poderiam ter o comportamento que tem.

2 - Não existe "cultura do estupro", primeiro porque grande parte das denúncias são falsas, em torno de 80% ( http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-ci...dnez6crwwe ), segundo porque a sociedade não tolera estuprador. Estuprador é linchado, quando não estuprado e torturado diariamente na prisão.

Se eu criar uma série com um assassino de aluguel e um estuprador, é mais fácil fazer a sociedade admirar um assassino de aluguel que admirar um estuprador. Aliais, eu consigo imaginar a sociedade admirando traficantes, mafiosos, políticos corruptos, mas não estupradores. Tem mais sentido falar em cultura do homicídio, cultura do tráfico, cultura do contrabando, que cultura do estupro.

-----------------------------------------------------------

E Law, qual o problema com a crença gnóstica em si? Eu sei que alguns gnósticos se tornam misóginos por causa da interpretação equivocada e acreditar que as mulheres são "a porta de entrada pra este mundo amaldiçoado e criado pelo demiurgo", mas tem cristãos que acreditam que a mulher é responsável pela queda no paraíso. Infelizmente o pessoal pode usar de interpretações equivocadas de qualquer religião, pra justificar misoginia.

ATENÇÃO : Não estou acusando os cristãos, o cristianismo, a gnose ou os gnósticos de serem misgóginos, só estou falando de uma possível interpretação. Peço perdão se for entendido de forma equivocada
O problema é q a gnose é inimigona da ICAR por causa de umas paradas acontecidas aí a milênios. Então é meio que dogma que um cristão deve combatê-la e ponto final.

Quem manja mais dessa história pode explicar melhor, mas basicamente é isso aí.

Se bem que essa guerra eu ignoro pq hj em dia até a ICAR tá lotada de gnose e os papos "esotéricos" do NA eu simplesmente dava risada e ignorava, então... pq me importar.
(16-07-2015, 06:12 PM)Heavy Metal Escreveu: [ -> ]1- Ter destruído a família tradicional.

...completo o que o Heavy falou que pelo fato o feminazismo ter destruído a familia tradicional, isto alcançou o "calcanhar de aquiles" de Cristo, pois Ele (Cristo) tem a família como a menina dos olhos e o Diabo ataca nisto.

Eu como sou Cristão, iria elevar este conversa para o lado mais espiritual, mas não quero ser chamado de bitolado ou fanático, principalmente pelo Law e Barão os quais respeito muito.
(16-07-2015, 07:23 PM)Gary Holt Escreveu: [ -> ]
(16-07-2015, 06:12 PM)Heavy Metal Escreveu: [ -> ]1- Ter destruído a família tradicional.

...completo o que o Heavy falou que pelo fato o feminazismo ter destruído a familia tradicional, isto alcançou o "calcanhar de aquiles" de Cristo, pois Ele (Cristo) tem a família como a menina dos olhos e o Diabo ataca nisto.

Eu como sou Cristão, iria elevar este conversa para o lado mais espiritual, mas não quero ser chamado de bitolado ou fanático, principalmente pelo Law e Barão os quais respeito muito.

O mal, sem proselitismo, vem tentando se manifestar na família ha muito tempo e sempre escolheu as mulheres como alvo.

A serpente não seduziu adão.
Respostas :

1) Desvirtuar preceitos básicos da evolução. Igualar coisas(falando de gêneros) diferentes, que pensam diferente, agem diferente e esperam resultados diferentes e lidam com os mesmos de forma diferente. Igualar artificialmente o que é complementar, e devia , deve e deveria,continuar sendo.

2) Não tento. Refutar algo que não existe , é atribuir a esse algo (inexistente ) a dádiva da realidade Ninguém tenta provar que não existem vampiros. Ou tornar tangíveis lobisomens. Pelo desnecessário da tarefa ela se torna dispensável.
Voltei.. vou tentar responder com calma agora.

tentando respodner perguntar q tinha esquecido:

Heavy Metal,

Lawlyet_w ou Lawlyet Wallace era meu nick no começo... já faz um tempo que mudei pra Lawlyet Leonardo. Meu nome real é Leonardo.

Para se cadastrar no site é só usar o face pra ter a conta criada instantaneamente. Não precisa de nada além disso. O que ganha tendo usuário lá? É uma rede social, então poderá adicionar amigos, usar o chat estilo face, participar do forum e dos grupos, abrir um blog etc.

sideghx,

Não vemos a paixão como algo ruim, mas sim como uma coisa que pode tanto ser boa como ruim. é necessário discernir que paixão é e como ela age... e o problema também não seria o tamanho ou a força da paixão, mas o tamanho e a força do indivíduo. Ele vai usar aquilo para o bem? ou aquilo irá levá-lo para o mal? Ele conseguirá se manter no caminho correto? Ele continuará fazendo o que é certo sempre? Entende? Podemos fazer uma analogia, vendo a paixão como o tempero e o amor como a comida:

Se a comida for ruim, um bom tempero vai disfarçar e a comida passará por boa. Digamos que algum restaurante malandro não conseguiu vender todo estoque de carne a tempo e acabou com um monte de carne vencida... a carne começa a cheirar mal. o que os malandros fazem? enchem de tempero para poder vender a carne sem que o cliente perceba. Você vai e come a carne a acha uma delícia. O que acontece? Depois de um tempo passa mal.

Em outros casos, poderiamos ter uma comida insubstanciosa... não está estragada, mas também não é uma boa comida.. digamos que é oleosa, sem proteína, cheia de farinha etc. Mas o tempero é magnífico. Você se deixa levar pelo tempero e passa a comer aquilo todos os dias no intervalo do trabalho. Não vai passar mal, afinal, não está estragada. Porém, vai começar a ficar mais fraco, anêmico etc., afinal, está se entupindo de junk-food todos os dias.

Agora temos um caso em que a comida é excelente. Carbo e proteína da mais alta qualidade. Perfeita para treinar e se manter. Supre tudo que seu corpo necessita. Mas o tempero é uma porcaria. Você pode comer aquilo por algum tempo, mas logo vai se cansar e não vai mais conseguir engolir aquilo sem fazer careta.

Vamos então colocar algum tempero nessa boa comida. Podemos ter um tempero fraco ou um tempero forte. o tempero fraco talvez possa ser fácil de engolir, mas logo vc vai achar aquilo muito sem graça e enjoar. Não importa se o tempero é de boa ou de má qualidade... é fraco demais pra fazer alguma diferença. Porém, se o tempero for forte, você pode gostar na hora ou levar um tempo para desenvolver o gosto... se for forte, mas ruim (como uma calda de chocolate açucarada), vc gosta no começo, mas logo enjoa. mas se o tempero forte for de boa qualidade, talvez você leve um tempo para cultivar gosto por ele, mas depois nunca mais aceitará outro: aquele gosto será único para você...

Entende o que eu quis dizer com essas analogias?

A questão é como você escolhe a comida e o tempero... Quando alguém diz que um cara fez merda porque estava apegado ou apaixonado, ele está passando a mão na cabeça do culpado. O cara fez merda porque foi fraco, porque foi inconsequente, irresponsável, porque não quis pensar. Não foi paixão ou apego que o levou a fazer alguma bobagem: foi a fraqueza de caráter dele. Não foi uma "paixão cega" que o levou a escolher mal: foi irresponsabilidade, juvenice, fraqueza e incapacidade que o levaram a escolher mal. Paixão e apego não deixam ninguém na Matrix: o cara se coloca na Matrix por escolha própria, por querer racionalizar, arrumar desculpas para continuar naquele erro. Ele não quer sair do erro, ele está acomodado e não troca por nada.

Cheguei. vou ver se arrumo tempo pra responder mais
(17-07-2015, 03:11 AM)lawlyet_w Escreveu: [ -> ]sideghx,

Não vemos a paixão como algo ruim, mas sim como uma coisa que pode tanto ser boa como ruim. é necessário discernir que paixão é e como ela age... e o problema também não seria o tamanho ou a força da paixão, mas o tamanho e a força do indivíduo. Ele vai usar aquilo para o bem? ou aquilo irá levá-lo para o mal? Ele conseguirá se manter no caminho correto? Ele continuará fazendo o que é certo sempre? Entende? Podemos fazer uma analogia, vendo a paixão como o tempero e o amor como a comida:

A paixão por si mesma de fato não é má. Entretanto, qualquer coisa que venha a tolher a razão, isto é, a ordem à perfeição, por mínimo que seja, e a faz mudar, por isso e mesmo que apenas um pouco, a ordem dos bens, ou o conhecimento dos próprios bens, ou o quanto deve-se desejar tais ou quais bens com a devida intensidade que seja proporcional aos seus valores, é sim má. Pois, pode-se dizer que é quase impossível que se mantenha intacta a ordem para a perfeição quando se tem paixão por certa mulher ou qualquer outro tipo de paixão. O homem, depois da condição primeva adâmica, jamais terá completo controle sobre sua parte inferior, isto é, os apetites sensitivos, para onde se voltam as paixões ou afecções da alma e não raro os desordena.

Daí o perigo de não ver a paixão como algo para se ter muita cautela, e não a deixar a cargo apenas da força do indivíduo. Ora, se nos balizarmos pelos melhores dos homens dentre eles, os sábios e santos, vemos que estes evitavam esse tipo de paixão e outras, não porque a paixão em si fosse má ou porque não queriam ter mulheres (por si só), haja vista que muitos deles foram casados. Mas porque sabiam o quão perigoso era se apaixonar, posto que, nas visões e experiências deles, seria quase impossível manter, sobretudo nesse tipo de paixão, a perfeição da ordem dos afetos de modo a não turvar, o mínimo que fosse, a razão. Se tão árdua era/é para os mais perfeitos a lida com as paixões, imagina para um homem médio apenas?

A paixão, por causa da condição decaída do homem, não é uma questão apenas de ser um terreno para indivíduos de força, porque mesmo eles (os sábios e santos) evitavam a fio tal terreno, e prudentemente o faziam (com efeito, mesmo "o justo cairá sete vezes"... que dirá o homem médio). Não é algo que vá depender tão facilmente assim apenas do tamanho da força de cada um, se assim se considera aproxima-se demais, tal afirmação, do nefasto liberalismo da consciência, mais uma obra da soberba humana, a qual também cria as condições para que alguns se auto intitulem fortes, já mostrando o quão fracos são por ausência de humildade.
Paixão é quando se foca muita energia em algo. Quem trabalha com paixão, é quem trabalha com bastante foco, energia e entusiasmo naquilo.

Sem paixão, seríamos simplesmente mortos-vivos. Estaríamos vivos, mas mortos. É a paixão que nos anima a fazer as coisas.

Problema da paixão amorosa: cegueira. A pessoa fica tão focada e entusiasmada com o ser amado que perde o foco de sua racionalidade.

Do problema da paixão amorosa, todo mundo aqui no fórum sabe disso (ou deveria saber). Se a paixão pode ser algo bom, então certamente é aquela que não orferece cegueira, mas que dar o calor necessário para que o relacionamento perdure.

Creio que seja algo assim que está tentando ser dito.
Perceba que não há como simplificar demais o tema abordado, ele tem certo grau de complexidade.

Como disse, a paixão por si mesma não é má. Porque em si mesma ela é apenas um movimento ou inclinação intensa do apetite sensitivo para algo.

As paixões se tornam más quando contrariam de alguma forma a razão, por mínima que seja essa contrariedade, não apenas quando a cega. Pois quando a razão chega a esse estado, o da cegueira, a paixão que a cegou já se tornou má em grau máximo, uma vez que a pessoa acometida por tal situação já não agiria voluntariamente, mas seria guiada apenas pelo seu apetite sensitivo.

Ora, não somente por atingir seu grau máximo de imperfeição a paixão se torna má, mas também por turvar minimamente a razão, ou mesmo no sentido de não a permitir conhecer o quanto de valor possui de fato um bem em relação a um bem-último ou intermediário melhor. Daí segue que, se a razão estiver turvada, também estariam os afetos voltados para o bem pelo qual se está apaixonado, desproporcionais ao valor que esse mesmo bem possui.

Quem está apaixonado pelo seu trabalho ou pelo seus estudos ou por sua empresa ou por um esporte ou por um entretenimento ou por uma mulher, só terá uma boa paixão se, e somente se, esta não ter a intensidade desproporcional ao valor que caberia a um destes bens por ela apetecidos, tomando como referência todos os outros bens da vida dessa pessoa, juntamente com os bens intermediários melhores e o bem-último.

Um bem tanto mais é digno de por ele alguém se apaixonar quanto mais elevado ele é em relação a si mesmo, no que diz respeito a seu fim, e em relação ao bem-último, e não em relação ao que a pessoa que se apaixona opina que seja. Então a intensidade adequada da paixão deve se medir pela dignidade mesma do bem, e isso se verifica pela razão, a qual quanto mais reta for mais adequadamente informará sobre o bem que se pretende apetecer.

Este feito seria possível, portanto, apenas aos homens perfeitos na moral (no sentido ortodoxo), ou seja, aos sábios e santos dentre os homens. Seria possível àqueles que agem com perfeição em todas as suas ações tomadas em conjunto e não somente em algumas delas tomadas separadamente. "O ofício do sábio é colocar ordem nas coisas" (S. Tomás de Aquino citando Aristóteles). Estes acabam por ordenar as coisas, pela reta razão e por atingirem um alto grau nas virtudes, aos seus devidos fins, de modo que nenhuma delas se tornem bens apetecidos além ou aquém, em relação a outros e ao bem-último.

Não é simplesmente por uma questão apenas de o quão um ou outro, em um sentido generalista e heterodoxo, se mostre mais ou menos forte em relação a paixão que sofre e nem por um simples dispender de energia para dar sentido nas ações que se verifica se a paixão é boa ou má.

A condição para essa verificação está mais próxima do homem virtuoso, aquele que tem toda a sua vida ordenada, já que nada tende a apetecer mais ou menos do que é devido ou desejar aquilo que, antes, deve-se desprezar (por isso chamada de vida perfeita), do que do homem médio. Ou seja, não é para qualquer um que se pretenda forte, a não ser que tenha tendência ao liberalismo da consciência e se auto proclame como tal.

Assim sendo, no que diz respeito as paixões amorosas, pode-se dizer que uma perfeita paixão por uma mulher, ou seja, uma paixão bem ordenada, portanto boa, não é para qualquer um forte, mas para um forte sábio e santo, um homem virtuoso e experiente na lida com os apetites, e que não se deixaria levar pelos afetos desordenados. Este é o que saberia "dar o calor necessário para o relacionamento". Não iria apetecer além daquilo que deveria, a mulher.

E isso é raríssimo, pois mesmo quando se acredita que se ama bem, porque bem se sente no amor, não quer dizer que de fato amando bem se está. Não é correto o uso de um critério meramente subjetivo para analisar se a paixão está sendo boa ou má. Tudo dependerá da ordem que ocupa o desejo pela mulher ou o seu apetecer em relação ao todo que se pode e/ou deve desejar e/ou apetecer sensivelmente. E por isso a boa paixão esta mais para virtuosíssimos, sobretudo esse tipo homem x mulher. E devido a dificuldade em ordenar corretamente os apetites sensitivos afetados por esse tipo de paixão, tais homens se mantiveram (e se mantêm) prudentíssimos em relação a ela, e alguns até escreveram sobre os malefícios de sua desordem.

Quando não sentida por virtuosos, pelos motivos apontados, a experiência que temos ao vermos o que a paixão homem x mulher faz por aí fala por si mesma, e não estou me referindo apenas a casos extremos, antes fosse. No cotidiano mesmo vemos os desequilíbrios de homens e mulheres por causa de suas paixões, e é de causar dó. Casos extremos também têm aumentado.

"Tamanho da força de cada indivíduo" pressupõe um sentido bastante simples, indeterminado e subjetivo para verificar se a paixão Homem x Mulher será boa ou má. Sobretudo esse tipo de paixão, porque muito intensa ela se torna por causa dos prazeres que da relação derivam.

P.S.: Entenda homem perfeito tanto quanto lhe seja possível a perfeição numa natureza decaída. E por isso mesmo necessitado de algo que lhe ajude além de suas forças: a graça.
Diante da paixão amorosa se pode se esforçar para manter a racionalidade (o que gera luta) ou mergulhar nela (o que gera irracionaidade).

O problema é a cegueira.

E o mecanismo que foi exposto (muito bem, diga-se) só confirma isso.
Eu entendo agora.. realmente o gnosticismo acabou sendo meio que uma base para a Real, já que tomaram Nessahan Alita como um precursor..

Lembrando que nos trabalhos de Alita, ele nao se coloca como líder de nada, nem precursor de nada e suas obras são passíveis de contestação, ele como filósofo, tentou formar mais filósofos. E acho que o Lawlyet fez a parte dele, bem embasada sua filosofia, parabens!
(06-08-2015, 04:59 AM)canislupus Escreveu: [ -> ]Eu entendo agora.. realmente o gnosticismo acabou sendo meio que uma base para a Real, já que tomaram Nessahan Alita como um precursor..

Lembrando que nos trabalhos de Alita, ele nao se coloca como líder de nada, nem precursor de nada e suas obras são passíveis de contestação, ele como filósofo, tentou formar mais filósofos. E acho que o Lawlyet fez a parte dele, bem embasada sua filosofia, parabens!
Muito obrigado mesmo Big Grin
Uma coisa sobre a paixão : vejo c preocupação essa idéia de evitar se apaixonar, uma vez que é preciso saber lidar com sentimentos. Vi muitos casos de membros que sempre evitavam se apaixonar e qdo se apaixonavam nao sabiam lidar. Parece que o ceticismo e insensibilidade os fazia perder o discernimento : mtos se envolviam com os piores tipos, se apaixonavam, nao conseguiam lidar com isso e voltavam culpando a paixao ou a matrix (teve quem me contasse com detalhes em privado, e realmente era tenso). Em muitos casos havia um padrão... é como num filme do Rocky, onde Apollo, antes de treiná-lo, diz q ele se acostumou com a vida mansa trazida pela fama e já nao era mais capaz de treinar e lutar como antes, que havia perdido o Olho do Tigre, e, então, leva o Rocky para treinar na academia underground onde treinavam os iniciantes que enfrentavam dificuldades e tinham que se desdobrar para vencer a vida dura que levavam.
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7