Fórum do Búfalo
Discussão - Intercâmbio - A REAL - Versão de Impressão

+- Fórum do Búfalo (http://forum.bufalo.info)
+-- Fórum: Desenvolvimento Pessoal (http://forum.bufalo.info/forumdisplay.php?fid=28)
+--- Fórum: Outros (http://forum.bufalo.info/forumdisplay.php?fid=12)
+--- Tópico: Discussão - Intercâmbio - A REAL (/showthread.php?tid=9461)

Páginas: 1 2


Discussão - Intercâmbio - A REAL - Dank - 20-01-2018

Boa tarde senhores,

Faz uns anos que não posto, mas voltei com um tópico que acho que vai ser bem útil pra muita gente:

Intercâmbio, qual a real?

Vale a pena, largar sua carreira aqui e tentar a sorte fazendo subempregos fora, na sorte de tentar ficar por lá?

Vale a pena, como sabático de uns 2,3 meses, estudando uma cultura diferente e quem sabe curtindo a mulherada lá? E gastando mais de 10 mil reais?


E todos sabemos que o Bostil tende a piorar, até que ponto o desenvolvimento profissional vale a pena ser seguido aqui?


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Digons - 20-01-2018

Se você tem certeza que poderá se estabilizar em outro país, por que não? Frisando, se você tem CERTEZA que terá estabilidade em outro país. Em relação a intercâmbio, contanto que não interfira muito nos seus estudos. É a minha opinião


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Baralho - 20-01-2018

De início buscaria informações em cursos de inglês [cultura inglesa, fisk, por ex.] e empresas de turismo, que orientariam quanto á obtenção de visto.

O passaporte é condição primária, se não tem, é ir segunda na PF providenciar um.

Salvo engano tem um tópico no LR sobre as andanças de um confrade pelos US; tem várias páginas, mas uma leitura de 1 hora talvez ajude com respostas ou questões melhor formuladas.

E boa sorte.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Thanatos - 20-01-2018

Depende. Algumas perguntas.
- Já tirou um visto?
- Já viajou pra fora, nem que seja pra argentina ou paraguai?
- Sabe falar quais idiomas?
- Tem quanto dinheiro pra gastar?
- O que vc quer fazer lá fora? Se é estudar um ano e aprovar matérias, já viu se vai dar pra aproveita-las? Se é só aprimorar o inglês, um curso de verão como que meu irmão mais novo já fez no Canadá deve bastar.
- Qual país(ou quais países) vc pretende ir? Já leu sobre as leis de imigração de lá? Sabe se vai poder fazer estágio enquanto estiver no intercâmbio?
- Pretende morar sozinho ou com alguma família que te aceitar ai?
(...)

Sair do país ainda que temporariamente é algo muito bom, vai melhorar seu currículo, vai te dar novas perspectivas, experiências únicas, mas deve ser seriamente estudado.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - loeb - 20-01-2018

Da uma olhada no Canal do Malandragem USA.

https://m.youtube.com/channel/UCjMuGxc2lR9ibySdshTYBEA


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Ripper - 22-01-2018

Acho válido.

Não conheço ninguém que tenha se arrependido.

Tenho um amigo na Irlanda. É engenheiro eletricista e tava ganhando 15k em SP na GE. Infelizmente, com a quebra dessas empresas ele foi dispensado. Pegou a rescisão, vendeu o carro e se mandou! Tá sendo bartender lá, mesmo assim, vive com dignidade!

Não sei como funciona a questão dos vistos e tal. Mas, se tivesse 21 de novo, recém formado e com a cabeça que tenho hoje, iria sem pensar duas vezes! Embora o Doutrina condene tal atitude rsrs.

Passagem só de ida!


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Wild - 23-01-2018

Cara, falando sério, depende do que você for fazer e onde. Tipo, visto a situação dos países mundão afora, não é qualquer país que vai aceitar qualquer malandro.

Muitos países tem problemas demais pra ter que importar outros, se é que me entende. Leve essa regra básica em consideração, nem sempre você será bem vindo se não tiver algo (que seja dinheiro até) a oferecer.

Tive muitos colegas que foram pelo Ciências sem Fronteiras e, pelo que ouvi falar dos caras, me disseram que vários fizeram assim: esperaram só um período no Brasil pra concluir a graduação e depois voltaram. Mas isso por que eram estudantes financiados e o custo de manter um lá fora é caro, as universidades são um olho da cara. Eles não estavam lá como ralé.

Então que o negócio é você ir como estudante ou estagiário, seja intercâmbio desses de cursinho de inglês, seja estágio, seja bolsa de mestrado e doutorado (graças a Deus ainda existem algumas). Coisa com hora de entrada e saída bem regulada, sabe? Daí você pode desenrolar as coisas por lá para se preparar para sua segunda ida (a pra morar mesmo). Mas você tem que chegar lá sendo "gente", tendo o que oferecer, não sendo apenas um qualquer ou um rejeitado do país de origem. Você prepara tudo e quando chegar a hora já vai estar habituado com tudo pronto e pimba.

Outra dica importante que me vem aqui a cabeça é não se conformar nem ficar na zona de conforto, tem que meter as caras, aprender a língua local, estar disposto a comer o pão que o diabo amassou... Lembro disso de um relato que li no Mundo Realista, do Libertador se não me falha a memória. Se o cara ficar só na ondinha com os BR local não vai aprender a se virar nunca. Por sinal aquele relato é muito bom, se eu achar depois, te passo na faixa.

Lembre apenas que não é coisa fácil, pois se fácil fosse, muita gente já teria ido. A real é essa, é algo difícil pra caramba, poucos conseguem se dar bem, mas pode ser bem recompensador.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Rapaz Iniciante - 23-01-2018

(22-01-2018, 10:49 AM)Ripper Escreveu: Não conheço ninguém que tenha se arrependido.

Tenho um amigo na Irlanda. É engenheiro eletricista e tava ganhando 15k em SP na GE. Infelizmente, com a quebra dessas empresas ele foi dispensado. Pegou a rescisão, vendeu o carro e se mandou! Tá sendo bartender lá, mesmo assim, vive com dignidade!

...Embora o Doutrina condene tal atitude rsrs.

Eu admiro demais pessoas que metem a cara no mundão. Eu preciso trabalhar melhor meu EGO.

E olha que nem sou ainda um profissional super destacado na minha área, mas me ver em situação de trabalho como estas comuns a imigrantes em países desenvolvidos, sinto um desconforto muito grande.

Se Deus quiser, espero jamais ter me submeter a tal situação...


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Ripper - 23-01-2018

Pois é amigo.

Mas o subemprego supracitado é temporário. Lá tem muito BR e as vagas são disputadas a tapa!

Ele já chegou a conseguir uma vaga de eng eletricista, só que o visto ainda não tinha o tempo necessário (ou algo nesse sentido). Ele tem avós alemães e pelo que soube, a família que ficou aqui tá correndo atrás de facilitar a cidadania. Acredito que depois disso, vá melhorar as coisas.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Spectro - 23-01-2018

Vale a pena abandonar seu país onde você atua em nível superior pra trabalhar de garçom lá fora?

Nada contra os garçons....

Mas pura que pariu em vocês, como podem pensar tão pequeno...como podem ser um monte de babacas que vêm aqui fazer perguntas cretinas... facepalm

Eh lógico que não vale a pena.
Parem de achar que é tudo sobre dinheiro. Dinheiro tem que ser consequência de se fazer oque gosta, te ter um trabalho, um sentido pra algo, uma razão de vida....vocês fazem as coisas muito cegos, despropositados, gananciosos de merda que não sabem nem lidar com dinheiro, aposto que huezeiros que são iam gastar o primeiro salário numa idiotice tipo um tênis de 600 reais.

Acordem seus merdas, a vida tem que ter propósito, ou você tem um trabalho que te preenche que te dá significado, ou você tem um emprego, que só serve pra ganhar dinheiro e te manter infeliz sem usar seus dons e capacidades.

Não é possível que vocês são tão vazios e burros desse jeito.

Ao invés de buscar a excelência profissional no país que nasceram querem ir pra fora pra passar o resto da vida na mediocridade...que papo mais bostileiro huezento do caralho....eu ODEIO HuEBR.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Chris Kyle - 23-01-2018

De todo mundo que conheço pessoalmente que fez imigração por conta (teve 2 que foram garçons em cruzeiro, 1 que foi pintor/pedreiro na Nova Zelândia e 1 que foi garçom na Irlanda) a única reclamação deles foi da saudade da família e de ser mais puxado que o Brasil...fora isso, se pudessem levar todos os parentes para fora, tacariam o foda-se no Brasil sem nem pensar...até tem uma conhecida minha que teve o neto que foi para a Espanha e de lá ele se estabilizou e foi trazendo 1 por 1 da família...isso faz uns 12 anos, não sei como estão hoje em dia...

Arrependimento? Muito difícil...qualquer um que já foi para qualquer país de primeiro mundo não pensa em "nossa, que saudade do Brasil" e sim "PQP, como é que ainda moro no Brasil?"

Eu tenho vontade de largar tudo um dia e vazar para ser motorista de caminhão carreta nos EUA/Canadá, mas não é tão fácil quanto parece...tem que ir para lá, ter carteira de motorista por 2 anos, depois tirar de caminhão e assim por diante...quanto eu tiver uns 300k sobrando na conta, faço sem nem pensar...

Intercâmbio já é outra coisa, aí é mais pra estudo e aprender a língua...


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Ripper - 23-01-2018

É fácil ser patriota quando se tem um cargo foda e vive confortavelmente. Olha a situação desse país. Quase 70k homicídios por ano, caminhando pra vala comunista, um total inferno e só piora a cada dia! Sinceramente, entre ser pobre aqui ou ser pobre nos EUA ou Europa, fico com a segunda opção. Se for coisa de HueBR, que seja.

Pessoalmente, me vejo caindo fora depois de me aposentar e alcançar a IR. Levando quem eu puder junto.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Dank - 24-01-2018

Bom, deixo tentar responder algumas perguntas:

Eu tenho alguns vistos, fiz um mochilao aqui na América do sul.

Me viro bem no inglês, fiz algumas conferências e me dei bem com as pessoas que conheci que falavam inglês somente.

O meu propósito seria principalmente um sabatico. Eu ando cheio de trampar aqui, queria ter mais habilidades do que eu uso no meu trabalho.


Fiquei interessado nesse curso de verão que seu irmão fez Thanatos, pode me dar umas dicas.


O ponto principal acho é que tem que ter cautela né.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - SapoCaco - 30-03-2018

Se voce for rico vai sem medo, se for pobre toma vergonha na cara, eu conheci 2 que fizeram isso de se meter no mundao, um é filho de auditor da receita federal e o outro é filho do engenheiro que fez as usinas nucleares de angra dos reis.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Bruno Padilha - 30-03-2018

Ah, puta que pariu, essa modinha de gente com mente de adolescente que quer pagar de descoladinho postando fotos em rede social... Tem um comentário do Luiz Carlos Prates ótimo sobre essa onda de "dã muh intercâmbio", só nao estou encontrando. Se alguém encontrar, poste aí.

O brasil está uma merda? Sim.
Existem outros países muito melhores? Sim.
Mas ora porra, dentro do brasil mesmo conheço muita pessoas que vivem felizes, na medida do possível, em suas profissões, com seu network, moradia, etc. inclusive eu mesmo, não tenho nada a reclamar não.
Uma coisa é o sujeito realmente gostar da cultura de um país, conhece o idioma, a história do país, saber as diferenças entre regiões do país, saber do mercado de trabalho do local e se encaixar bem nele, assim como outras características culturais, além de ter um plano de curto, médio e longo prazo, com variáveis e margens para erros. Nesse caso, não tem nem o que ficar enrolando. De forma proporcional, é como fazer uma mudança dentro do próprio país. Aos 18 anos, eu me mudei para a nossa amada Curitiba seguindo essas premissas e foi a melhor coisa que eu poderia ter feito!

Agora, outra coisa totalmente diferente é esse brasileiro-médio que ele mesmo é culpado por estragar esse país, daí não satisfeito vai fazer merda em outros países. O mesmo vale para chicanos, pra nem falar em terroristas que ficam com mente pequena pensando em como se tornar um imigrante ilegal e dar "jeitinhos" pra ser um criminoso bonzinnho. O imbecil e mais 10 milhões de gênios diferentões fazem o mesmo. Ficam alguns meses fazendo bicos, são deportados e, com muita sorte, voltam com alguns dólares a mais.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - PODER-MASCULINO - 23-04-2018

Vale mais a pena pesquisar se sua família tem algum descendente de estrangeiro e ver se tem direito a cidadania de outro país.
Por exemplo meu avô veio da Itália, então tenho direito a cidadania italiana que abre as portas pra Europa, não vejo tópicos sobre dupla cidadania, mas muitos brasileiros tem direito a cidadania de outros países e não sabem, principalmente da Itália.

O lado bom da Dupla cidadania é que se acontece algo como na Síria, Venezuela, com o seu país atual, você tem pra onde ir em segurança, ainda mais se já tiver comprado casa no outro país.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Wild - 23-04-2018

(23-01-2018, 12:32 PM)Spectro Escreveu: Vale a pena abandonar seu país onde você atua em nível superior pra trabalhar de garçom lá fora?

Nada contra os garçons....

Mas pura que pariu em vocês, como podem pensar tão pequeno...como podem ser um monte de babacas que vêm aqui fazer perguntas cretinas... facepalm

Eh lógico que não vale a pena.
Parem de achar que é tudo sobre dinheiro. Dinheiro tem que ser consequência de se fazer oque gosta, te ter um trabalho, um sentido pra algo, uma razão de vida....vocês fazem as coisas muito cegos, despropositados, gananciosos de merda que não sabem nem lidar com dinheiro, aposto que huezeiros que são iam gastar o primeiro salário numa idiotice tipo um tênis de 600 reais.

Acordem seus merdas, a vida tem que ter propósito, ou você tem um trabalho que te preenche que te dá significado, ou você tem um emprego, que só serve pra ganhar dinheiro e te manter infeliz sem usar seus dons e capacidades.

Não é possível que vocês são tão vazios e burros desse jeito.

Ao invés de buscar a excelência profissional no país que nasceram querem ir pra fora pra passar o resto da vida na mediocridade...que papo mais bostileiro huezento do caralho....eu ODEIO HuEBR.

Cara, verdade seja dita. Em muitos lugares o cara num dito sub-emprego pode vir a ter uma vida muito tranquila. Lá fora um caixa de super mercado tem carrão na garagem, enquanto aqui engenheiro se fode pra pagar a prestação de um Paliozinho surrado. Como vou recriminar o cara que quer ter uma vida tranquila?

Já foi-se dito e é verdade: O Brasil não pra iniciantes. O cara pra subir tem que ralar muito, enfrentar a inveja e todo mundo que quer te puxar pra baixo, driblas as M$ol, tentar não se corromper, enfrentar todo o oligopólio e o estado tentando ferrar você, pagar uma caralhada de impostos e por aí vai. Sinal de que só vencem os bons? Muito pelo contrário, meu caro, muito pelo contrário.

É claro que o cara não pode ser um bosta medíocre sem aspiração na vida. Nisso eu mais que concordo com você. Te dou razão e assino embaixo. O cara também não pode ser um zé mané que gasta dinheiro viajando pra postar fotinha em rede social ou gastar com iphone e tênis de 600 reais. Isso é vergonhoso. Mas o cara tem que viajar e conhecer o mundo por experiência pessoal. Eu mesmo há uns anos venho marcando uma viajem aí pela América do Sul, graças a Real criei coragem de sair do meu reduto e quero conhecer o mundo, queira Deus que dê tudo certo.

Viajar pra juntar dinheiro, que nem muita gente faz, também acho válido. Quer um exemplo? Por falta de empregos na cidade muitos vão pra outros lugares. Aqui é comum o cara que vai trabalhar em obras Brasil a dentro e depois volta pra casa quando acaba, no geral vive de obra em obra. Esses dias mesmo vi um grande colega meu que saiu dessa vida após 4 anos e agora quer investir na cidade, montar o próprio negócio, cursar engenharia e por aí vai. O cara precisa de dinheiro pra sobreviver, pra ter condição de estudar, pra investir. Nem vou entrar nesse mérito.

O que só não vale é o cara ficar aqui na merda se o Brasil não dá a mínima pra você. Tem muito profissional e pesquisador que pode fazer muito mais e ser muito mais valorizado lá fora, então por que não deixar o cara ir, né? Não acho que ninguém tenha obrigação de ficar aqui nem deva nada a essa terra ingrata que chamam de país. O mundo aí tá aberto pra quem tem algo a oferecer.

Por outro lado quem quiser ficar e enfrentar o jogo no modo very hard, e demorar pra ver o fruto de seus esforços, também não recrimino não. Acho muito bonito quem ainda tem fé no Brasil, apesar de que dificilmente estará vivo a tempo de ver alguma mudança acontecer. É só questão do perfil do cara. Ele pode ser grande aqui dentro ou lá fora. Assim como pode ser um merda aqui ou fora do país.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Dartagnan - 24-04-2018

Isso que tão falando aí me lembrou uma pergunta oposta: "Vale a pena trabalhar por status, mesmo ganhando menos e vivendo pior?"

Isso que falaram sobre cultura de outros países se aplica muito a mim. Esses clichês clássicos que repetem sobre o que é "ser brasileiro" sempre me irritaram. Claro, tem coisas boas no Brasil?? Óbvio....quase nenhum lugar do mundo deve ter só coisa ruim (talvez os comunistas), a minha questão é se essa parte boa compensa a ruim (que tá ganhando de goleada no Brasil....quase um 7x1). Antigamente a gente ainda falava que mulher era uma das melhores coisas aqui....e como a maioria dos colegas já percebeu: Isso é a maior viagem ufanista que vendem pra gente.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Smith - 24-04-2018

(23-01-2018, 01:00 PM)Ripper Escreveu: É fácil ser patriota quando se tem um cargo foda e vive confortavelmente. Olha a situação desse país. Quase 70k homicídios por ano, caminhando pra vala comunista, um total inferno e só piora a cada dia! Sinceramente, entre ser pobre aqui ou ser pobre nos EUA ou Europa, fico com a segunda opção. Se for coisa de HueBR, que seja.

Pessoalmente, me vejo caindo fora depois de me aposentar e alcançar a IR. Levando quem eu puder junto.

Bicho, eu trabalho desde meus 15 anos, sempre dei duro. Nunca pude fazer faculdade porque nunca tive como bancar e em partes por não sentir tesão em curso superior também, ainda mais no Brasil onde as universidades estão lotadas de gente analfabeta e idiota. Daí sempre trabalhei pra ter minhas coisas, saí de casa aos 19 por causa de emprego, morei em duas cidades, na primeira cidade só trabalhava pra saber como era trabalhar, pois o que ganhava não dava nem pra comprar um pacote de Doritos, meu pai ainda ajudava com algumas coisas. Na segunda cidade, sofri pra caralho no começo, trabalhando igual burro, muitas horas no dia, morando em um barraco fudido, até as coisas terem melhorado com o tempo, salário melhorou, moradia e qualidade de vida melhoraram um pouco, mas era só o suficiente pra eu ter uma vida básica, sem nada de mais. Daí veio a crise e fodeu com tudo. Tive que voltar a morar com meus pais, felizmente consegui trabalho, e voltei a ralar feito doido, pelo menos agora eu trabalho pra ganhar algum dinheiro e não só pra sobreviver.

Se eu morasse num Estados Unidos, por exemplo, trabalhando todas as horas que já trabalhei aqui no Brasil, esforçando o tanto que já esforcei até hoje, com toda a certeza do mundo que eu já teria uma ótima casa própria, um carro bacana, a geladeira cheia todo dia, poderia comprar as coisas pra mim como roupas, perfumes, etc, teria mais condições de lazer, poderia até ter dois ou três filhos que sei que seria capaz de dá-los uma condição de vida, e tudo mais.

Doutrina, Spectro, Nando Moura são caras com uma realidade de vida diferente de 95% do resto dos brasileiros, nasceram em berço de ouro, tiveram como se formar em suas respectivas profissões, nunca passaram fome, nunca souberam o que é ralar o mês só pra poder pagar uma merda de aluguel ou qualquer outra dívida idiota, nunca moraram em barraco, estão em posições socio-econômicas favoráveis, daí fica mais confortável falar em "luta pelo Brasil" ou "trabalhar no que gosta". Esse lance de "trabalhar no que gosta" é relativo, tem boas profissões que não são valorizadas no Brasil. Eu gosto de desenhar. Desenhista no Brasil não tem a mesma valorização que nos EUA. Então pra que vou tentar a profissão aqui? Vou passar fome só pra fazer o que gosto? O problema não está em buscar dinheiro, o problema está em fugir do socialismo. O socialismo é justo aquele que mina o sonho do cara ganhar dinheiro fazendo "aquilo que gosta". Nos Estados Unidos QUALQUER MERDA que vc faz dá dinheiro, e isso inclui o que vc gosta. 

Esses dias topei com um conhecido meu que é empresário, perguntei como anda o negócio, e o cara numa expressão desanimada do cacete disse que está numa luta do cão pra continuar tocando o barco. Culpa de quem? Da merda do sistema no qual ele está inserido, onde tudo é para o Estado e só migalhas para você.

O Brasil é um país que NÃO TEM solução pro cara que quer só levar uma vida simples, ter uma casa, um carro, dois filhos, e poder passear numa boa sem temer ser assaltado, estuprado, assassinado, visitar uns lugares diferentes nos finais de semana, nas férias, e quem sabe até abrir um negócio numa boa, tipo um barzinho de garagem, sem ter que virem encher o saco dele por causa de merda de imposto. Tomar no cu, até criança americana abre negócio nos Estados Unidos, só ver aquelas barraquinhas de limonada por exemplo, aqui se o cara vende um CHURRASQUINHO na rua já tem Anvisa, já tem prefeitura pra vetar, já tem o DIABO. Em Belo Horizonte mesmo é proibido por lei municipal vender churrasquinho na rua.

Só acha jeito de viver nesse inferno quem nasceu em berço de ouro e vive em uma realidade paralela mesmo.

O correto é receber à altura do seu esforço, na própria Bíblia existem vários relatos de homens trabalhadores e ricos. No socialismo, todo mundo é trabalhador porém não recebem nada em troca, só a sobrevivência mesmo. É quase a mesma coisa que escravidão. Como disse, a questão não é dinheiro, a questão é moral. É viver com dignidade. Sem a moral, nem o próprio capitalismo funciona.


RE: Discussão - Intercâmbio - A REAL - Digons - 24-04-2018

Smith, ja tem alguma perspectiva de sair daqui?