Fórum do Búfalo

Versão Completa: Efemeridade da vida
Esta é uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Páginas: 1 2
Temas sobre masculinidade sempre me fascinaram e fascinam. E refletindo sobre mais um livro incrível que descreve o universo masculino, sobre experiências pessoais e as discussões aqui do fórum, eu tive um insigth acerca da brevidade e e efemeridade da nossa existência nesse mundo, da importância desmedida que damos a nós mesmos e de como entender e aceitar isso, pode nos transformar em homens melhores.

[Imagem: Meridiano-de-Sangue.jpg]

Meridiano de Sangue é um livro cruel. Que descreve e mostra o mundo de forma nua e crua sem frescuras, e com bastante sangue. É um livro que exala testosterona e retrata o universo masculino de forma única. Lendo as palavras que lá foram escritas, e relembrando de coisas que passei, eu me dei conta, como já falei, da efemeridade da nossa existência, e que a essência do que é ser homem reside em estar em constante "conflito" com a nossa própria situação. O mundo não liga para nós e não se importa em nos destruir. Precisamos reagir de alguma forma.

O que me levou a discorrer esse tópico foi essa passagem fantástica:

Citar:Em uma elevação no extremo oeste da playa eles passaram por uma rústica cruz de madeira onde maricopas haviam crucificado um apache. O cadáver mumificado pendia de seu mastro com a boca escancarada num buraco brutal, uma coisa de couro e osso areada pelos ventos abrasivos de púmice vindos do lago e com a branca armação das costelas entrevendose pelos farrapos de pele que pendiam de seu peito. Seguiram em frente. 1


Os cavalos marchavam sombriamente no solo alienígena e a terra redonda rolava sob eles em silêncio como uma mó girando no vácuo ainda maior onde estavam contidos. Na austeridade neutra daquela região a todos os fenômenos era legada uma estranha equanimidade e nem uma única criatura fosse uma aranha fosse uma pedra fosse uma folha de mato podia reclamar precedência. 2

A própria clareza desses entes desmentia sua familiaridade, pois o olhar atribui predicado ao todo com base em algum traço ou parte e ali nenhuma coisa era mais luminosa que outra e nenhuma mais ensombrecida e na democracia óptica de tais panoramas toda preferência é tornada em capricho e um homem e uma pedra veem-se dotados de afinidades insuspeitas.
3

A profundidade dessa passagem é muito grande e é um chamado a nossa masculinidade encoberta por esse monte de boiolagens de hoje em dia. No ponto 1, podemos fazer uma analogia entre a situação do índio crucificado com a crueldade e horror que é o mundo em diversos momentos e situações. Todos nós realistas, sabemos qu o mundo não é justo, e que muitas vezes não é bonito, mas o que os homens que perceberam o horror dessa situação fizeram. Pararam e choraram igual umas maricas como vc faria, ou seguiram em frente, mesmo dado o perigo e horror da situação? Seguiram em frente. Independente do que acontece ou apareça, o homem deve seguir em frente no seu propósito. O mundo não é nem um pouco belo para quem é fraco, e ele vai te destruir sem se importar nem um pouco se vc não reagir. Muitos foram, muitos virão, e o seu papel aqui é lutar para seguir em frente até onde for possível. Isso é inerente a masculinidade. Não afrouxar ou perder o controle em situações difíceis, perigosas ou horríveis.

Aliás uma lição que é muito evidente ao longo de toda a narrativa é que qualquer um, seja homens ou animais, que demonstrem fraqueza, são imediatamente eliminados e substituídos. O mundo espera alguma coisa em troca. Seus amigos não são legais com vc? Seus pais não gostam de vc? Sua namorada caga e anda pra vc? Talvez o problema não sejam os outros e sim vc que não agrega nada a ninguém e não tem um propósito de vida. Quem que vai querer andar do lado de um fracassado?

Você sempre estará sendo testado e colocado a prova, e isso não te faz especial. Seus problemas não são os maiores do mundo, e debaixo do firmamento, vc e uma pedra tem o mesmo valor, como veremos adiante. A nosso única vantagem em relação as demais coisas do mundo é ter a possibilidade de ter a consciência dessa situação. Com base nisso temos a obrigação de fazer alguma coisa com as nossas vidas, afinal, ao mesmo tempo que são efêmeras, são únicas, e só terá sentido se tivermos um propósito. Sem um propósito somos como uma maldita pedra. Totalmente indiferentes.

[Imagem: NicholasBuerAstrophotography18.jpg]
Será mesmo que vc é tão importante assim o quanto acha que é, paspalho?!

No ponto 2, podemos perceber que nada é especial por aqui, e uma coisa de ruim que me acontece, pode acontecer com qualquer um e vice-e versa. Como eu falei, a princípio temos todos o mesmo valor, o que vai nos diferenciar é o que fazemos com a vida que nos foi dada.

Recentemente eu vi um juvena aqui se queixando que não sabe nada de nada e a vida está sendo dura com ele. Veja bem paspalho, se vc estiver lendo isso, entenda que a VIDA é uma constante que nunca para. A partir do momento que um organismo para de reagir, ele pode ser considerado como morto, e outra coisa virá em seu lugar e em pouco tempo este será esquecido. Seja uma árvore, seja seu cachorrinho, seja vc mesmo. Se vc quer se orgulhar de poder viver, honrar o que lhe foi dado e se sentir grato e feliz, REAJA. A inércia significa morte. Não é a realidade que precisa se ajustar a nós. Nós precisamos nos ajustar a realidade de que vida é ação. Veja que no trecho do livro isso fica bem explicito. O mundo vai girando, e girando, sem nunca se interromper, e os homens permanecem vivos e interados, pq vão atrás de seus propósitos. Isso é viver.

Esperar chorando em um quarto escuro que alguém tenha piedade de vc é ridículo e só vai fazer com que vc se autodestrua. Lembre-se, INÉRCIA É MORTE.

[Imagem: Forrest-Gump.jpg]
Siga em frente, que eu prometo que sua vida melhorará.

O ponto 3 apenas sintetiza a ideia que eu tentei passar aqui. Que mesmo vc sendo um cara útil, rico, famoso, etc., logo isso também vai passar. Já leu Eclesiastes hoje paspalhão? Esse é um paradoxo que o realista precisa entender, a vida é muito importante e um grande milagre, ao mesmo tempo que é efêmera e passageira, e vc só vai se sentir grato por ela, se viver por um propósito que vai além de si mesmo.

É interessante notar que essa ideia de efemeridade é bastante explicita no livro todo, onde o próprio personagem que deveria ser o principal, praticamente não passa de um coadjuvante que vê os fatos de longe e tem pouca importância na tomada de decisões. Alias a vida toda dele se mostra apenas como mais uma. É subordinado á um sujeito 3 bolas bastante cruel que percebeu também que tudo é vaidade, e quem escreve a nossa história somos nós mesmos, e não as circunstâncias como os vitimistas esquermerdistas e manginas gostam de dizer. E que se vc viesse se vitimizando pela situação lamentável ao qual se encontra, ele lhe meteria uma bala no meio das fuças. Se está ruim, se vire para mudar o jogo. Ele é um cara que tem a própria vida muito bem colocada nas próprias mãos, não exita na hora de agir.

Nos da lição de que se permanecermos acovardados não seremos lembrados por nada. A masculinidade gira em torno de legados, e de um constante conflito contra o mundo que tenta nos derrubar muitas vezes. Um realista entende isso, e participa desse conflito de forma a vencer a si mesmo e as forças hostis, e faz algo em prol de ajudar os demais a sair dessa situação de morte, de inercia. Por isso a minha reflexão, por isso os relatos, por isso o fórum, por isso a real e a masculinidade como um todo.

[Imagem: Screen+shot+2011-02-14+at+8.15.48+PM.png]
Sua namorada te largou? Nossa, que triste. Não pode ver aquele filme novo? Foda. Não passou naquele concurso? Que ruim. Mas e ai, vai ficar ai chorando feito um mongolão?

TOME O CONTROLE DA SUA DROGA DE VIDA ANTES QUE ELA PASSE, E COMO DIZ O MESTRE PRAGA, NÃO ADIANTA SE LAMENTAR QUANDO ESTIVER COM O PÉ NA COVA!
Muito bom confrade.
Muito bom confrade, caiu como uma luva para mim, sei da minha responsabilidade perante a minha vida, mas de vez em quando gosto de ficar de MI MI, reclamando da vida e culpando os outros pelas tristezas e derrotas que se abateram sobre a minha vida.
Me falaram deste tópico e vim checar.

Que deleite, meu caro! Obrigado pela reflexão.

A sorte beneficia os bravos, já dizia um grande conquistador macedônio. Sempre avante, onde cada ferida, dor e dificuldade nos produzam mais calos para enfrentar as agruras da vida.

Qualquer ser que tentar (inutilmente, claro) fugir de tais demônios só produzirá mais confusão, desgraça e sofrimento no seu caminho, caminho este onde é bem claro que a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional.

Sábia lembrança de Eclesiastes. Deus abençoe a criação de tão magnânima obra.

Abraço, Herculles, sempre avante meu amigo.
Parabéns, de novo, Hércules. Em algum lugar,e em algum tempo, homens vão se perguntar : "era assim que os homens eram ?"
Muito bom. Confradre sabe escrever bem e tem reflexões excelentes.

(06-01-2016, 05:00 PM)Herculles Escreveu: [ -> ]É interessante notar que essa ideia de efemeridade é bastante explicita no livro todo, onde o próprio personagem que deveria ser o principal, praticamente não passa de um coadjuvante que vê os fatos de longe e tem pouca importância na tomada de decisões. Alias a vida toda dele se mostra apenas como mais uma. É subordinado á um sujeito 3 bolas bastante cruel que percebeu também que tudo é vaidade, e quem escreve a nossa história somos nós mesmos, e não as circunstâncias como os vitimistas esquermerdistas e manginas gostam de dizer. E que se vc viesse se vitimizando pela situação lamentável ao qual se encontra, ele lhe meteria uma bala no meio das fuças. Se está ruim, se vire para mudar o jogo. Ele é um cara que tem a própria vida muito bem colocada nas próprias mãos, não exita na hora de agir.

Nos da lição de que se permanecermos acovardados não seremos lembrados por nada. A masculinidade gira em torno de legados, e de um constante conflito contra o mundo que tenta nos derrubar muitas vezes. Um realista entende isso, e participa desse conflito de forma a vencer a si mesmo e as forças hostis, e faz algo em prol de ajudar os demais a sair dessa situação de morte, de inercia. Por isso a minha reflexão, por isso os relatos, por isso o fórum, por isso a real e a masculinidade como um todo.

Vamos por partes:

1) Não acho que o vitimismo é só exclusividade da esquerda. Atualmente, está se chegando a um relativamente consenso de que está havendo uma migração de vitimistas da esquerda para a direita. Lógico que existe gente séria, comprometida, que realmente produz ótimos legados para os outros, mas a maioria é só vitimista disputando com as esquerda que é mais.

O discurso é excessivamente reativo e enjoativo, não se propõe a nada a não ser criticicar. Se fosse futebol, estariam mais para Mourinhos (no tempo que era técnico do Real Madrid até agora) da vida do que para Guardiola com seu tiki-taka, preocupados excessivamente em ficar se defendendo do que discutir ou propor algo interessante.

Essa realidade é brasileira. Infelizmente não há muito que fazer.

2) "Masculinidade gira em tornos de legados". Exatamente o que queria mostrar, é parar com essa obsesssão crítica e se propor a fazer algo.

Vou fazer tua conclusão da minha, depois de ter exposto os dois acima:

3) Um realista entende isso, e participa desse conflito de forma a vencer a si mesmo e as forças hostis, e faz algo em prol de ajudar os demais a sair dessa situação de morte, de inercia. Por isso a minha reflexão, por isso os relatos, por isso o fórum, por isso a real e a masculinidade como um todo.
Vou comprar!
Interessante essa discussão. Atualmente estou tentando levar tudo para à prática, de modo que levará um tempo para colher os frutos, quando houver algum. Fatores externos influenciam, não indico a ninguém à polarização em crer que alguém pode ter total controle sobre a sua vida e eventos que o cerca, essa é uma das ilusões que nós humanos temos, e que fora discutida por filosofos tais como Descartes, Nietzsche e o tão falado Freud, também é o cerne da discussão da análise do comportamento, e também na TEoria dos jogos, onde a tomada e o efeito das decisões dependem sempre de outro jogador. Mas pior ainda, somos nós quando em tudo aquilo que podemos fazer por nós mesmos, sentamos e ficamos à beira da reflexão e da crítica, que embora tentadoras, em si mesmas não mudam muita coisa.

Ouvi um professor citando Nietzsche, que quando uma pessoa é realizada na vida, ela cessa de temer a morte, pois a vida que viveu já lhe bastou, e vive em gratidão com cada evento que passa, esperando o dia inevitável. Não sei nada sobre a veracidade da discussão, mas não deixa de ser uma reflexão interessante.
Primeiramente obrigado confrades, pela participação e elogios. É muito gratificante saber que esse texto lhes serviu de algo.


(13-01-2016, 12:19 PM)Dança com Lobos Escreveu: [ -> ]Muito bom confrade, caiu como uma luva para mim, sei da minha responsabilidade perante a minha vida, mas de vez em quando gosto de ficar de MI MI, reclamando da vida e culpando os outros pelas tristezas e derrotas que se abateram sobre a minha vida.

A ideia do texto é justamente acender a chama da masculinidade que há em nós. Fazendo que percebamos que muitas das nossas preocupações não passam de mimimi como vc mesmo observou, e que sempre temos a possibilidade de tomar o controle de nossas vidas.

(13-01-2016, 09:57 PM)Azoth Escreveu: [ -> ]Me falaram deste tópico e vim checar.

Que deleite, meu caro! Obrigado pela reflexão.

A sorte beneficia os bravos, já dizia um grande conquistador macedônio. Sempre avante, onde cada ferida, dor e dificuldade nos produzam mais calos para enfrentar as agruras da vida.

Qualquer ser que tentar (inutilmente, claro) fugir de tais demônios só produzirá mais confusão, desgraça e sofrimento no seu caminho, caminho este onde é bem claro que a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional.

Sábia lembrança de Eclesiastes. Deus abençoe a criação de tão magnânima obra.

Abraço, Herculles, sempre avante meu amigo.

Grande Azoth. Que bom vê-lo por aqui. É uma honra para mim. Obrigado pelo comentário. Ve se volta a postar xará. haha

Passagem impecável essa negritada, que poderia até ser tema de um tópico. Só veio a complementar a essência do texto.

Abraço, força e honra confrade.



(14-01-2016, 12:19 AM)Gilgamesh Escreveu: [ -> ]Parabéns, de novo, Hércules. Em algum lugar,e em algum tempo, homens vão se perguntar : "era assim que os homens eram ?"

Obrigado confrade, por sempre participar dos meus tópicos. É uma honra.

Mas acho que não entendi muito bom. Vão se perguntar com relação aos realistas de hj vc diz?
(14-01-2016, 01:32 AM)Don Welzo Escreveu: [ -> ]Muito bom. Confradre sabe escrever bem e tem reflexões excelentes.

Vamos por partes:

1) Não acho que o vitimismo é só exclusividade da esquerda. Atualmente, está se chegando a um relativamente consenso de que está havendo uma migração de vitimistas da esquerda para a direita. Lógico que existe gente séria, comprometida, que realmente produz ótimos legados para os outros, mas a maioria é só vitimista disputando com as esquerda que é mais.

O discurso é excessivamente reativo e enjoativo, não se propõe a nada a não ser criticicar. Se fosse futebol, estariam mais para Mourinhos (no tempo que era técnico do Real Madrid até agora) da vida do que para Guardiola com seu tiki-taka, preocupados excessivamente em ficar se defendendo do que discutir ou propor algo interessante.

Essa realidade é brasileira. Infelizmente não há muito que fazer.

Concordo plenamente. Eu usar esquerdistas para ilustrar pessoas vitimistas foi só uma forma de me fazer mais claro, pois vagabundice manginismo e covardia e esquerda são mais facilmente associáveis yaoming

2) "Masculinidade gira em tornos de legados". Exatamente o que queria mostrar, é parar com essa obsesssão crítica e se propor a fazer algo.

Vou fazer tua conclusão da minha, depois de ter exposto os dois acima:

3) Um realista entende isso, e participa desse conflito de forma a vencer a si mesmo e as forças hostis, e faz algo em prol de ajudar os demais a sair dessa situação de morte, de inercia. Por isso a minha reflexão, por isso os relatos, por isso o fórum, por isso a real e a masculinidade como um todo.

No mais, obrigado confrade pelo feedback!

(14-01-2016, 01:52 AM)Tomazzino Escreveu: [ -> ]Vou comprar!

Não vai se arrepender. Tem em pdf na net também.

(14-01-2016, 01:44 PM)Deuxcartes Escreveu: [ -> ]Interessante essa discussão. Atualmente estou tentando levar tudo para à prática, de modo que levará um tempo para colher os frutos, quando houver algum. Fatores externos influenciam, não indico a ninguém à polarização em crer que alguém pode ter total controle sobre a sua vida e eventos que o cerca, essa é uma das ilusões que nós humanos temos, e que fora discutida por filosofos tais como Descartes, Nietzsche e o tão falado Freud, também é o cerne da discussão da análise do comportamento, e também na TEoria dos jogos, onde a tomada e o efeito das decisões dependem sempre de outro jogador. Mas pior ainda, somos nós quando em tudo aquilo que podemos fazer por nós mesmos, sentamos e ficamos à beira da reflexão e da crítica, que embora tentadoras, em si mesmas não mudam muita coisa.

Ouvi um professor citando Nietzsche, que quando uma pessoa é realizada na vida, ela cessa de temer a morte, pois a vida que viveu já lhe bastou, e vive em gratidão com cada evento que passa, esperando o dia inevitável. Não sei nada sobre a veracidade da discussão, mas não deixa de ser uma reflexão interessante.

A ideia é da não acomodação e um pouco da frieza estoica. Essa filosofia diz que tudo o que não temos controle direto, como outras pessoas, natureza, acontecimentos, etc., não é da nossa conta e não devemos nos frustar nem nos alegrar de mais. Devemos aceitar de bom grado. Temos que considera-lá de forma desapega e efêmera, pois podemos perder tudo a qualquer momento. Nem sobre nosso próprio corpo temos o total controle. O que podemos fazer e controlar são as nossas próprias escolhas, nossa razão e vontade, e ai consiste em não se deixar abalar por acontecimentos que vão além disso. Mas nem por isso vamos nos acomodar, lembrando que inércia é morte.

Mas para atingir esse patamar temos de ter muita vivência e enfrentamento com o mundo. Apenas teorizar jamais produzirá os resultados almejados.

E eu acredito integralmente nessa passagem negritada que vc citou. Um homem que já recebeu muito do mundo e vive em estado de gratidão, que é o que eu busco constantemente, não tará nenhum temor em morrer, talvez viverá uma felicidade plena aqui na terra, fazendo sua vida ser ainda muito mais preenchida, pois entendeu perfeitamente o milagre que é a vida e que sua participação aqui não foi em vão. Isso é o que todos deveriam entender e buscar como meta de vida.
UP

Essa noticia me lembrou desse meu tópico:

Mostrar ConteúdoSpoiler:

Vamos viver pessoal, sair da inércia, escrever nossa história.

Um dia podemos estar planejando uma viagem com nossos colegas de faculdade, no outro estarmos num velório coletivo. A vida é curta e te cobra ação.
Cara, parabéns! Sobretudo pela mensagem inicial do tópico.

Como nunca não vi esse texto no topo? E os caras discutindo sobre lamber briocos e tocar bronhas. facepalm:

Como um texto desse só tem essa quantidade de comentários, irrisória perto do teor do mesmo?

Sobre o tópico em si, de fundamental importância o elemento ação. É a ação - para o bem ou para o mal, cabendo aqui o discernimento e a prudência - que determina exatamente tudo o que acontece no mundo, no real, no imanente etc.

Como as pessoas esperam resultado sem agir?

Como alguns confrades esperar por genuíno desenvolvimento pessoal discutindo por páginas intermináveis de tópicos sobre anilingus e masturbação?

No que depender de mim, tópicos como este ficarão sempre no topo do fórum. Fuckyeah
Obrigado confrade Don. O fórum acaba sendo um espelho de como anda a masculinidade de uma forma geral. Existem membros e discussões edificantes, mas a maior parte da ação ainda fica nas partes irrelevantes.

Mas como fui aconselhado aqui quando estava meio que desanimado com o fórum por conta justamente dessa punhetação mental, é que não dá pra desanimar de tentar fazer um bom trabalho, pois é isso que vai ficar no meu legado aqui e na minha vida.

Vamos seguir chutando a bundo dos paspalhos de plantão, e pra quem for útil esse texto, que faça bom proveito.
Chamou atenção essa parte: "Sem um propósito somos como uma pedra. Totalmente indiferentes."

Ou seja, inertes, sem reação, como descrito no parágrafo seguinte, daí que é preciso reagir pra seguir em frente.
Parabéns pelo texto, confrade, que este tópico seja muito lido neste Fórum.
E mais baralho, uma pedra é chutada ou enterrada sem reação, é um simples objeto passível de sofrer qualquer ação externa.

Herculles, me desculpe até o longo tempo para esclarecer, mas , me referia aos homens em geral, que não sabem conviver com asperezas, com as durezas da realidade. E esses ,infelizmente, eram,são e vão ser sempre a maioria. O típico realista, de fórum ou vivência, vai saber entender a mensagem de que um homem deve ser um HOMEM. Independente do quanto isso vá nos doer.

Continue sempre assim, com essa sua criatividade, novamente, parabéns.
(06-01-2016, 05:00 PM)Herculles Escreveu: [ -> ]Nos da lição de que se permanecermos acovardados não seremos lembrados por nada. A masculinidade gira em torno de legados, e de um constante conflito contra o mundo que tenta nos derrubar muitas vezes. Um realista entende isso, e participa desse conflito de forma a vencer a si mesmo e as forças hostis, e faz algo em prol de ajudar os demais a sair dessa situação de morte, de inercia. Por isso a minha reflexão, por isso os relatos, por isso o fórum, por isso a real e a masculinidade como um todo.

Acho que foi esse texto e outro que li por aqui e não me lembro mais onde encontrar ( que diz que masculinidade é aquilo que se produz).

A questão é o seguinte: se masculinidade gira em torno daquilo que podemos fazer, logo ela justifica o utilitarismo das mulheres em relação a nós.

Chega ser um raciocínio elementar:

1) Produz algo
2) Esse alguém é relevante, logo é homem.
3) Se é homem, então vale a pena
4) Se vale a pena, então os benefícios em torno dele é naquilo que ele pode fazer.
5) Logo, não existe uma relação utilitária da relação fêmea >>> macho, apenas um valorização da extensão das qualidades dele como macho (do que ele pode fazer).

Depois que eu pensei nisso, nunca mais me empolguei com frases desse tipo, embora ela tenha um sentido, mas seus efeitos externos podem ser bastante prejudiciais e legitimar um utilitarismo por parte dos outros.
Como foi bom ler esse texto novamente.

Planejei muitas coisas na minha vida almejando a grandeza, mas no fundo a única coisa que eu queria é estar em paz comigo mesmo. Quando eu pensava em ser grande, estava pensando, na verdade, no que fazer para que os outros me vissem grande. Coloquei muito esforço nisso; espalhei para inúmeras pessoas meu desejo de ser tal coisa, e depois fazer isso e aquilo; hoje, nada do que planejei anos atrás, almejo cumprir. Tudo perdeu o seu significado. Daí que eu morri mais uma vez na vida: quando percebi que a minha vida pertencia ao objeto conquistado, e não o inverso.

[Imagem: poeira.jpg]

Ainda bem que existe o fundo do poço, para nos confrontar com a nossa hipocrisia.

Disso tudo tiro a maior virtude que tive a oportunidade de desfrutar até hoje: a de ser grato. Independente do que passamos ou do que estamos passando, temos que agradecer por isso. Ser grato não significa ser acomodado; ser grato é antes de tudo, ser capaz de reconhecer que mesmo nas piores circunstâncias possíveis, há aprendizado. Nunca seremos homens, sem antes sermos refinados pelas brasas.


[Imagem: 131108-36.jpg]

No entanto, não entre na chama acreditando que sairá como ouro, porque pode ser você, a impureza.

Edificante encantador porque , o velho se torna novo, a casca descasca, a vida se renova, em meios as fases da vida nos sentimos cansados, estressados, querendo desligar o motor da vida! Tentando esconder no vazio e no escuro diante de tantas cargas passageiras que nos levamos. Lembro sempre de um livro que li que se chama. ÁGUIA OU GALINHA. Devemos decidir o que ser, quando se e novo, as pancadas doem mais por falta de experiencia, em meio idade ja não doem tanto, mas entristecem pela experiencia, na fase final ja sentimos falta da falta de não sentimos dor! Para se viver e preciso viver como águia como diz no texto. Não devemos parar o que não podemos reviver o que experimentamos por experiencia!
[Imagem: D2L2I1.gif]
(14-06-2016, 10:29 PM)Mondragon Escreveu: [ -> ]1) Produz algo
2) Esse alguém é relevante, logo é homem.
3) Se é homem, então vale a pena
4) Se vale a pena, então os benefícios em torno dele é naquilo que ele pode fazer.
5) Logo, não existe uma relação utilitária da relação fêmea >>> macho, apenas um valorização da extensão das qualidades dele como macho (do que ele pode fazer).

Eu não tenho certeza se entendi o que vc quis dizer. Mas esse questão do utilitarismo foi cunhada a partir da nossa necessidade de sobrevivência. Não acho q tenha nada de prejudicial, desde que entendamos de onde ela vem. E sobre isso eu falo mais nesse tópico http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=9927

Trecho:

Mostrar ConteúdoSpoiler:



(15-06-2016, 12:23 AM)Monarca Escreveu: [ -> ]Disso tudo tiro a maior virtude que tive a oportunidade de desfrutar até hoje: a de ser grato.

Excelente observação confrade Monarca. Nesse outro tópico (http://forum.bufalo.info/showthread.php?tid=9438) eu cheguei a essa mesma conclusão que a sua. Gratidão pela vida faz tudo ter um sentido. Felizes dos que descobriram isso. Parabéns. Segue um trecho.

Mostrar ConteúdoSpoiler:


Sempre com Grandes contribuições MESTRE PRAGA Fuckyeah
Um up viril neste tópico.

Não tenho muito a acrescentar, apenas agradecer ao confrade Herculles por suas palavras.
Páginas: 1 2