Fórum do Búfalo
O que e a masculinidade - Versão de Impressão

+- Fórum do Búfalo (http://forum.bufalo.info)
+-- Fórum: Desenvolvimento Pessoal (http://forum.bufalo.info/forumdisplay.php?fid=28)
+--- Fórum: Saúde (http://forum.bufalo.info/forumdisplay.php?fid=13)
+--- Tópico: O que e a masculinidade (/showthread.php?tid=8296)



O que e a masculinidade - Abreu - 22-10-2015

Texto extraido da
Confraria da virilidade

http://confrariadavirilidade.blogspot.com.br/2015/10/o-que-e-masculinidade.html?m=1

O que é a Masculinidade?

Nesse artigo vamos abordar o que é a masculinidade, definir alguns parâmetros para que começemos realmente a elaborar um conceito sólido e vívido sobre o que é a virilidade. Aos poucos vamos inserindo outras questões e ampliar o tema, mas, vamos essa iniciar jornada com esse pequeno artigo. Ainda há muito a abordar e de maneira nenhuma o aqui exposto reflete totalmente o que é a masculinidade nem encerra o tema. Então vamos ao artigo.






(traduzido e adaptado dehttp://goo.gl/q0Lrr6)


A necessidade de plantar  masculinidade em uma base sólida

Embora existam alguns princípios eternos de virilidade, características celebradas por centenas de diferentes culturas em diferentes épocas, alguns dos ideais de masculinidade têm variado em todo os povos e períodos de tempo. Estes aspectos da masculinidade foram plantadas em partes transitórias da cultura.

Para muitas culturas antigas, masculinidade estava enraizada em ser um guerreiro. Mas era uma masculinidade específica do campo de batalha e mal preparada para a vida em tempos de paz. No início da história americana, masculinidade estava conectada com ser um agricultor ou artesão independente. Mas quando a Revolução Industrial mudou os homens do campo à fábrica, os homens se perguntaram se a verdadeira virilidade era possível na ausência da independência econômica que possuíam no passado. No século XX, masculinidade significava ser o arrimo familiar. Mas durante os períodos de depressão e recessão, e quando as mulheres se juntaram a força de trabalho em grande número, os homens sentiram-se profundamente emasculados. E em muitas culturas em momentos diferentes, ser um homem significava ser parte de uma classe privilegiada ou raça; nos Estados Unidos, os homens escravos eram a propriedade dos "homens de verdade". Quando educação e cidadania tornou-se viável para qualquer pessoa disposta a se colocar no trabalho, os homens sentiram que não só a sua posição de privilégio estava sob ataque, mas a sua própria masculinidade:


Quando masculinidade se relaciona com tais marcos culturais, e, finalmente esses conceitos efêmeros e os tempos mudam, resultam numa crise de masculinidade. Alguns homens, em seguida, se apegam teimosamente a um passado que não pode ser recriado enquanto outros procuram redefinir a masculinidade de forma que, embora bem intencionados, acabam tirando a masculinidade de sua vitalidade única. Assim, a definição de masculinidade objetiva precisa estar enraizada em uma fundação firme e inabalável. Uma que funcione a qualquer tempo, lugar e cultura e e atinja qualquer homem, em qualquer situação.

Virilidade como Virtude

Embora a definição de masculinidade tenha sido incessantemente discutida e dissecada em tomos eruditos, a minha definição de masculinidade é realmente muito simples e antiga.

Aristóteles estabeleceu em sua Ética a Nicômaco um código de ética para os homens viverem. Para Aristóteles e muitos dos antigos gregos, masculinidade significava viver uma vida cheia de eudaimonia. O que é eudaimonia? Tradutores e filósofos deram definições diferentes, mas a melhor maneira de descrever eudaimonia é viver uma vida de "prosperidade humana", ou excelência. Aristóteles acreditava que o propósito do homem era tomar ações guiadas pelo pensamento racional que levariam a excelência em todos os aspectos de sua vida. Assim, masculinidade significava ser o melhor homem que você pode ser.

Para os antigos romanos, masculinidade significava viver uma vida de virtude. Na verdade, a palavra "virtude" vem da palavra latina virtus, o que significava virilidade ou força masculina. Os romanos acreditavam que para ser viril, um homem deve cultivar virtudes como a coragem, temperança, diligência e obediente. Assim, para os antigos romanos, masculinidade significava viver uma vida de virtude.

Assim, a minha definição de masculinidade, como Aristóteles e os romanos, é simples: buscar a excelência e a virtude em todas as áreas de sua vida, cumprindo o seu potencial como um homem, e ser o melhor irmão, amigo, marido, pai e cidadão que puder ser. Esta missão é cumprida pelo cultivo de virtudes masculinas, como:


CoragemLealdadeResiliênciaResoluçãoResponsabilidade pessoalAuto-SuficiênciaIntegridadeSacrifício

Estas virtudes são masculinidade. E elas podem ser desenvolvidass por qualquer homem, em qualquer situação. Desde o soldado ao guerreiro corporativo, do bombeiro ao pai que fica em casa. As formas pelas quais os homens de hoje podem demonstrar essas virtudes podem muitas vezes ser menores e mais silenciosas do que os nossos antepassados, mas isso não torna menos importante ou vital.

Neste ponto, alguém sempre vai entrar e dizer: "Espere, espere, as mulheres não devem lutar por essas virtudes também?"

Absolutamente.

Há duas maneiras de definir a masculinidade. Uma maneira é dizer que a masculinidade é o oposto da feminilidade. A outra é dizer que a virilidade é o oposto da infância. (eu acrescentaria uma terceira definição, mas, vai ficar pra um outro artigo)

A primeira parece ser bastante popular, mas muitas vezes leva a um tipo superficial de masculinidade. Os homens que atribuímos a esta filosofia acaba cultivando uma masculinidade preocupado com características externas. Eles se preocupam se x, y ou z é viril ou se as coisas que eles gostam e fazem são efeminados, porque muitas mulheres também gostam.

Subscrevo a última filosofia. Masculinidade é o oposto da infância e possui seus próprios valores internos. Uma criança é egocêntrica, medrosa, e dependente. Um homem é ousado, corajoso, respeitoso, independente e serve aos outros. Assim, um homem se torna um homem quando ele amadurece e deixa para trás as coisas de menino. Da mesma forma, uma mulher se torna uma mulher quando ela amadurece na idade adulta real.

Ambos os sexos são capazes e devem se esforçar para ser virtuosos e buscar a excelência humana. Quando uma mulher vive as virtudes é a feminilidade; quando um homem vive as virtudes é a masculinidade.

Isso não quer dizer que eu acho que os sexos são idênticos. Em the Code of Man, Dr. Waller Newell argumenta:


"Nós precisamos apontar que o cumprimento mais alto das virtudes morais e intelectuais que todas as pessoas são capazes são as mesmas para homens e mulheres, embora reconhecendo as diversas qualidades que os homens e mulheres contribuem para este esforço humano comum pela excelência, precisamos de um simpático reengajamento com os ensinamentos tradicionais que enfatizam que enquanto os homens e mulheres compartilham uma mesma capacidade para as mais altas virtudes, suas paixões, temperamentos e sentimentos podem ser diferentes, resultando em caminhos diferentes para esses pontos comuns ".


O que significa dizer que as mulheres e os homens se esforçam pelas mesmas virtudes, mas muitas vezes atingem-as e expressam-nas de maneiras diferentes. As virtudes serão vividas e manifestadas de forma diferente na vida das irmãs, mães e esposas, do que em irmãos, maridos e pais. Dois instrumentos musicais diferentes, tocando exatamente as mesmas notas, irão produzir dois sons diferentes. A diferença entre os sons é uma daquelas coisas inefáveis que são difíceis de descrever com palavras, mas fáceis de discernir. Nem um instrumento é melhor do que o outro; nas mãos do diligente e dedicado, cada instrumento toca música que enche o espírito e acrescenta beleza ao mundo.

Masculinidade e a Cultura da Masculinidade



Embora eu pense que os homens e as mulheres podem apontar para o mesmo objetivo de excelência virtuosa, eu não acho que nós temos fraquezas idênticas nessa jornada.

Uma das fraquezas exclusivas dos homens é que temos um período muito duro na mudança da infância até a idade adulta. Sim, é uma generalização, mas as mulheres parecem ter uma transição mais fácil e mais natural para a vida adulta madura. Homens, por outro lado, muitas vezes necessitam de um empurrão para deixar para trás a adolescência. É mais fácil manter-se dependente, ficar como um consumidor, em vez de um criador, viver para si mesmo, em vez de para os outros.

Culturas em todo o mundo reconheceram isso. Foram projetados meios para resolver esse problema e para fazer masculinidade uma meta desejável, algo que os homens querem desesperadamente alcançar. Imaturidade foi estigmatizada. O que a cultura da virilidade fez foi fornecer um impulso externo que atraiu tantos homens quanto possível para a idade adulta, era uma rede ampla, uma maré que levantou muitos barcos e motivou muitos homens que caso contrário teriam se escondido no fundo do poço e vivido vidas medíocres e seguras.

Vemos que isto foi jogado fora na sociedade moderna onde já não existe uma forte cultura de homens e masculinidade - muitos hoje estão lutando para crescer e por uma maturidade honrosa. Eles nunca estão certos quando cruzaram esse limite e deixaram para trás o menino e assumiram o manto da masculinidade.

Mas mesmo que nós já não temos uma forte cultura de masculinidade, isso não significa que não há ainda pessoas que procuram masculinidade por conta própria. Estes homens são em menor número e são auto-motivados. Seu desejo de masculinidade vem de dentro, a partir de uma unidade interna.

Mas a realização de masculinidade não acontece em um vácuo privado. Os homens que admiro hoje, os homens que alcançaram maturidade apesar das probabilidades, todos têm uma coisa em comum: Eles procuraram e completaram um rito de passagem. Eles foram à procura de um desafio quando os outros se esconderam dele.

As oportunidades de provar a sua masculinidade e experimentar uma passagem rito de são quase inexistentes, este foi concebido para descrever o estado de coisas em um nível cultural. Sociedade tornou-se tão fragmentada que já não existe ritos de passagem que são reconhecidos por toda a "tribo".

O desafio para o homem de hoje é tornar-se parte das pequenas tribos que ainda oferecem este inestimável rito de passagem. Os militares, igrejas, organizações fraternas, e aventuras de outros tipos ainda podem ajudar os homens a atravessar a ponte para a idade adulta ou a passagem pode vir a um homem por acidente, através da forte experiência da morte de um pai ou a contração de uma doença. Pelos meios que vem, o rito de passagem quebra a força gravitacional e a última resistência no caminho trilhado por tantos, e impulsiona um homem a estrada para a verdadeira masculinidade.

A perda de uma cultura de masculinidade certamente tem as suas desvantagens - menos homens são estimulados a atingir a maturidade masculina. Mas, para os homens com coragem para procurá-la ainda, a vantagem é que a masculinidade que eles esperam não nascerá de pressões externas ou expectativas culturais, mas de valores internos, consciência, verdade e coração.

A verdadeira masculinidade ainda existe para aqueles que a procuram.


RE: O que e a masculinidade - Héracles - 22-10-2015

Eu li esse texto hj, ai nesse blog. Excelente texto, muito inspirador e esclarecedor!

É seu esse blog confrade Abreu?


RE: O que e a masculinidade - Deuxcartes - 22-10-2015

TExto interessante, salvei para continuar a leitura depois. Vlw Abreu.


RE: O que e a masculinidade - Abreu - 23-10-2015

Nao confrade Hercules sou um reles espectador mas logo farei algo do tipo.


RE: O que e a masculinidade - Marcílio - 23-10-2015

Bacana.

Interessante a dualidade ser o melhor x viver o máximo de sua capacidade, sendo que o primeiro geralmente é reconhecido pelo meio social, e o segundo deve ser trabalhado como forma de conquista do homem.

Só que achei uma perspectiva meio utilitarista da coisa que se espera de um cara: ser homem é ser útil em seu meio social. Se bem que com mulher, sucede a mesma coisa, principalmente na questão da maternidade.

Sobre os rituais de transição de menino pra homem, semelhanças com o que se passa por aqui quando diz que a Real é na rua ou sujeito que é forjado no inferno, não é mera coincidência. Sofrimento faz parte dessas etapas, não adianta fugir.


RE: O que e a masculinidade - Bean - 24-10-2015

Acabei de clicar em um link que me redirecionou para o ask do Doutrina eis que vejo essa respota que gostei muito, para não criar outro tópico vou posta-lá aqui.

"Macho é quem sai pra trabalhar todo dia mesmo sem ter perspectiva, lutando para pagar suas contas sem qualquer incentivo. Macho é o pai que se preocupa em educar seu filho por acreditar na família tradicional. Macho é quem deixa de comer para dar o que há de melhor aos filhos. Macho é quem rejeita o amor romântico e não tem medo de encarar os relacionamentos de modo racional. Macho é quem fica em casa estudando para ter um futuro melhor ao invés de ficar correndo atrás de vagabunda. Macho é quem manda os amigos paspalhos para a puta que pariu quando eles tentam levá-lo para um mau caminho. Macho é quem não tem vergonha de obedecer seus pais e ir contra os próprios amigos. Macho é quem acredita na sua própria capacidade e vence as barreiras por si mesmo ao invés de querer obter vantagens e facilidades se fazendo de vítima. Macho é quem não se submete ao politicamente correto e não tem medo de expor suas opiniões e de contrariar o senso comum. Macho é quem estende a mão a outro homem e não nega ajuda quando está a seu alcance fazê-lo. Macho é quem não rejeita um trabalho braçal e vai ser pedreiro, lixeiro, faxineiro se isso significar o sustento dele e de sua família. Macho é quem cuida de seus pais na velhice retribuindo tudo o que fizeram por ele ao invés de deixá-los apodrecer num asilo. Macho é quem rejeita mentir para o INSS para conseguir afastamento fraudulento para ficar em casa coçando o saco sem precisar trabalhar. Macho é quem valoriza seu emprego e veste a camisa mesmo tendo um chefe pilantra e vagabundo. Macho é quem tem dívidas mas não desiste, levanta e trabalha todo dia pra conseguir pagar e se organizar. A masculinidade não tem nada a ver com o número de piranhas que você pega, com o número de vagabundas que você beija numa micareta. Isso não é ser macho. Masculinidade tem a ver com honra, tem a ver com manter seus princípios mesmo sendo desvantajoso para você fazê-lo, tem a ver com vencer uma queda de braço todos dias e construir seu próprio legado. "


RE: O que e a masculinidade - cabraman - 25-10-2015

Gostei muito do texto, embora prefira a definição do Pe Paulo Ricardo.