Fórum do Búfalo
Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Versão de Impressão

+- Fórum do Búfalo (http://forum.bufalo.info)
+-- Fórum: Desenvolvimento Pessoal (http://forum.bufalo.info/forumdisplay.php?fid=28)
+--- Fórum: Recomendados (http://forum.bufalo.info/forumdisplay.php?fid=15)
+--- Tópico: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] (/showthread.php?tid=5942)

Páginas: 1 2


Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Gobila - 06-03-2014

Antes de conhecer a Real, eu já procurava pelo Google informações referentes às mulheres e o seu lado obscuro (termo que não conhecia), até que um amigo me apresentou as obras de Nessaham Alita precisamente em fevereiro de 2013, com isso para chegar até o fórum do búfalo foi apenas uma questão de tempo.
Eu estava arrasado com o termino do meu segundo namoro, o primeiro durou 6 anos de uma garota que se dizia bissexual (mas na verdade era lésbica), que me enganava dizendo que conseguia ficar comigo sem problemas e me amava, ela acabava o namoro quando me enjoava e depois de um tempo procurava novamente e o matrixiano aqui, sempre voltava.

Até que um dia ela se assumiu lésbica e me deixou de vez, eu fiquei completamente destruído, mas resolvi seguir minha vida e procurar uma hetero para namorar, na minha lógica boba, eu acreditava que encontrando uma mulher hetero, seria mais fácil atingir a felicidade, já que estaria com uma garota que “realmente” gostava da minha pessoa.

A minha primeira namorada era muito bonita, tinha mais poder de barganha do que eu e possuía um corpo gostoso, cabelos loiros e olhos verdes. Para mudar o paradigma resolvi procurar uma nova namorada, mas dessa vez com uma barganha inferior e encontrei a garota certa, ela era uma submediana bem próximo de uma mediana (ao menos para a cidade que eu moro).

Essa nova garota era ótima por dentro, já que a anterior só tinha aparência e nada além. A nova morava em um bairro humilde, próximo de uma favela e eu morava no bairro de classe média alta da minha cidade, ou seja, eu era alfa e destacado pra ela, pelo menos até um determinado período.
O namoro era ótimo, ela tinha influências nerd, o que rendia horas de conversas e atolamentos na matrix, me fazendo ficar apaixonado com mais força, para completar era virgem (era o que ela falava), o que fez com que eu ficasse ainda mais apegado no processo de tirar a virgindade, entretanto toda essa alegria mudou quando ela ganhou uma bolsa para estudar na Europa durante 6 meses.

Quando ela saiu daqui, me prometeu que continuaria fiel, que a gente passaria esse tempo afastados, mas que nada ia mudar e então firmamos um pacto de compromisso e tudo lindo bla bla bla. Eu nem podia imaginar, mas a minha bruxa madrinha estava se transformando aos poucos.
No primeiro mês dela na Europa, tudo foi tranquilo e o namoro prosseguiu sem problemas, no terceiro mês eu fui pra lá, isso mesmo confrades, eu fui até a Europa, torrando minhas economias e um pouco do dinheiro do meu pai, apenas para passar uma semana com minha “amada” com o intuito de fortalecer nosso sentimento.

O que eu ganho com isso? O atraso de 2 horas para ela me pegar no aeroporto e a desculpa que dormiu demais...levei 6 camisinhas e utilizei apenas 3 em uma semana. Ela já não tinha o mesmo interesse por mim e o sexo foi para as cucuias. Voltei para o Brasil e após um mês ela me finalizou sem a menor piedade.
Com influência das “zamigas” de lá que eram brasileiras loucas por curtição, ela acabou comigo afirmando que não gostava de mim como homem, apenas como “amigo” e que ela estava jovem e queria aproveitar que estava na Europa para ficar com outros caras. Ela costumava mentir para mim, dizendo que não sentia nenhuma atração por outros caras e eu acreditava nela. O golpe final foi quando ela me humilhou afirmando que os homens da Europa eram mais evoluídos e condizentes com as perspectivas dela, ela era feminazi e os caras lá só queria coisas casuais e eu betão queria uma coisa séria com ela, com isso acabava sufocando-a. Vejam a mudança, no começo eu era alfa/destacado, no final um macho de terceira categoria que estava atrapalhando o desenvolvimento dela.

Para piorar a situação, na semana que ela me chutou as universidades federais ficaram de greve em 2012, uma greve que durou 6 meses, então, eu fiquei sem namorada, sem ter o que fazer e fudido. Por sorte consegui um emprego para me ajudar nesse momento difícil.
No final das contas, com a ajuda da Real, descobri que ela era uma feminazi e queria curtir a juventude sentando em um canavial de rolas e arranjar um beta provedor quanto tivesse mais de 30 anos para “quem sabe” ter um filho. Ela costumava me falar que não queria casar cedo, que tinha receio dessas coisas e por falta de informação eu não conectava os pontos do feminazismo que ela estava atolada (ela fazia letras, foi influenciada pelas professoras a idolatrar o feminazismo).

Conheci a Real através de um amigo, que hoje é meu parceiro GDR aqui da minha cidade, em fevereiro de 2013 comecei a ler as obras de Nessaham, era época de carnaval e eu li todos os livros no feriado. A cada página era uma felicidade imensa, eu me sentia feliz ao ler Nessaham.
Sentia-me feliz, pq finalmente eu encontrei alguém que entendia o que eu tinha passado e que as minhas duvidas não eram loucuras da minha cabeça. Lembro que eu ouvi um encontro de Minas do pessoal do FB e um dos confrades afirma no seu relato que ele era um beta que seguia a risca o manual do mangina, em ser um homem bonzinho e só se fudia.

Era exatamente o que acontecia comigo, eu sempre seguia os ensinamentos do homem cavalheiro, romântico, sensível, mas as mulheres me tratavam como lixo, eu me perguntava o que estava acontecendo? Pq essas coisas aconteciam comigo se eu era um cara tão gente boa? Adorado pelos amigos das exs namoradas, pelos pais delas e tudo mais.
Muitos da real ao ler Nessaham se sentiam perdidos e insanos, eu me sentia bem, pois ali era um momento que eu podia refletir sobre meu sofrimento de forma racional, em março criei minha conta no FB e comecei a participar timidamente, meio que tentando me enturmar com os confrades.

Durante esse 1 ano de Real eu expandi minha mente em um nível que eu jamais imaginei, hoje eu consigo ver as artimanhas femininas em curso a todo momento, principalmente das garotas que meus amigos estão ficando. Chega a ser hilário quando uma garota ataca minha masculinidade quando sou contrário a alguma afirmação dela, normalmente me chamando de imaturo, apenas por discordar dela.
A questão do desapego, eu acredito que tenha sido o meu maior avanço, já que na época da matrix eu era um cara muito apegado, ansioso, cheio de expectativa, sonhador e que não conseguir entender nem o próprio umbigo. Se eu pudesse dar um conselho para quem está lendo meu tópico e é novo na Real, eu diria para focar no desapego.

Nada consegue te atingir quando você não espera absolutamente nada, isso em qualquer âmbito, seja profissional ou em relacionamentos, é como se você ativasse uma blindagem e não esperasse nada de ninguém, desta forma não vai existir mais frustração, você faz o que tem que fazer e você não espera que o outro faça algo para te ajudar, chegando a um ponto onde é possível prever que o outro vai falhar, desta forma você já consegue antecipar a merda em curso e tenta suavizar para uma melhor definição.
Com relação às mulheres, a coisa mais importante que eu aprendi é que elas não são nada além do que nossos olhos podem ver, ou seja, uma pessoa, apenas mais uma pessoa. O problema do homem na matrix é que ele olha a mulher como se fosse algo único, a visão do matrixiano é completamente distorcida da realidade.

Eu percebi isso um dia que olhei a carteira de motorista de uma garota que eu tava ficando e lá eu vi uma foto de uma pessoa qualquer, com a cara séria e sem aquele fascínio todo, ela era apenas mais uma na fila, foi nesse momento que percebi que eu não estava sendo sugado pelo canto da sereia e eu a encarava com uma normalidade que deixava as pessoas próximas inquietas, principalmente pq alguns conheciam um Gobila mais grudento e necessitado de atenção.
Desenvolvimento pessoal é o ponto mais importante, isso sem sombra de dúvidas, não adianta ser alfa/destacado/fodão se você é um incrível manginão, é preciso se desenvolver e sair da zona de conforto, pq a coisa que mais atrapalha o desenvolvimentos das pessoas é a preguiça, pois o cara finca raízes e não quer avançar além daquela zona, como se tivesse medo que está além da neblina.

Então, para finalizar, só tenho a agradecer a todos os confrades que participam desse Fórum, pelas dicas, incentivos e informações. Acreditem para o homem comum (beta/matrixiano/mangina) esse mundão ai é uma selva perigosa onde esses rapazes não fazem a menor ideia de como proceder para sobreviver nesse mundo vaginante. Desta forma eu acredito que a Real possa salvar vidas, não no intuito de combater suicídio (sei que também pode ajudar nesses casos), digo no despertar da matrix e no acompanhamento no desenvolvimento pessoal.

Obrigado a todos os Confrades e até o próximo tópico.


RE: 1 ano de Real - Legiao - 06-03-2014

Confrade Gobila,
Parabéns. Uma ano incrível,onde no seu relato voce saiu de uma inercia/de um atolereiro matrixiano enorme para a luz da verdade. Tenho certeza que a Real,te salvou como a mim,e tantos outros confrades!

Sds,


RE: 1 ano de Real - Bruce N. - 06-03-2014

suor másculo saindo dos olhos yaoming

esses relatos de superação são fodas.
parabéns gobila.

e viva a real


RE: 1 ano de Real - Aquiles - 06-03-2014

Citar:A questão do desapego, eu acredito que tenha sido o meu maior avanço, já que na época da matrix eu era um cara muito apegado, ansioso, cheio de expectativa, sonhador e que não conseguir entender nem o próprio umbigo. Se eu pudesse dar um conselho para quem está lendo meu tópico e é novo na Real, eu diria para focar no desapego.

Seu relato foi muito bom, exemplo de conscientização, desapego, e libertação da matrix!

Parabéns Gobila!


RE: 1 ano de Real - Ray Palmer - 06-03-2014

Parabéns confrade pela superação.

A Real realmente não falha. Continue assim e seguindo o seu próprio caminho!


RE: 1 ano de Real - Senna - 06-03-2014

Gobila, parabéns pela superação confrade. Gostaria de deixar aqui uma sugestão para que seja mais fácil os novos membros que surgirem o encontrarem seu relato. Algo como as sugestões abaixo:

"Gobila, 1 Ano de Real [Relato]"

"[Relato] Gobila - 1 Ano de Real"


RE: 1 ano de Real - Gobila - 06-03-2014

(06-03-2014, 03:45 PM)Raito Escreveu: Gobila, parabéns pela superação confrade. Gostaria de deixar aqui uma sugestão para que seja mais fácil os novos membros que surgirem o encontrarem seu relato. Algo como as sugestões abaixo:

"Gobila, 1 Ano de Real [Relato]"

"[Relato] Gobila - 1 Ano de Real"

Título editado e obrigado pela consideração dos confrades!


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Hiroshi - 06-03-2014

Parabéns confrade! Me identifiquei muito com o seu relato.

Eu tbm conheci a real a pouco mais de 1 ano, quando paro pra me lembra de como eu era antes (romântico, manginão, sem nenhum conhecimento sobre as relações sociais, sem nenhum conhecimento político) vejo que evolui bastante!

Também estou conseguindo ver varias situações com os óculos da real, como essa de atacar a masculinidade como vc falou!


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Kohelet - 06-03-2014

(06-03-2014, 01:28 PM)Gobila Escreveu: Antes de conhecer a Real, eu já procurava pelo Google informações referentes às mulheres e o seu lado obscuro (termo que não conhecia), até que um amigo me apresentou as obras de Nessaham Alita precisamente em fevereiro de 2013, com isso para chegar até o fórum do búfalo foi apenas uma questão de tempo.

Gobila, estou procurando compreender melhor a filosofia de vida da Real e seu relato me auxiliou bastante! Muito obrigado e parabéns!

Tenho algumas perguntas de ordem prática, se você não se importa.

1) Sua vida melhorou de fato nesse 1 ano?
Pergunto isso tendo em perspectiva o desapego de que você fala. Me pergunto o seguinte: será que a vida melhora ou só as esperanças é que desmoronam?

2) Você voltou a firmar compromisso com alguma mulher nesse tempo ou considera fazê-lo (namoro, noivado, casamento)?

3) Você passou a usar serviços de GPs depois, já usava antes ou nunca usou?


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Gobila - 06-03-2014

(06-03-2014, 04:40 PM)Kohelet Escreveu:
(06-03-2014, 01:28 PM)Gobila Escreveu: Antes de conhecer a Real, eu já procurava pelo Google informações referentes às mulheres e o seu lado obscuro (termo que não conhecia), até que um amigo me apresentou as obras de Nessaham Alita precisamente em fevereiro de 2013, com isso para chegar até o fórum do búfalo foi apenas uma questão de tempo.

Gobila, estou procurando compreender melhor a filosofia de vida da Real e seu relato me auxiliou bastante! Muito obrigado e parabéns!

Tenho algumas perguntas de ordem prática, se você não se importa.

1) Sua vida melhorou de fato nesse 1 ano?
Pergunto isso tendo em perspectiva o desapego de que você fala. Me pergunto o seguinte: será que a vida melhora ou só as esperanças é que desmoronam?

2) Você voltou a firmar compromisso com alguma mulher nesse tempo ou considera fazê-lo (namoro, noivado, casamento)?

3) Você passou a usar serviços de GPs depois, já usava antes ou nunca usou?

1 - Confrade Kohelet, eu também pensava da mesma forma que você, será que se eu ficar desapegado vou matar minhas esperanças? Será que vou me tornar um cara frio e que não está nem ai para as pessoas?

Com o tempo eu percebi que foda-se as esperanças, isso tudo é mecanismo matrixiano pra manter a gente castrado, pra gente abaixar a cabeça e não tentar mudar as coisas e ficar correndo atrás de "becos sem saída". Hollywood tem prestado um desserviço a humanidade, eles ficam colocando na cabeça da gente que todos somos especiais e que vamos ter tudo na vida...e isso não é verdade, na cotidiano poucos conseguem chegar a concretizar todos os seus sonhos, a maioria consegue 1/3 ou metade.

Não leve a sério essa busca incansável por esperança e sonhos, isso só vai te deixar frustado se você não conseguir, simplesmente faça o que vc tem que fazer, busque evoluir fisicamente e intelectualmente.

Eu digo que a vida com desapego melhora sim e muito, pq eu parei de ser um betão que chorava por mulher que me tratava que nem lixo, eu parei de tentar conquistar a aceitação das pessoas. Não existe coisa mais idiota do que uma pessoa insegura que precisa ser aceita o tempo todo e tolera situações humilhantes apenas para não ficar "sozinho", ou para que os outros achem você legal.

Eu me cansava que ajudar pessoas que não mereciam meu esforço, apenas para que elas pudessem me respeitar. Elas me respeitam? Sim, mas apenas quando era conveniente pra elas, no final da história eu só ficava frustado e deprimido.

A vida desmoronar? Quando você conhece a real e sai da matrix bate uma tristeza, mas ela não é plena, com o tempo você vai conseguindo observar as coisas e até se diverte com as situações.

Desapego não é você se tornar uma pessoa inerte ou sem perspectiva de futuro, desapego é você aprender a dedicar mais o seu tempo pra você e parar de esperar que as pessoas façam com você o que você faria por elas.

Se você tem um pai e uma mãe que são bons para você, agradeça todos os dias e coloque eles como prioridade, pois são as únicas pessoas que vão te aceitar e te apoiar na merda (depende da merda claro).

2 - Eu não voltei a namorar com nenhuma mulher, eu tenho marmitas que mantenho apenas para esvaziar o saco. Não considero entrar em relacionamento até que eu esteja com minha vida estabilizada, me atrasei muito por conta das duas ex namoradas, foram 6 anos com a primeira e quase 2 anos com a segunda, totalizando 8 anos, então quero um descanso.

Estou muito cético em relação a relacionamentos, entretanto quando possuir uma estabilidade financeira, não descarto a possibilidade de ter um relacionamento sério.

3 - Eu transei com uma GP a muito tempo atrás, quando tinha 14 anos, depois disso nunca mais e com o avanço do feminazismo e as mulheres vadias, da pra arranjar marmitas com tranquilidade.

Espero ter esclarecido as dúvidas, qualquer outra pergunta não hesite em mandar.


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - AKRAME - 06-03-2014

Parabéns Gobila,continue se desenvolvendo e persiga seus objetivos,com fé e determinação....


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - cabraman - 06-03-2014

parabéns.


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Sedsage - 06-03-2014

A Real salva vidas. Deveria fazer parte da grade escolar do primário até o fim da faculdade.


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Tim Laflour - 06-03-2014

Gobila, sua história de superação é foda e sua contribuição aqui no fórum sempre foi, ao meu ver, indispensável. Parabéns!


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Kohelet - 06-03-2014

(06-03-2014, 05:23 PM)Gobila Escreveu: Espero ter esclarecido as dúvidas, qualquer outra pergunta não hesite em mandar.

Sem mais, confrade. Fico feliz pelo seu desenvolvimento!
Espero que prossiga colaborando com este forum.


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - masculinitude - 06-03-2014

(06-03-2014, 08:36 PM)Kohelet Escreveu:
(06-03-2014, 05:23 PM)Gobila Escreveu: Espero ter esclarecido as dúvidas, qualquer outra pergunta não hesite em mandar.

Sem mais, confrade. Fico feliz pelo seu desenvolvimento!
Espero que prossiga colaborando com este forum.

[2]


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Smith - 06-03-2014

Parabéns confrade, eu no meu primeiro ano de Real era cabação revoltado com a vida e perdendo os cabelos e a saúde e não desenvolvi nada, a única coisa que realmente prestou definitivamente e que mudou totalmente a minha vida foi ter se desapegado e deletado a BM da vida e tudo.

Tava num nível de apego e sofrimento desgraçado tão extremo que fiquei 1 ano todo nisso, e me fudendo em outras áreas da vida tbm.

Mas foi importante.

PS: eu sempre confundi "gobila" com "gokixa", que era um usuário do fórum antigo, não sei se ele tem cadastro por aqui também, rs.


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Professor - 06-03-2014

Parabéns Gobila, keep walking this way!

Minha vida também melhorou muito quando eu passei a não esperar nada das pessoas, foi libertador. Não há decepção, nem raiva, nem nada. Se vier coisa boa, beleza, se vier merda, não muda nada na minha vida.


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Dr. House - 06-03-2014

Parabéns confrade gobila, conquistar a arte do desapego não é para todos e a real é pra poucos.


RE: Gobila, 1 Ano de Real [Relato] - Spectro - 07-03-2014

Parabéns mano gobicha trollface
Brincadeiras a parte, você está de parabéns pela lucidez e pelo desenvovimento pessoal alcançado. Muitos anos de real pra você. Semper viri.