Fórum do Búfalo

Versão Completa: [RELATO] Chegando ao fim de um relacionamento – PARTE 2
Esta é uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Páginas: 1 2 3
Até onde chega a manipulação e mentiras femininas? É a pergunta reinante na minha cabeça e também o tema desse relato.

Primeira metade: Jogos mentais.

Talvez os confrades se lembrem do meu relato anterior, onde a espertinha em questão estava enganando um camaradinha, marcando de sair com ele dizendo que tava solteira, quando na verdade namorava com esse aqui. Só que assim como filme de terror que termina em aberto, sempre há brecha para uma continuação, só que a continuação é sempre pior que o original. Foi o que aconteceu e agora irei relatar a vocês.

Terminei o relacionamento da forma como falei. Como não foi nada muito agravante, e ainda estava querendo descolar a marmita, continuei a conversar normal com ela. Voltamos a ficar em poucos dias, mas nada de namorar. Eu sei que vocês já sabem aonde a merda vai dar, eu também já sabia.

Acho que todos aqui se lembram bem a senhorita aqui em questão é orgulhosa e durona. Em momento nenhum ela pediu desculpas, com muita conversa e tentativa proposital minha de quebrar o ego dela, ela no máximo admitiu que houve um erro (fiquei até com a impressão de que o erro foi eu ter descoberto e não a atitude dela), mas nunca deu nenhuma garantia que não iria repetir nem nada. Claro, fiquei de orelha em pé o tempo todo e olhos bem abertos, só ouvindo e ver onde ia dar.

Aconselhei ela pra ser honesta com o cara, falar que estava comprometida e que não teria nada com ele, e para que não insistisse com os elogios. Insisti para que ela falasse de forma a cortar os laços totalmente, tirar screenshot pra me provar e bloquear o sujeito, senão eu mesmo conversaria com o cara. Ela disse que não teria por que eu fazer isso, ou seja, queria evitar que eu falasse com ele. O máximo que ela fez foi dizer que se fosse rolar de sair seria como amigos e bloqueou, e mostrou isso pra mim. Em suma, o botou na geladeira e não cortou laço nenhum. Fiz de conta que deixei pra lá, como se ela tivesse “agido suficiente”.

Óbvio que ela tava querendo me enganar, tomando meias medidas. Depois eu perguntando se ela teria outra rede social do sujeito pra bloquear (eu já sabia que ela tinha o Facebook dele), ela desconversou, dizendo que não. De novo fingi que deixei pra lá. Como ela tava sendo desonesta, discretamente tive que conversar com o cara, afinal eu tinha que cumprir minha palavra, já que ela não foi honesta e seguiu 100% com o que pedi.

Então que falei só entre mim e o cara, foi papo rápido super de boa com o cara, só disse que tava me relacionando com ela e que ele poderia perguntar pra alguns amigos em comum pra confirmar. Ia me aproveitar do fato que estávamos mantendo as aparências como se nada tivesse acontecido e não tivéssemos terminado, de que não contamos pra ninguém do término. O cara foi receptivo e levamos isso na melhor. Nem sequer falei isso pra ela, até hoje ela não deve saber desse episódio. Segue o baile.

As coisas ora seguem em rumo de “reatar” o namoro, ora seguem em via de ficar só na “amizade colorida” mesmo, a depender do humor dos dois. Vira meio que um jogo de gato e rato, meu objetivo era só tentar dobrar o ego dela pra ver até onde ela iria. Ela queria me impor apego e fazer eu me dobrar a atitude dela. Claro que aproveitei as chances dadas e fui a marmitando umas vezes. Só que como a desgracenta é uma premeditadora dos crimes que fica planejando por longa data, eu sequer imaginava que a próxima tramoia dela já estava em curso.

Claro, ela só não contava com o fato de eu ter nascido sob uma estrela sortuda, além de desconfiado e esperto além do limite. Em pouco tempo saquei um hábito dela, que me levou a desconfiança do que ocorria, que por fim foi o que entregou ela.

O resto estou escrevendo agora, daqui pra mais tarde posto o resto.
Acompanhando Wild, tirando de seu relato e experiência, as boas lições! Obg por compartilhar.
Man, estou lendo isso mesmo? Na moral confrade, manter contato e marmitar uma mulher que ia te trair? Em um cenário onde vc não tivesse descoberto tudo isso, estaria sendo corno. E essa parada de conversar com o cara sendo que não estava mais com ela?

É inaceitável repito: INACEITAVEL que um homem em sã consciência e ainda por cima munido de conhecimento realista se relacionar de qualquer forma com uma mulher que o traiu ou planejava trair.
(27-10-2018, 03:12 PM)frost Escreveu: [ -> ]Man, estou lendo isso mesmo? Na moral confrade, manter contato e marmitar uma mulher que ia te trair? Em um cenário onde vc não tivesse descoberto tudo isso,  estaria sendo corno. E essa parada de conversar com o cara sendo que não estava mais com ela?

É inaceitável repito: INACEITAVEL que um homem em sã consciência e ainda por cima munido de conhecimento realista se relacionar de qualquer forma com uma mulher que o traiu ou planejava trair.

Sim, cara, é verdade sim. Eu vou até concordar com o que você falou, mas me meti nessa furada de olho bem aberto. Descobri isso na prática e escapei ileso pra contar a história. Fica o relato pra juvenada aí ler e aprender a lição. Obrigado pelo comentário.

(27-10-2018, 03:10 PM)xandysmaster Escreveu: [ -> ]Acompanhando Wild, tirando de seu relato e experiência, as boas lições! Obg por compartilhar.

Valeu, confrade. Parte 2 vem chegando logo mais aí.
Bom, não tem como eu saber realmente o real motivo de você manter ela, isso só você sabe. Mas dizer que vai "marmitar" ela não é só você racionalizando o fato de você querer manter ela na sua vida, por ter um envolvimento emocional, e disfarçando de "marmitar" ou sejá lá o que for? Eu não vejo problema em manter na sua vida, mas sempre tem que tomar cuidado com o verdadeiro motivo.

Eu traduzi um post, A Natureza da Mulher, e diz sobre a capacidade de racionalização e dissociação da mulher, e como isso mune elas de um talento natural de "nunca sentir culpa por algo errado que fez". Acontece que o homem também possue a capacidade de racionalizar o que ele faz de errado, cuidado pra não cair nessa armadilha.
Segunda metade: O preço da teimosia é descobrir a verdade

O que estava ocorrendo era óbvio, ela queria ficar enrolando nessa situação o quanto pudesse. Se aproveitando que eu não tomava nenhuma medida nem visando oficializar o fim do namoro pra todo mundo, nem pra reatar de vez.

Ela queria ficar sem o status de namoro entre nós dois, porém com os outros achando que lhe convinham (família, alguns amigos, pessoal do trabalho) achando que ela está. Escudo óbvio se aproveitar da situação pra poder malandrar o quanto quisesse com quem não sabia da situação, já que ela não entregava nada do relacionamento nas redes sociais. Ou pior, como veremos.

Houveram diversas ocasiões, uma certa vez teve uma vez que fomos só os dois numa chácara mais isolada que as coisas não deram muito bem e ela se chateou pelo conjunto da obra. Tiramos fotos de lá, mas também nada de postar fotos nossas juntos nas redes sociais (problema antigo da parte 1, lembram?).

Dessa vez faço um teste bem malandro e crio um álbum no Facebook com as nossas fotos, claro, tem um detalhe aqui: Só eu e ela poderíamos ver o álbum, ou seja, era só pra medir a reação da mesma. Ela além de frustrada ficou irritada com isso, e pediu para eu tirar as fotos, alegando que “estavam feias”.

Depois informei a ela que jamais postaria nada público sem autorização dela e que o álbum era só uma recordação pra nós dois, que ninguém mais teria como ver. Após um tempo, ela ainda zangada, disse que não seria problemas termos fotos juntos em redes sociais. Seiiiiiii. Claro, desde que devidamente pasteurizadas por ela, de forma a não estragar os esquemas da mesma.

Aí que a situação fica ruim, mas se aproximava o aniversário dela. Depois de uma TPM básica, as coisas parecem melhorar já que ela fica bem mais receptiva depois do período. Só que ela não quer comemorar no fim de semana do dia 19-20, quer por que quer comemorar o aniversário no meio da semana e insiste que quer fazer uma viagem com a família de um tio dela que tava na cidade, mas que morava na capital. Ela me diz que ia com eles de carro e depois voltava de ônibus.

Já estão sentindo daí o que vem?

Claro que ela me pega de surpresa e sem chance de poder viajar com ela. Daí prontamente ela avisa que não teria como eu ir, já que dependia de vaga no carro e etc etc etc.  Depois ela, querendo aprovação (subconsciente da merda que estava prestes a fazer), pergunta se eu ia ficar chateado com isso. Eu respondo que não, afinal por fora só parecia ser uma viagem com a família pra poder aproveitar um fim de semana. Até onde eu sabia na época não teria por que desconfiar. Só lamentei o fato de não termos o fim de semana pra comemorar melhor o aniversário dela.

A esse ponto eu já tinha mudado a estratégia de forma que no fim ela mesmo me peça de namoro de volta admitindo os erros do passado. Pra isso tive que aproveitar a onda de bom humor dela e capitalizar em cima disso, agindo cautelosamente, porém apontando de forma como fosse ela “que não estava se dando uma chance de continuarmos”.

Foi um plano cuidadosamente bolado pra reverter o fato de estar se sentindo enrolada por mim e querer que eu tivesse a pedido de namoro de volta. Se o plano ia funcionar ou não, pouco importa, o que eu queria era ver o quanto ela ia se dobrar. No fim eu que não ia aceitar ficar com ela mesmo, só aproveitar da situação, mas sigamos a história.

Chegado o dia do aniversário, ela tem o que podemos chamar de um dia mágico. Eu da minha parte, que passei a maior parte do tempo com ela, garanto pra que ela tenha uma ótima experiência. Ela ficou completamente encantada com tudo, pois aproveitou como bem queria, curtindo comigo, com a família, o pessoal do trabalho (ela tirou folga uns dias) e o pessoal da faculdade. Ao fim do dia, depois dela voltar da faculdade, ainda a recebo mais uma vez, agora com um presentinho, e temos uma boa transa e fim de noite juntos.

Não está no gibi o quanto ela ficou feliz e até me agradeceu mais de uma vez, coisa muito rara da parte dela, diga-se de passagem, comentando o quanto a fiz se sentir especial e tal. No dia seguinte, que foi um dia mais calmo, na qual ela se preparava para a viagem para a capital (que seria cedo do dia seguinte) a gente conversa um pouco pelo WhtasApp.

As coisas pareciam estar andando enfim para “reatar o namoro”, daí ela diz apenas que vai tirar o fim de semana durante a viagem pra pensar (como se não tivesse tido tempo de sobra já) e que depois as coisas deveriam se resolver. Ficou implícito aqui que ela ia querer fingir jogar pelas regras (apesar de ser típico dela prometer uma coisa, mas tentar fazer outra meia medida) e enfim decidir o teor do relacionamento como sendo namoro. Ou não sendo de uma vez, não ficou 100% claro.

De toda forma eu iria sair ganhando por ela se decidindo por um por outro, saiamos desse joguinho de indefinição bem típico e ela teria o ego dobrado. Mas o jogo dela era me manter preso, lembrem disso. Ela poderia ter dada a resposta logo, mas realmente preferiu fazer a viagem. Só que eu já estava desconfiado de umas atitudes delas de me esconder o que tava conversando no celular e ter me mandado umas telas de um cara que ela tava conversando (era sobre outro assunto que ela tava pedindo opinião de uma compra), cuidadosamente omitindo quem era o cara.

No passado eu já tinha reparado que ela tinha a mania de tentar esconder os caras com que ficou ou namorou, a ponto de me mostrar um vídeo uma vez tentando esconder a cara de um ex dela que mal apareceu uma única vez nesse vídeo. Como a conversa era recente, ou era um ex dela na parada ou algo mais sério que ela tentava esconder de mim. Do pouco que falei liguei os pontos a algumas coisas que ela falou dele (o cara era professor e tal) e já suspeitei de um possível candidato, que era um cara pela qual ela parecia ter um crush no passado, sendo que já vi ela falando com ele uma vez que o encontramos, vários meses atrás, e meio sentido aranha apitou que tinha coisa errada daquela vez. Mas na hora descartei por motivos que vou explicar depois.

Nesse mesmo dia (o anterior a viagem) eu vou na casa dela na parte da tarde, pouco antes dela ir pra faculdade, pra gente passar uma tarde juntos, já que a gente não se veria mais antes da viagem que era cedo do outro dia. Quando ela sai pra tomar banho e deixa o celular de bobeira eu pego ele (foi algo bem ninja, estando na casa dela do lado dos pais dela) e depois de procurar um pouco encontro algo que me deixou pasmo.

Ela tava marcando de viajar de ônibus mesmo (isso é gastar a grana de ida e volta full) para se encontrar com esse camarada, sendo que já tinham até hotel reservado e planinhos de turistar, ir em shopping, etc. Detalhe, esse é um conhecido de vista meu daqui há mais de 10 anos, era músico de uma banda, que está atualmente morando no sul do estado trabalhando como professor. Detalhe maior ainda: O cara é NOIVO, ou ao menos é o que o perfil do Facebook dele mostra. A noiva dele parecer ser uma guria bem discreta, mas bonita e nova também.

Quando vejo a conversa lá vejo que ela vem planejando aquilo desde pelo menos a data da chácara, que ela ainda mostrou pra ele fotos que eu tirei do local. A data exata que começaram a planejar essa fugidinha sequer sei. Ou seja, até mesmo a ida pra gente ficar sozinho não foi bem uma tentativa de acertar as coisas, foi só mais uma parte da trama dela. Ou seja, fim de semana para pensar era desculpa esfarrapada pra ela viver as aventuras dela viajando sozinha e indo rodar na pica de um cara comprometido.

Assim que descobri, pouco antes dela ir faculdade, fiz mais um shit-test, descobri da boca dela que ela ia de ônibus ao perguntar a hora e fazer que queria ir me despedir dela, depois fazendo de conta como se eu quisesse ir também e ela ficou atônita, chegando a expressar em claro e bom tom que não quer que eu vá com ela. Claro, pois eu descobriria que era tudo armação sem falha. Mantive a fachada com se não soubesse de nada, mais uma vez, pra não estragar o clima no meio da casa dela.

Depois quando ela foi pra faculdade dela de algum jeito ela descobriu que eu tinha mexido no celular dela, ela começou a querer esbravejar nas mensagens dela pra mim e meio que falei como se tivesse descoberto tudo, mas sem nunca insinuar isso. E foi o que houve de fato, consegui reunir provas dos planos dos dois (que de novo, não espero nunca precisar usar), mas apenas refleti o que ela falou de forma graciosa. Como ela já estava calejada da outra vez que descasquei ela, ela já deve ter suposto que eu sabia muito de cara, mas não entreguei o quanto sabia. Ela tava em aula então não podia fazer nada além de mandar mensagens e ficar segurando a raiva. Nessa hora eu tava era só rindo já que ela descobriu antes de hora.

Eu não ia comentar nada e deixar ela viajar em paz, pra só depois que ela chegasse eu dar o fora definitivo de forma bem limpa e sem envolver ninguém. Só que depois das mensagens bravas na qual ela, que tenha a santa cara de pau de dizer “pensava em largar todo o resto de lado pra se dedicar exclusivamente ao nosso namoro” e que só ia “usar o fim de semana pra pensar na gente”, apenas respondo prontamente sem indicar saber nem muito nem pouco que “a gente já sabe de que maneira vai ser esse pensar seu”.

Dessa vez o jogo foi parecer saber muito, mas sem dizer exatamente o que sei, ou seja, blefar como se eu soubesse muito ou nada ao mesmo tempo. No que ela falou apenas refleti em igual tom, sem ser muito acusatório, mas sem ser condescendente também. Ela falou que o fim de semana era pra pensar então falei que “era isso mesmo” e então “ nesse caso vá aproveitar sua viagem que só falarei com você domingo de noite”. Prontamente a bloqueio em todas as redes sociais e começo a me livrar das coisas. O tópico das dicas para desintoxicar que fiz na verdade serviu mais pra mim mesmo, rs.

E lá vai ela, insiste em viajar. A partir do momento que ela entrou naquele ônibus selou o destino dela. Passam se os dias. Não vou mentir, foi um pouco sofrido pois as condições foram muito mais agravantes do que o primeiro, mas eu fico feliz de ter escapado dessa bomba e me recupero bem rápido, pois já sabia que algo assim cedo ou tarde iria acontecer. Descobri algo muito grave, por pura sorte, aos 45 do segundo tempo. Um caso reincidente de uma vadia que tentava me empurrar com a barriga, vendendo como namoradinho pra uns, enquanto tava cheia dos esquemas com todo tipo de homem por fora. Também aviso prontamente toda a minha família, inclusive para não receber mais esse tipo de gente aqui em casa.

Quando chega no domingo de noite apenas aviso unilateralmente por mensagem que deixe as minhas coisas que estão na casa dela na casa de um amigo meu em comum, que vou buscar lá depois, e que as coisas dela já estão esperando lá. Depois digo que “pensei sobre a gente” e que decidi apenas que não vou mais a procurar e que não vou causar nenhum tipo de problema a ela nem interferir em mais nada. Zero polêmica, zero briga, zero chororô, zero indidretas. Uma mensagem o mais neutra o possível.

Daí a bloqueio de novo, dessa vez espero que pra todo o sempre. Uns dias depois essa semana passada recupero minhas coisas na casa do referido amigo. Afinal nem me dar mais ao trabalho de ir buscar as coisas na casa dela eu quero mais. Uma pena, pois até iria se for pra ver a mãe dela, que sempre me recebeu muito bem e que muito respeito. A mãe dela talvez até hoje não saiba das andanças dessa filha dela. Essa guria moveu mundos e fundos pra não ter o aniversário dela no fim de semana, ou seja, enganou a família dela toda pra viver essa aventura.  

Claro que eu já sabendo que cedo ou tarde a merda ia bater no ventilador, dessa vez fui bem safo pois tive a sorte de mais uma vez descobrir logo antes da merda sair, nos primeiros gases, huashaushau. Dei sorte e mais uma vez agradeço a Real. Fiz a burrada de teimar com uma guria que não presta, só por curiosidade mesmo e por pouco não ia pagar o preço de sangue por isso. Se eu tivesse, por exemplo, voltado a namorar com essa garota e só depois descobrir isso, ia ser simplesmente desgosto demais. Felizmente até agora não me incomodou a referida e espero que assim fique.

A lição de moral que fica aqui é o quão premeditado e diabólico podem ser os planos das mulheres para poder enganar e toda a dissimulação das mesmas. Essa não era uma menina inocente se descobrindo, e sim um projeto de vadia de comarca maior. Eu mesmo confesso que para uma garota tão nova, o plano foi quase que perfeito. Se eu não fosse uns bons anos mais velhos e calejado na Real, desconfiado, com as informações certas na hora exata, e um punhado bem grande de sorte, talvez nunca desconfiasse, achasse que fosse só uma viagem em família inocente. Real salva, só não vê quem não quer.

O resto vou abrir para interpretação de vocês, o relato já se estendeu demais. Podem comentar e perguntar que eventualmente eu vou cobrindo as partes e detalhes faltantes. Aceito se vier corredor de cabeça erguida mas com humildade, eu sei que minha atitude tá longe de ser a ideal, apesar de ter sido tudo proposital. Pra todos os efeitos aí está o relato pois ao menos alguém pode aprender algo disso.

Aos confrades, força e honra.
"desde que devidamente pasteurizadas por ela [...]". Cara, como rir dessa expressão. hehehe!

Ah velho... se tem uma parada que não tenho mais saco, é administrar relacionamentos. É muito ônus para pouco bônus.  true story

Administrar:
  • Flutuações de humor.
  • Birras.
  • Machismo Conveniente.
  • Investidas de pessoas 'fura olho'. (Muitas das vezes a mesma permitindo tal aproximação). 
  • feminazismo oportuno.
  • Problemas que elas mesmo criam. (Para que depois o caboclo desavisado tente adivinhar o que aconteceu).
  • Visitas diplomáticas. (Como por exemplo, viajar 'trocentos' km para visitar uma tia avó lá na pqp).
  • Passeios não programados. (Os famosos programas de índio).
  • Etc etc etc etc...
Tive dois relacionamentos, o último encerrou-se quando estava com 30 anos. 
E lá se vão 4 anos de vida solteira, vou bem, obrigado. yaoming
(27-10-2018, 03:55 PM)Björn Escreveu: [ -> ]Bom, não tem como eu saber realmente o real motivo de você manter ela, isso só você sabe. Mas dizer que vai "marmitar" ela não é só você racionalizando o fato de você querer manter ela na sua vida, por ter um envolvimento emocional, e disfarçando de "marmitar" ou sejá lá o que for? Eu não vejo problema em manter na sua vida, mas sempre tem que tomar cuidado com o verdadeiro motivo.

Eu traduzi um post, A Natureza da Mulher, e diz sobre a capacidade de racionalização e dissociação da mulher, e como isso mune elas de um talento natural de "nunca sentir culpa por algo errado que fez". Acontece que o homem também possue a capacidade de racionalizar o que ele faz de errado, cuidado pra não cair nessa armadilha.

O confrade pode bem estar acerto ... Não vou tirar sua razão. A guria me era uma pessoa agradável, que eu talvez quisesse manter na minha vida mesmo sem nada sério. Apego talvez? Sim, mas sempre tentando manter as estribeiras. Posso ter muito bem feito uma ginástica mental, rodando o esquilo pra racionalizar os motivos. Mas o fato é que tive olho aberto o tempo todo e sempre fiz uma série de shit-tests pra ver o que ia sair. Eu queria experimentar e ver aonde ia dar, fui curioso, bem podia ter me dado mal com isso. Ainda bem que não foi o caso. Agora o que eu só quero é distância dessa dita cuja, quero seguir minha vida normalmente. Ela já se entregou em toda a sua extensão quem realmente é. O ego dela vai impedir que ela me procure e ela vai rezar pra que eu fique calado pra não estragar a reputação da mesma. Felizmente estou protegido por provas que ela nem deve imaginar que existem, só para o caso dela vir me encher o saco.

(27-10-2018, 04:56 PM)Diamante Escreveu: [ -> ]"desde que devidamente pasteurizadas por ela [...]". Cara, como rir dessa expressão. hehehe!

Ah velho... se tem uma parada que não tenho mais saco, é administrar relacionamentos. É muito ônus para pouco bônus.  true story

Administrar:
  • Flutuações de humor.
  • Birras.
  • Machismo Conveniente.
  • Investidas de pessoas 'fura olho'. (Muitas das vezes a mesma permitindo tal aproximação).
  • feminazismo oportuno.
  • Problemas que elas mesmo criam. (Para que depois o caboclo desavisado tente adivinhar o que aconteceu).
  • Visitas diplomáticas. (Como por exemplo, viajar 'trocentos' km para visitar uma tia avó lá na pqp).
  • Passeios não programados. (Os famosos programas de índio).
  • Etc etc etc etc...
Tive dois relacionamentos, o último encerrou-se quando estava com 30 anos.
E lá se vão 4 anos de vida solteira, vou bem, obrigado. yaoming

Estou quase achando isso mesmo, confrade, é muito problema para ter pouca companhia e sexo de qualidade. Vida a dois parece mais ser inferno a dois. E é por que você está falando de mulheres "normais". Imagina essa geração que vem por aí.

As qualidades gerais das mulheres estão decaindo muito rápido, as de hoje já não servem mais tão bem como mães e donas de casa, hoje em dia toda mulher quer ser "carreirista" ou "independente" e isso significa dizer que elas deixam de abandonar os talentos e atitudes femininas que as tornam atraentes ou úteis numa vida a dois.

Sem atrativos, logo mais sobra só meia dúzia de mulheres decentes insuficientes pra suprir todos os homens, e o resto prostitutas e as bonecas sexuais reais ou imaginárias (realidade virtual). O cenário tá ficando grotesco.
Voces generalizam demais já disse que isso eh burrice.
Pra mim ter esse tipo de conclusão do diamante eh uma atitude covarde, ninguém tem um bom relacionamento sem passar por varios ruins.
Eu mesmo tive uma imensa gama de namoricos e putarias e hoje gozo de certa tranquilidade no meu casamento.
Abraçar a dor e aceitar as derrotas é oque todo homem deve aprender.
Todos iremos morrer um dia, se trancar no armário da solteirice e fingir que é feliz ou cunhar termos como mangina e sair atacando os manginas do mundo é também uma forma piegas de covardia.
Você meu caro @Wild entrou num relacionamento com uma adúltera, apenas isso, sua menina tem a tara e o tesão em adulterar-se (sim porque o adultério nada mais é que a transgressão de si mesmo, ou de quem se é em prol da sexualidade de outrem) e isso revela nela profundas marcas de traumas, sofrimentos e abusos sejam por alguém próximo ou por tentativas falhas e repetitivas de se relacionar.
Lembrando que oque cunhamos como termo:namoro, confunde se com o termo: casamento, já que o envolvimento livre e irrestrito aos quais os casais de hoje se submetem é bem maior e irracional que os envolvimentos do passado onde até pegar a mão seria uma ousadia.
Portanto não é de se admirar sua dor e seu vazio, isso não te torna pior ou mangina, o confrade Bjorne ainda que um grande confrade tem razão na colocação dele mas não na essência da colocação, pois ela ignora o sentimento que em momento algum se desvencilha do ser.
No mais confrade wild te desejo boa sorte nessa vida e que não se assuma covarde e aceite as dores de viver, lembre se a vida é uma só e passa rápido.
(27-10-2018, 04:56 PM)Diamante Escreveu: [ -> ]"desde que devidamente pasteurizadas por ela [...]". Cara, como rir dessa expressão. hehehe!

Ah velho... se tem uma parada que não tenho mais saco, é administrar relacionamentos. É muito ônus para pouco bônus.  true story

Administrar:
  • Flutuações de humor.
  • Birras.
  • Machismo Conveniente.
  • Investidas de pessoas 'fura olho'. (Muitas das vezes a mesma permitindo tal aproximação). 
  • feminazismo oportuno.
  • Problemas que elas mesmo criam. (Para que depois o caboclo desavisado tente adivinhar o que aconteceu).
  • Visitas diplomáticas. (Como por exemplo, viajar 'trocentos' km para visitar uma tia avó lá na pqp).
  • Passeios não programados. (Os famosos programas de índio).
  • Etc etc etc etc...
Tive dois relacionamentos, o último encerrou-se quando estava com 30 anos. 
E lá se vão 4 anos de vida solteira, vou bem, obrigado. yaoming

Investidas de pessoas 'fura olho'. (Muitas das vezes a mesma permitindo tal aproximação). 

Isso aqui é algo que acho mais absurdo, nunca vi uma geração como essa chegar junto de mulher compromissada, eu antes de ser maior de idade, já nem olhava pra mulher compromissada, sempre temi a reação de um mangina cego (armas, brigas com facas)

Quando comecei a namorar, teve dois caras que tive que CHEGAR junto mesmo, um deles até ameaçar no trabalho por que ficava procurando minha antiga namorada!

Vive-se em uma geração que não respeita, o cara chega na cara dura mesmo e quer por que quer pegar mulher compromissada
Spectro meu caro, é uma conclusão sua a meu respeito. Até aqui nada demais. Agora me tachar de covarde ou algo do gênero sem nem me conhecer pessoalmente é foda heim. hehehe! Ou seja, subjetivismo.

Ninguém é obrigado a seguir minha linha de pensamento, até porque não sou o dono da verdade. Apenas deixei claro que não tenho mais saco para administrar um relacionamento, apenas isso. Até porque ninguém sabe do dia de amanhã, se por ventura eu tiver paciência para embarcar num terceiro relacionamento, blz. Assim como você pode saturar de seu casamento e tacar o foda-se para novas relações.

Resumindo a ópera: Não ter saco para administrar um relacionamento é completamente diferente de abdicar de um de forma finita. Não sou Relationship Striker (nem sei como se escreve essa porra). kkkkk.
Nao disse diretamente a voce perdão se me expressei mal.
Quis dizer que é covardia a decisão, não quem a decide.
Isso porque vejo muitos tomando tal decisão. E acredito que ela seja uma decisao covarde.
Mesma coisa por exemplo do bolsonaro falando da Maria do Rosário ele não é machista nem nada disso, mas ele disse algo machista pra ela e por isso foi processado.
Perdoe me a má expressividade.
Inclusive editei lá em cima para melhorar oque escrevi.
(27-10-2018, 07:10 PM)Spectro Escreveu: [ -> ]Nao disse diretamente a voce perdão se me expressei mal.
Quis dizer que é covardia a decisão, não quem a decide.
Isso porque vejo muitos tomando tal decisão. E acredito que ela seja uma decisao covarde.
Mesma coisa por exemplo do bolsonaro falando da Maria do Rosário ele não é machista nem nada disso, mas ele disse algo machista pra ela e por isso foi processado.
Perdoe me a má expressividade.
Inclusive editei lá em cima para melhorar oque escrevi.

Então, muitos nunca entraram num relacionamento e baseiam-se em relatos de outrem, esses eu concordo com você a respeito do termo Covarde. Não tem as próprias experiências para jogar na balança. No fim, são os que mais se fodem.
(27-10-2018, 06:38 PM)Apache* Escreveu: [ -> ]
Mostrar ConteúdoSpoiler:

No meu ponto de vista, é a pessoa compromissada que deve meter a 'voadora' no assediador. Nota: Mulher quando quer afastar um homem que ela não gosta, faz isso com muita maestria.

Voltando ao assunto de se posicionar contra o assediador: Eu mesmo já fiz isso com uma amiga da minha ex namorada no meu último relacionamento. A mesma me ligou de madrugada me convidando... (nem preciso dizer, né?!) kkkkk! O que fiz, foi cortar a investida.

No mais, se a sua companheira dá brechas para esta situação. É hora de abandonar o Titanic. Segundo diria um camarada: - "O homem só vai pra cima da mulher quando ele dá corda".
Wild, seu comportamento aqui foi COMPLETAMENTE DESNECESSÁRIO. Pra que gastar mais tempo ainda com essa mulher? Se quer marmitar, tem outras, muitas outras e de melhor qualidade. isso tá estranho desde aquele seu primeiro relato em que fez um drama todo só pra terminar com ela, com a desculpa/motivo/causa/razão/circunstância de que queria fazer isso pra se sentir ''bem''

Agora você vem aqui pra relatar que não terminou o namoro oficialmente após o término, gastou o seu tempo precioso pra ir lá falar com o sujeito e ainda deve ter engolido a saliva de ouiros caras nesse período todo (se desconfiar, coisas piores).

Pode me corrigir se eu estiver errado em alguma parte, ams esta é a minha impressão sobre tudo
(27-10-2018, 06:31 PM)Spectro Escreveu: [ -> ]Voces generalizam demais já disse que isso eh burrice.
Pra mim ter esse tipo de conclusão do diamante eh uma atitude covarde, ninguém tem um bom relacionamento sem passar por varios ruins.
Eu mesmo tive uma imensa gama de namoricos e putarias e hoje gozo de certa tranquilidade no meu casamento.
Abraçar a dor e aceitar as derrotas é oque todo homem deve aprender.
Todos iremos morrer um dia, se trancar no armário da solteirice e fingir que é feliz ou cunhar termos como mangina e sair atacando os manginas do mundo é também uma forma piegas de covardia.
Você meu caro @Wild entrou num relacionamento com uma adúltera, apenas isso, sua menina tem a tara e o tesão em adulterar-se (sim porque o adultério nada mais é que a transgressão de si mesmo, ou de quem se é em prol da sexualidade de outrem) e isso revela nela profundas marcas de traumas, sofrimentos e abusos sejam por alguém próximo ou por tentativas falhas e repetitivas de se relacionar.
Lembrando que oque cunhamos como termo:namoro, confunde se com o termo: casamento, já que o envolvimento livre e irrestrito aos quais os casais de hoje se submetem é bem maior e irracional que os envolvimentos do passado onde até pegar a mão seria uma ousadia.
Portanto não é de se admirar sua dor e seu vazio, isso não te torna pior ou mangina, o confrade Bjorne ainda que um grande confrade tem razão na colocação dele mas não na essência da colocação, pois ela ignora o sentimento que em momento algum se desvencilha do ser.
No mais confrade wild te desejo boa sorte nessa vida e que não se assuma covarde e aceite as dores de viver, lembre se a vida é uma só e passa rápido.

Eu entendi a problemática (e toda a discussão de vocês @Spectro e @Diamante no decorrer tópico). Meu caminho não é deixar de se relacionar só por que quebrei a cara com umas poucas mulheres. Se falei alguma coisa lá foi só em tom de especulação, teorizando como as coisas estão ficando.

Não é esse o caminho que irei seguir, vou continuar no mercado, ainda tem muitas mulheres pra conhecer e coisas pra aprender.

Só discordo (ou ao menos não tenho bagagem suficiente pra concordar) que adultério e tal, que no caso dela, seja algum trauma. Ou que ela seja vítima de alguma coisa. Ela está plenamente consciente do que o que faz é errado, não tem hamster que diga o contrário.

Para mim isso é só uma falha de caráter, simples e pontual, de ficar fantasiando com o proibido, o arriscado, etc. Ela demonstra essa tendência de se entediar com a rotina e buscar algo cada vez mais radical, mais extremo.

Algo tipicamente feminino (o duplo desejo), dá pra observar esse traço em várias mulheres. Por isso não a trato como coitadinha. Se ela é escrava das emoções fortes dela ou não, estou pouco me fodendo. Ela terá que arcar com o peso e resultado das suas escolhas e atitudes como qualquer um.

Ela fez isso comigo e não teve (e nem terá) nada demais com ela (além de me perder, óbvio), mas o destino de mulheres assim é muitas vezes acabar apanhando ou até morrendo pelas mãos do namorado/noivo/marido. Tenho só é pena da alma dela.

(27-10-2018, 07:45 PM)Digons Escreveu: [ -> ]Wild, seu comportamento aqui foi COMPLETAMENTE DESNECESSÁRIO. Pra que gastar mais tempo ainda com essa mulher? Se quer marmitar, tem outras, muitas outras e de melhor qualidade. isso tá estranho desde aquele seu primeiro relato em que fez um drama todo só pra terminar com ela, com a desculpa/motivo/causa/razão/circunstância de que queria fazer isso pra se sentir ''bem''

Agora você vem aqui pra relatar que não terminou o namoro oficialmente após o término, gastou o seu tempo precioso pra ir lá falar com o sujeito e ainda deve ter engolido a saliva de ouiros caras nesse período todo (se desconfiar, coisas piores).

Pode me corrigir se eu estiver errado em alguma parte, ams esta é a minha impressão sobre tudo
Sim, você está certo. Foi completamente desnecessário mesmo. Mas quis descobrir o quão fundo vai a toca do coelho, e tá aí o relato da merda que deu.

Não iria fazer sentido esconder o resultado das minhas ações, então tomei meu tempo para escrever e compartilhar aqui a experiência bem claramente para todo mundo ver o que aprendi com isso. A súmula tá aí provada ao vivo e a cores.

Já entendi muito bem o que fiz e fiquei a semana toda martelando isso sob a ótica realista e relendo vários materiais, o que rendeu o tópico das dicas e muitas outras conclusões e coisas interessantes que reparei.

Não é nada pra se orgulhar eu ter que ir tão baixo assim, só pra descobrir o que alguns confrades já deviam saber de cor. Vivi na prática, com risco controlado, esse tipo de situação, então saio do outro lado com mais bagagem e mais esperto. Como o resultado final do caso pouco me afetou, então considero-me no lucro.
Responda honestamente: Caso ela tivesse falado que namorava e bloqueado o cara, cortando todo contato com ele, vc voltaria com ela?
(27-10-2018, 08:38 PM)frost Escreveu: [ -> ]Responda honestamente: Caso ela tivesse falado que namorava e bloqueado o cara, cortando todo contato com ele, vc voltaria com ela?

Não. O pilar para recobrar minha confiança nela depois de uma dessas seria o seguinte:

1. Corrigir os erros, cortando totalmente laços e contato com o cara;
2. Se desculpando honestamente e propriamente admitindo o erro e mostrando arrependimento;
3. Se comprometer a nunca mais repetir esse tipo de coisa;
4. Mostrar que não tem nada a esconder liberando para que possa ver abertamente as redes sociais e celular dela (como meu celular sempre foi);
5. Tempo e paciência pra tentar reconstruir a confiança aos poucos no dia a dia;

Isso seria um mínimo, mas ela falhou em todos os testes, ou seja, além de ser orgulhosa e não se dobrar, quer sempre ter a margem pra esconder algo. Se ela passasse neles, isso talvez desse alguma garantia, mas quando o assunto é mulher, nada é certo ao certo. Toda a dissimulação e planejamento podiam alcançar níveis ainda maiores e ficar ainda mais indetectáveis.

Mesmo que ela cumprisse esses pré-requisitos, e muito talvez eu voltar a namorar, eu já estava desgostoso dela (não sei por que mas pra mim é assim uma vez que quebra o encanto nunca mais é a mesma coisa), então seria com altas chances de trocar ela na primeira oportunidade que aparecesse.

Namoro também é superestimado, pra mim seria só passar um tempo com ela, nunca tive intenções de casar nem fazer planos de futuro com a dita cuja (que já mostrou algumas flags desde o começo).

Se teve um único motivo que fez eu insistir com ela foi mais por orgulho pessoal e querer tentar dobrar o ego dela às minhas discretas imposições e condições, que são todas bem justas e limpas. Como bem sabem, mulher arredia que não leva em consideração o que você fala ou teima abertamente, não presta pra se relacionar. Então, tirem daí. Era o famoso fui ver até onde ia dar, pra testar meu poder de condução.

///////////////////////////////////////////

Ah sim, confraria, importante, leiam e foquem mais na parte 2, que é onde está o cerne da questão que quis tratar.
Wild, depois do primeiro relato, nao deveria ter pilar pra nada.
Ou seja, havia uma forte possibilidade de vc voltar com uma mina que te traiu (oq ela fez foi traição)......... Reveja seus conceitos.
O mais impressionante é a quantidade de energia que você gastou com essa mulher. Nos primeiros sinais de vadiagem, era cortar tudo e foda-se.
A minha impressão, fazendo uma analogia, é que você descobriu ou tinha indícios fortes que alguém próximo planejava lhe matar com uma arma de fogo, apareceu no local do crime apenas para provar que estava certo em relação aos seus dotes investigatórios, levou alguns tiros mas sobreviveu ao ataque, e posteriormente fez amizade com o criminoso na subconsciente intenção de "convertê-lo" ao bem, na tentativa de parar com seu instinto criminoso. No final das contas, o "criminoso" lhe deixou extremamente debilitado e ainda anda livremente por aí, apenas esperando uma nova tentativa sua de se aproximar novamente. Parece masoquismo, pelos nuances do relato e por sua frieza diante de alguém lhe ferindo emocionalmente.

Esta mulher lhe provoca(va) sentimentos intensos, não importa se positivos ou negativos, e acredito que você tenha ficado viciado nesse jogo de altos e baixos. Ao mesmo tempo em que ela é viciada em aventura, te contaminou também. Condicione-se a temperaturas mais mornas enquanto se afasta totalmente dela, eventualmente irá se recuperar e perder o "vício".
Páginas: 1 2 3