Fórum do Búfalo

Versão Completa: [RELATO] Mulheres de Igreja
Esta é uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Páginas: 1 2 3
Trago esse relato pra destruir qualquer idealismo (imagem que o indivíduo cria) em relação às mulheres de igreja, como sendo santas ou exceções. Esse é um assunto batido, mas muito importante. Escrevi inspirado no último podcast do Smith, e postei também no LR.

Já deixo claro que a vantagem de flertar com mulheres da sua igreja é meramente ideológica. Já tive experiências onde a garota se irritou por eu ir à igreja na semana santa ao invés de sair com ela, outra coisa que me irritou foi ela falar que os filhos que ela viesse a ter jamais iriam pra outra igreja. Esse tipo de problema se evita quando a mulher frequenta a mesma igreja que você, ou seja, resolve alguns problemas, mas não é nenhuma garantia de que ela vai ser melhor que qualquer outra.
Dito isso, vamos para o relato.

Contextualizando

[Imagem: mulher-vive-mais-tempo-na-igreja.jpg]
O jeito que ela ora é diferenciado.

Desde criança frequento a igreja e fui envolvido com alguns trabalhos por lá. Ultimamente estou mais envolvido com a música e todo final de semana toco em alguma celebração. Faço parte de um grupo de várias pessoas, a maioria mulheres, que ajudam nos vocais, pois bem.

Uma dessas garotas, Valquíria (nome fictício) é uma das melhores cantoras (imaginem o tamanho do ego), ela teve brigas com várias pessoas por lá. Tenho muitos amigos e conhecidos na igreja, incluindo meu irmão e minha cunhada, que me contam as fofocas que rolam nos bastidores. Igreja é cheia de podridão, acreditem, mas isso não mudou nada minha vida, já que entendo o significado de tudo isso e sei que a salvação é individual, no fim, só ignoro. 

Chegaram até meus ouvidos várias barbaridades da Valquíria, que andou mandando fotos nuas pra um conhecido que está noivo. Valquíria era a típica mulher de igreja, lá dentro uma santa, fora uma piranha. Inclusive andou namorando alguns homens de “fora”.

Eu terminei meu namoro a mais de um mês, mas mesmo quando namorava eu notava as investidas da Valquíria pra cima de mim. Não sou nenhum deus grego, mas perto dos betas da igreja acabo me destacando (esses caras são imersos até o pescoço e ficam miguxando essas rodadas). Valquíria sempre dizia que eu era “o melhor amigo que ela tinha” e que me contava tudo. Porra nenhuma.

Mal soube do meu término e me chamou pra sair. Eu que já sabia do histórico e munido dos poderes proféticos da Real fui pronto pra marmita-la, e assim aconteceu. Ela levou uma amiga de tira colo, que empacou meu rolê. Mantive a calma e esperei.

Descobrindo o lado profano

Mostrar ConteúdoSpoiler:

Levando ela pra casa (não me custou nada, já que ela mora a poucas quadras da minha casa e não consumi nada na noite) ela me lasca um puta beijo com direito a mão no meu pau e um boquetão digno de uma pornstar.

Alguns dias passado, eu não mandei mensagem, fiz de conta que aquele dia não existiu, ela me manda uma mensagem perguntando quando iriamos sair, que ela queria mostrar a habilidade dela na sentada, seguido de uma porrada de stickers de putaria. 

Se alguns trouxas lá da igreja soubessem de tudo isso entrariam em choque, eu só dei risada e marquei o abate.

No outro final de semana, querendo massagear meu ego, já que havia terminado e não queria perder tempo, busquei ela em casa e partimos direto pro motel. Lá a putaria comeu solta, a mulher fez uma performance que eu nunca havia recebido antes, ela realmente queria me da o famoso chá. 

Depois de ambos gozarmos, fomos pro segundo tempo. Eis que ela me lança a proposta:
-Você confia em mim?
- Claro que sim.

Óbvio que não, jamais confiaria em uma piranha mentirosa. Ela tem a fama de mentir muito, eu mesmo já peguei algumas. Ela já disse até que foi sequestrada, a vadia é maluca, mas eu não tenho medo.

Ela continua – Você já fez sexo sem camisinha antes né?
- Já, claro.
- Vamos?
- Não, acho melhor não.

Então ela se transformou. Ficou quieta, fechou a cara e não quis mais.
Falei pra ela se vestir, já que precisava ir pra casa. Pleno domingo a noite, tinha que levantar cedo no dia seguinte.

Chegando em casa ela me manda uma mensagem perguntando se eu não a achava atraente e tudo mais e perguntou se eu estava saindo com outras. Minha resposta foi “várias”. A garota recebeu um golpe forte no ego, disse que ela era uma iludida de achar que era a única.
Nota aqui: no dia do beijo deixei bem claro que era só curtição e que eu não queria nada, joguei limpo, deixei as regras claras em relação a marmitagem.

Muito textão depois respondi com: Você tá sendo muito dramática, nosso acordo era só curtição. Ela visualizou, não respondeu. Nunca mais falei com a dita, que nem nas celebrações esta indo cantar em sinal de protesto euhuheuheuhe.
E assim senhores, que a teoria da exceção de igreja cai por terra. O fato da mulher ir a igreja buscar perdão, sincero ou não, não a torna diferente, esse é o ponto que quero tratar.

Bônus pro relato:

Essa garota de antes, que ficou putinha por eu ir a minha igreja ao invés de sair com ela, que se dizia virgem, que só iria transar com alguém a amasse e tudo mais.
Primeira vez que saímos, uma caipirinha depois e estávamos no drive-in e a vadia me deu o cu no primeiro encontro, na primeira foda, nem disfarçou. Não caiam nessa.
Como registrei nesse causo  aqui , e com base nos diversos outros causos de comportamento puritano x realidade luxuriosa que estão espalhados no fórum, dá pra se chegar numa conclusão bem simples.

A maioria das vezes que se vê mina "muito metida em igreja" é das duas uma:

Ou quer zerar o contador de picas e acha que igreja pode "apagar o passado", embora eu sempre tenha minhas dúvidas que tenham se arrependido de coração;
Ou, o que pra mim é pior ainda, se faz de puritana para poder esconder as putarias que AINDA FAZ.

Raras exceções são de mulheres realmente preocupadas com o lado espiritual que não tenham uma conduta mundana fora da vista dos outros.

PS: Cabe um adendo aqui sobre as "cantoras" de igreja (fora o trocadilho da intimidade com microfone yaoming).

De modo geral são ególatras (devido à exposição) e, com o agravante de terem um status dentro da igreja, sempre tem uma legião de manginas e white knights as defendendo. Muitas usam desse artifício para obter certas vantagens e favores, enquanto pra "acasalar", escolhem alguém de fora da igreja e da pior estirpe ou atentam quem tenta seguir um caminho correto.

Nada de novo no front, no fim das contas. Mas ignorar que há uma matrix com relação à mulheres religiosas pega muitos novatos desprevenidos.
Na igreja há sim mulheres boas pra relacionamento. Boa sorte pra quem vai perder tempo procurando hahahahaha, belo relato confrade, se alguém ainda não tinha se atinado pra vadiagem que são a maioria das mulheres da igreja, seu relato vai ser um soco na fuça.
Gorlami, minha história é mto parecida com a sua, cresci na igreja, faço parte do louvor, sou destacado comparado aos betas e tenho a visão da real que me ajuda a fazer o "profile" das pessoas com o óculos da realidade.
Estou aqui para confirmar o fato de na igreja não ter mulheres "exceção". A diferença é que na igreja pode-se encontrar tanto homens e mulheres (poucos) que reconhecem não prestar muita coisa e tentam ser um pouco melhor. Ainda não encontrei uma parceira lá e nem tenho pressa, enqto isso vms marmitando quem não tá se esforçando pra ser melhor hahah
Faz uns 15 anos, também havia namorado uma crente ''dessas'', que também até cantava no louvor da igreja, durou 1 ano e meio; é desse modelo realmente.

E um ponto muito importante, apontado no relato do confrade, mulher de igreja mas que sai/fica/namora com caras ''do mundo'' já é ''red flag''.

Não passam de ''crentinas'', experts em dissimulações.
Parece coisa do diabo, fui agora no grupo de oração e quem estava lá? Não troquei ideia, fui pra rezar e não flertar. Chego em casa e ela me mandou um sticker: "Quero te dar e não é parabéns". Lamentável.

Mas não vou continuar não, essa marmita já azedou e ela é muito próxima da minha família. O mundo tem 3,5bi de opções a serem desbravadas, figura repetida não completa álbum.

Foi só postar o relato que a tentação aparece.
O bacana não é relato de mina puta de igreja.
O bacana é relato de mina firmeza de igreja.
Esses sim da gosto de ler.
Eu realmente não consigo ver esse tipo de situações e tantas outras espalhadas na Real sobre minas putas de igreja.

Na minha opnião a Igreja ainda é um dos poucos lugares a se conseguir uma mulher com caráter e com valores para um relacionamento e posteriormente um casamento.

Nenhum outro lugar é pregado valores morais como na Igreja. Para mim oque mais pesa de me relacionar com essas mulheres, é porque não tenho paciência para cú doce delas, além de ficar de papinho e "orar junto" confesso que não tenho paciência. Mas respeito totalmente a mulher que se guarda a isso.

Acho sim que o cara tem que ficar veiaco com mulheres que " eram do mundo" e de repente viraram santas . Mas oque eu vejo em minha realidade é diferente, vejo muitas meninas criadas na igreja desde novas.

Não quero dizer que nunca vi esse tipo de situação acontecer na vida real, mas digo que eu considero isso sendo uma excessão.

Enfim , fica minha opnião sobre o assunto. Volto a repetir, não consigo ver na sociedade outro local com mais mulheres de valores para um relacionamento do que na igreja.

Igreja ensina até a mulher a ser submissa ao homem..
(08-05-2019, 12:56 AM)Spectro Escreveu: [ -> ]O bacana não é relato de mina puta de igreja.
O bacana é relato de mina firmeza de igreja.
Esses sim da gosto de ler.

O problema é saber onde essas estão... Igreja ultimamente virou antro de "restos" arrependidos.

(08-05-2019, 10:02 AM)gRILO Escreveu: [ -> ]Eu realmente não consigo ver esse tipo de situações e tantas outras espalhadas na Real sobre minas putas de igreja.

Na minha opnião a Igreja ainda é um dos poucos lugares a se conseguir uma mulher com caráter e com valores para um relacionamento e posteriormente um casamento.

Nenhum outro lugar é pregado valores morais como na Igreja. Para mim oque mais pesa de me relacionar com essas mulheres, é porque não tenho paciência para cú doce delas, além de ficar de papinho e "orar junto" confesso que não tenho paciência. Mas respeito totalmente a mulher que se guarda a isso.

Acho sim que o cara tem que ficar veiaco com mulheres que " eram do mundo" e de repente viraram santas . Mas oque eu vejo em minha realidade é diferente, vejo muitas meninas criadas na igreja desde novas.

Não quero dizer que nunca vi esse tipo de situação acontecer na vida real, mas digo que eu considero isso sendo uma excessão.

Enfim , fica minha opnião sobre o assunto. Volto a repetir, não consigo ver na sociedade outro local com mais mulheres de valores para um relacionamento do que na igreja.

Igreja ensina até a mulher a ser submissa ao homem..

Boa sorte tentando achar mina submissa simplesmente porque é de igreja, grelo. ;'D'D

Mina criada "dentro da igreja" que sejam realmente corretas em sua conduta é que são exceção nesse mundão de hoje.

Na maioria das vezes é como eu já falei, a "castidade/santidade" é só pra esconder os podres feitos fora dos olhares dos outros.
Como eu também já falei, essa "esperança" é uma outra matrix que novatos precisam perceber e sair dela o quanto antes.
Não adianta nada a mina ser criada dentro da igreja se fora dela vive como uma outra qualquer.


Igreja que ensina valores morais? A maioria das "igrejas", essas igrejinhas de fundo de quintal, só pregam Teologia da prosperidade (teologia essa que só funciona pro pastor, claro).
Tirando algumas mais tradicionais, como a ICAR por exemplo, é "cada um por si" e os pastores disputando quem arregimenta mais fiéis - afinal a parcela da Land Rover não se paga sozinha haha .

E sobre mina "arrependida", ainda bem que nisso a gente concorda em algo, senão ia achar que é trollagem.
Realmente igreja tem se tornado um esconderijo das "piricrentes", aliás, onde se encontram os homens mais ingênuos da sociedade, - mais inexperientes com mulheres -, que servem como presas fáceis? Nas igrejas. Nunca gostei de frequentar igrejas, seguir doutrinas, quando tinha uma ou outra dúvidas achava outros meio de saná-la.

Já eu não perco tempo procurando mulher "séria" em lugar nenhum, já que casar não faz mais parte dos meus planos. Para quem procura meu sincero boa sorte.
Concordo com quase tudo dito pelo Josey Wales, menos nessa de que a ICAR é exceção. Ela é exatamente a mais podre de todas. Nada que qualquer pseudo-pastor pilantra já tenha feito se compara ao trauma que as vítimas de pedofilia sofrem. Sem falar nos relatos das freiras abusadas (Mary Ann Collins é uma de muitas). Um sobrinho meu, que queria ser padre, ficou um tempo numa espécie de seminário no interior de MG (esqueci em que cidade). Saiu apavorado com alguma coisa que ele viu lá, mas nunca quis contar pra ninguém o que foi.
(08-05-2019, 05:42 PM)Nikoomba Escreveu: [ -> ]Concordo com quase tudo dito pelo Josey Wales, menos nessa de que a ICAR é exceção. Ela é exatamente a  mais podre de todas. Nada que qualquer pseudo-pastor pilantra já tenha feito se compara ao trauma que as vítimas de pedofilia sofrem. Sem falar nos relatos das freiras abusadas (Mary Ann Collins é uma de muitas). Um sobrinho meu, que queria ser padre, ficou um tempo numa espécie de seminário no interior de MG (esqueci em que cidade). Saiu apavorado com alguma coisa que ele viu lá, mas nunca quis contar pra ninguém o que foi.

Eu disse que era uma exceção, no entanto não disse que era perfeita.

Só disse que com relação a pregar valores, ela é uma das poucas que tem uma doutrina rígida e não é meramente o que o pastor acha que é verdade. Logo, é uma exceção nesse mundo de hoje em que QUALQUER UM pode montar uma igreja no fundo de casa.



Podemos não desvirtuar o tópico?
Não vejo essa putaria generalizada em todas as igrejas, mas, quanto menos tradicional, menos controle por parte da família,  maiores são as bizarrices.

A igreja que freqüento hoje não tem uma única m$ol, por outro lado, já visitei algumas pentecostais onde a maioria das jovens já era e muitas vezes o pai da criança era "gente da melhor qualidade", fora a quantidade de gente "ex-tudo-de-ruim" que aparece. Em algumas igrejas já vi até carteira de cigarro em cima do banco.

Porém mesmo nas "melhores" moças haverá no mínimo uma grande hipergamia latente, isso fica óbvio quando elas focam nos destacados, que são geralmente os pastores, filhos de pastores ou dos caras mais ricos da igreja, pessoas que exercem cargos de liderança, como líder de grupo de jovens ou que estão em evidência como vocalistas e guitarristas. Isso em sí não é problema, mas facilmente percebemos que essas características se sobrepõem ao caráter e personalidade dos caras "escolhidos".

Conheço casos de mulheres que permaneceram virgens por muitos anos, porém a grande maioria era sub-mediana, então não posso dizer que foi por caráter ou falta de opção, aposto mais na 2ª opção.

Não há exceções em lugar algum, a mulher do caso do Gorlami já tem o lado obscuro bastante aflorado, PHD em putaria, essa é ida sem volta, mas isso não impede de que haja outra de melhor caráter lá, provavelmente mais mediana e menos assediada, que não tenha passado por essa quantidade de experiências.

Há que se ter cuidado também com aquelas que criam "artimanhas" para enganar a própria mente. É muito comum mulheres na igreja que já pagaram uns boquetes e fizeram sexo anal "guardarem" a vagina pro marido e se acharem virgens por causa disso. Enfim, tem de tudo, mas um bom realista saberá ler os sinais, pois é impossível a mulher ou qualquer outra pessoa esconder todas as evidências de seu lado obscuro, pois nossas experiência moldam nossa personalidade.
(08-05-2019, 06:59 PM)Senna Escreveu: [ -> ]Não há exceções em lugar algum, a mulher do caso do Gorlami já tem o lado obscuro bastante aflorado, PHD em putaria, essa é ida sem volta, mas isso não impede de que haja outra de melhor caráter lá, provavelmente mais mediana e menos assediada, que não tenha passado por essa quantidade de experiências.

Há que se ter cuidado também com aquelas que criam "artimanhas" para enganar a própria mente. É muito comum mulheres na igreja que já pagaram uns boquetes e fizeram sexo anal "guardarem" a vagina pro marido e se acharem virgens por causa disso. Enfim, tem de tudo, mas um bom realista saberá ler os sinais, pois é impossível a mulher ou qualquer outra pessoa esconder todas as evidências de seu lado obscuro, pois nossas experiência moldam nossa personalidade.

Cirúrgico, piloto!

Lá existem mulheres que, a princípio, são muito melhores na questão de valores, princípios e rodagem que a dita do relato. Algumas até que eu consideraria engatar uma relação, quem sabe.

A garota do relato é uma exceção (negativamente falando). O relato serve apenas pra fins didáticos e quebrar algum ideal de que só por ser de igreja torna a mulher uma santa.
Não frequento nem nunca frequentei igreja, mas a impressão que fica é que quanto mais proibido algo é, mais desejo se tem. Por exemplo, a igreja que prega que sexo só pode após o casamento está na verdade deixando um monte de adolescentes/jovens mais atiçados ainda a fazer sexo, muito mais do que se simplesmente fosse liberado. Proibição gera interesse.

O relato é bom (e parabéns por escrever tão bem), e sei que a intenção do autor não é de dizer que todas as mulheres de igreja se comportam assim. A ideia é: atente-se e lembre-se de que as red flags "de fora" servem pra dentro da igreja também, e talvez até mereçam mais atenção. Nunca acredite que uma mulher, homem, cachorro ou papagaio de igreja é melhor ou pior que qualquer outra pessoa, simplesmente porque você não sabe o nível de comprometimento que essa pessoa tem com sua própria fé. Existem pessoas que vão por obrigação, pra se sentirem pertencentes a um grupo, pra mostrar pros outros, por medo de irem pro inferno, pra tentar se reencontrar com algo bom depois de ter feito merda, pra achar um(a) pretendente,  enfim....mas em qualquer um desses casos é impossível prever se a pessoa realmente está vivendo sua fé (o que inclui as proibições, óbvio). 

No mais, essa menina da foto parece a Raquel Sherazade jovem.  (=

edit: agora que vi o comentário do Senna. Resumiu muito melhor o que eu disse.
Bem, realmente as que me deram mais problemas foram de igreja. Uma mesmo mentiu umas coisas meio pesadas pra mim (se bem que nem me importei mt quando descobri pq depois de um tempo de relação eu vi que não ia ter mt futuro aquilo).

Mas ainda acho que no ambiente atual ainda é o lugar que é menos complicado achar uma prestável.
Eu sinceramente acho que é bem diferente uma "pirigospel" que vive se """arrependendo""", uma mãe solteira que rodou em centenas de caras e agora quer que o cara espere até o casamento e uma mulher que cresceu no meio da igreja.
Não entendo como tem gente que acha que o pessoal de igreja é diferenciado de alguma maneira. Tirando alguns costumes de cada religião, é gente que nem a gente que tá lá.
Acredito que o primeiro lugar que uma Balzaca ou M$ol vai pensar para achar um beta vai ser em uma igreja.

Passei uma boa parte da minha vida na igreja então meus relacionamentos provem de lá.
Também já vi estranhos comportamentos por parte das moças que não condiz com essa realidade.

Na igreja existem muitos religiosos e poucos cristãos tanto no protestantismo e no catolicismo.
Se os ensinamentos forem levados a sério podem evitar muita merda.

Eu particularmente prefiro tocar na igreja do que na noite.
Para mim é muito gratificante estar lá e isso faz com que eu não deixe a igreja de lado.

As atitudes e comportamentos de algumas pessoas na igreja podem comprometer outras a ponto de desistirem da igreja.
No meu caso não, é gratificante e didático estar lá.

Lendo esse relato do Gorlami me trás as lembranças que trago comigo.
Que mesmo dentro da igreja passamos por sufoco.
(08-05-2019, 09:52 PM)Conrad Escreveu: [ -> ]Não entendo como tem gente que acha que o pessoal de igreja é diferenciado de alguma maneira. Tirando alguns costumes de cada religião, é gente que nem a gente que tá lá.

Conheço algumas mães que já falaram,inclusive para mim,que sua filha,a princesinha da Disney,é da Igreja."Não tenho preocupação nenhuma com ela!"
"Direita,recatada e estudiosa!"

haha
Páginas: 1 2 3