PROPAGANDA


Responder 
 
Avaliação do Tópico:
  • 0 Votos - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
John Romano Offline
General das Legiões do Leste
*****

Respostas: 4,309
Registrado em: Oct 2011
Resposta: #1
Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
Mensagem original do usuário Truman


Arthur Schopenhauer sobre as mulheres


Arthur Schopenhauer sobre as mulheres

Ninguém descreveu com tamanho acerto a natureza feminina quanto Arthur Schopenhauer.

A melhor parte pra mim desses textos é aquela onde ele ressalta que as mulheres são "filistéias incuráveis" (aí vai a definição do que é "filisteu" pra quem não sabe):

Citar:    A palavra filisteu, no sentido não histórico, refere-se à pessoa deficiente na cultura das Artes liberais, um oponente intolerante do boêmio, quem exibe um código moral restritivo, desapreciador das ideias artísticas.

    A partir do século XIX, na Europa, a palavra \"filisteu\" passou a designar pessoas de comportamento acovardado, que têm ojeriza por questões políticas maiores, não valorizam a arte, a beleza ou o conteúdo intelectual e satisfazem-se com o cotidiano da vida privada pacata e confortável. O filisteu não seria adepto de ideais, mas apenas de propostas práticas passíveis de serem contabilizadas em melhorias para sua vida privada imediata. \"Filisteu da cultura\" é um conceito criado pela intelligentsia alemã do séc. XIX e recebeu análise filosófica de Nietzche em Primeira Consideração Intempestiva.

Ou ainda (do Wikipedia em inglês):

Citar:    Filistinismo é uma expressão depreciativa usada para descrever uma atitude particular ou conjunto de valores. Uma pessoa chamada de filistéia (de maneira relevante) é apontada como alguém que despreza ou desvaloriza a arte, beleza, os conteúdos intelectuais, ou valores espirituais. Filisteus também são tidos como materialistas, e favorecem valores sociais convencionais sem pensar, assim como formas de arte que tem um fácil e baixo apelo (por exemplo: kitsch *)

    * Termo de origem alemã usado para categorizar objetos de valor estético distorcidos e/ou exagerados, que são considerados inferiores à sua cópia existente. São freqüentemente associados à predileção do gosto mediano e pela pretensão de, fazendo uso de estereótipos e chavões que não são autênticos, tomar para si valores de uma tradição cultural privilegiada.

Seguem os textos:


Citar:    Nem pela música, ou poesia, ou artes plásticas, as mulheres não têm qualquer sentimento real ou receptividade; o que há nelas é pura macaqueação, puro pretexto, pura afetação explorada pelo desejo de agradarem.

    Isto vem do fato de que as mesmas são incapazes de ter um interesse puramente objetivo seja pelo que for, e o motivo para isto é, creio eu, o seguinte:

    O homem se esforça, em todas as coisas, para dominar diretamente: ou pela inteligência ou pela força.

    A mulher, pelo contrário, sempre se vê em toda a parte relegada a um domínio absolutamente indireto, que é conseguido através do homem, sendo este consequentemente a única coisa que ela precisa dominar diretamente.

    Aí reside a natureza da mulher que a leva a procurar em todas as coisas um meio de conquistar o homem, e o interesse que parece tomar pelas coisas exteriores é sempre um fingimento, um subterfúgio, isto é, pura garridice e pura macaqueação.

    Disse-o Rousseau: \"As mulheres, em geral, não apreciam arte alguma, não entendem nenhuma e não têm nenhum talento.\"

    Aqueles que não se detêm nas aparências já certamente o notaram. Basta observar, por exemplo, o que as ocupa e lhes atrai a atenção num concerto, na ópera ou na comédia, notar a sem-cerimônia com que, nas mais belas passagens das maiores obras-primas, continuam a sua tagarelice.

    Se é verdade que os gregos não admitiam as mulheres nos espetáculos, tinham muita razão; nos seus teatros podia-se, pelo menos, ouvir alguma coisa.

    (...)

    Mas nada de diferente pode ser esperado por parte das mulheres se refletirmos que a mais eminente deste sexo nunca produziu nada nas belas artes que fosse realmente digno de nota, genuíno e original, ou dado ao mundo qualquer tipo de obra de permanente valor.

    Isto é surpreendente com relação à pintura, onde elas são tão aptas como nós para aprender o lado técnico, e cultivam assiduamente esta arte, entretanto, sem se poderem honrar de uma única obra-prima, pela simples razão que lhes falta justamente essa objetividade de espírito que é precisamente o que se faz tão necessário diretamente na arte da pintura, ou seja: elas não podem sair de si mesmas.

    Elas sempre se concentram naquilo que é subjetivo. Por esta razão, mulheres comuns não tem qualquer sensibilidade para a pintura: porque a natureza não dá saltos (Natura non facit saltum).

    Huarte, na sua célebre obra Examen de ingenios para las ciencias, que data de trezentos anos, recusa às mulheres toda a capacidade superior.

    Exceções isoladas e parciais não alteram este estado de coisas; as mulheres são, e continuarão a ser, tomadas em conjunto, as mais completas e incuráveis filistéias; e graças à nossa organização social, absurda em último grau, que as faz partilhar a posição e título dos seus esposos, elas são um estímulo constante para suas ambições desonradas.

    E ademais, é por elas serem filistéias que a sociedade moderna, à qual impõem seu tom e influenciam, se tornou corrupta.

    Quanto às suas posições, dever-se-ia tomar como regra esta sentença de Napoleão I: 'As mulheres não têm categoria'. Chamfort diz também com muito acerto: 'São feitas para negociarem com as nossas fraquezas, com a nossa loucura, mas não com a nossa razão. Há entre elas e os homens simpatias de epiderme, e muito poucas simpatias de espírito, de alma e de caráter'.

    As mulheres são o sexus sequior, o segundo sexo em todos os aspectos, por isso suas fraquezas devem ser poupadas, mas tratar mulheres com extrema reverência é ridículo, e nos rebaixa diante dos seus próprios olhos. Quando a natureza dividiu a raça humana em duas partes, ela não cortou exatamente ao meio!

    A diferença entre os pólos positivos e negativos, de acordo com a polaridade, não é meramente qualitativa mas também quantitativa. Foi certamente o que sempre pensaram os antigos e os povos do Oriente; compreendiam melhor o papel que convém às mulheres, do que nós fazemos com nossa galantaria à antiga moda francesa e a nossa estúpida veneração, que é na verdade a mais completa expansão da tolice germano-cristã.

    Essas idéias só serviram para as tornar arrogantes e impertinentes, à uma extensão que por vezes me fazem pensar dos macacos sagrados de Benarès, que têm tanta consciência da sua dignidade sacrossanta e da sua inviolabilidade, que julgam que tudo lhes é permitido.

    (...)

    O que torna as mulheres particularmente aptas para cuidar, para dirigir a nossa primeira infância, é o fato delas mesmas se conservarem pueris, frívolas e de inteligência acanhada; conservam-se toda a vida umas crianças grandes, uma espécie de estágio intermediário entre a criança e o homem. Observe uma jovem brincando um dia inteiro com uma criança, dançando e cantando com ela, e imagine-se o que um homem com a melhor das vontades, poderia fazer em seu lugar.

    (...)

    O defeito fundamental do caráter feminino é uma carência de senso de justiça.

    Ele se origina em primeiro lugar na falta de racionalidade e de reflexão, mas sustenta-se também no fato de que, na qualidade de sexo frágil, elas foram dirigidas pela natureza não para a força, mas para a astúcia: é daí que provém a sagacidade própria de seu instinto e sua incontida propensão às mentiras: assim como a natureza equipou os leões com garras e dentes, os elefantes com presas, os javalis com colmilhos, os touros com chifres e a sépia com a tinta que turva a água, também proveu a mulher com a arte da dissimulação, para sua proteção e defesa; e toda a força que ela conferiu ao homem na forma de vigor físico e razão, consagrou à mulher na forma desse dom.

    A dissimulação é inata na mulher, tanto na mais esperta como na mais tola. É lhe tão natural usá-la em todas as ocasiões como a um animal atacado defender-se rapidamente com as suas armas naturais; e, procedendo assim, sentem que até certo ponto estão apenas exercendo os próprios direitos, o que torna talvez impossível encontrar uma mulher absolutamente verdadeira e sincera.

    Exatamente por isso elas percebem facilmente a dissimulação alheia, de forma que não é aconselhável tentar usá-la perante elas.

    Desse defeito fundamental e das suas conseqüências nascem a falsidade, a infidelidade, a traição, a ingratidão, etc. Também as mulheres juram falso perante a justiça bem mais frequentemente que os homens.

    É questionável se elas deveriam ser admitidas a prestar juramentos.

Fontes:
http://www.heretical.com/miscella/onwomen.html
http://www.theabsolute.net/misogyny/onwomen.html

Livro: "Ensaio Acerca das Mulheres"

Nota: Esses links contém mais textos em inglês, mas eu resolvi citar só as partes relevantes.

Liberta-te de todas as fantasias. Deixa de ser uma marionete da paixão.
Aprende a reconhecer cada experiência pelo que ela é, quer seja tua ou de outrem.
Divide e classifica os objetos dos sentidos em causa e matéria.
Deixa o comportamento incorreto do teu vizinho com ele mesmo, que foi quem o iniciou.


Meditações, do Imperador Marcus Aurelius. Livro VII, v. 29. Séc II d.C.
07-10-2011 02:10 PM
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
John Romano Offline
General das Legiões do Leste
*****

Respostas: 4,309
Registrado em: Oct 2011
Resposta: #2
Re:Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
Acréscimo ao tópico, postado pelo usuário Truman


Vou aproveitar pra colocar algumas citações interessantes sobre tudo que foi apontado no tópico que eu encontrei. Acho que com elas agora fica bem claro que não tem essa de ter "atributos" corretos e o porquê das mulheres terem uma "predileção" pela escória e esgoto da sociedade. Não é que esses homens despertam maior atração nas mulheres, é ingenuidade sua acreditar nisso, em manuais de sedução e outras porcarias que existem por aí.

As mulheres não valorizam nem elas próprias, elas vêem todos os homens como um meio, não um fim (por que você acha que elas dão um valor desmedido à própria beleza? Os casamentos? O status?) e, claro, não gostam de sexo (a maioria tem libido baixa, e o homem sempre tem desejo sexual bem maior).

Essa da mulher "sentar e esperar" talvez venha do fato que elas podem ser "passivas" pra reprodução (tanto faz se tem orgasmo, libido alta, etc.) enquanto o homem precisa ser ativo. Aliás, o homem nunca deixou de ser, é o único que se interessa realmente por tudo que está à sua volta (enquanto a mulher só faz isso na qualidade de débil mental e eterna insatisfeita), e como o Dick Masterson bem frisou, "cada tijolo que a gente vê está lá porque um homem o colocou".
Citar:    Mulher nenhuma se interessa por nada realmente, nenhuma jamais irá se aprofundar em algo de qualquer espécie. Elas dizem que gostam porque são POSERS. Toda mulher se gosta de algo tem que espalhar isso em todo lugar pra dar um ar de intelectual.

    Nada que os homens se interessam tem valia pra elas, pois só usam tudo como um meio (artifício) pra atrair os bobalhões fazendo seus joguinhos mentais.

    Mulher-exceção é um mito, ilusão. Achar que porque a mulher gosta das mesmas coisas (que geralmente homens gostam), tipo rock, metal, blues, RPG, jogos de computador, programas, coisas de nerds, viajar, surfar, eruditismo, etc. ela seria uma exceção à todas as outras de cabeça oca.

    Toda regra tem sua exceção.

    Verdade.

    Mas isso não é válido para as mulheres. Mulher-exceção não existe. E se você encontra uma que tem os mesmos gostos que você, não a leve em consideração por isso.

    O fato de ela gostar de coisas da \"classe média branca\" não a impede de ser uma vagabunda. A cultura não muda o comportamento da mulher. Somente o patriarcado pode mudar a mulher, e na ausência da estrutura patriarcal elas serão sempre vadias, sem exceção.

    A maioria só está nesses meios \"cults\" apenas pra exercerem sua vadiagem sem serem tachadas de vadias.

    Nesse ponto elas são piores do que aquelas que são vadias em meios de baixo-nível, como patricinhas do funk ou faveladas que frequentam forrós. Estas últimas todos sabem que são vadias e não enganam ninguém com sua vadiagem.

    Já a vadia intelectual fica posando de \"esclarecida\", com seu cigarrinho na mão, bebendo sua cerveja num boteco de esquina com os amigos. Sempre cercada de homens e amiga de todo mundo. Os caras acham que ela é exceção à regra. Não é.

    Segundo as feministas, a mulher que exerce sua \"sexualidade\" é a mulher que dá pra muitos homens, e que lugar melhor pra encontrar homens do que nestes meios mais intelectuais?

  Elas não entram nesses meios pra se especializarem no assunto e curtirem aquilo pra valer. Isso é coisa que só homem faz.

    Elas só entram nestes meios com essa finalidade, visando a procura de músicos, editores, ou outros caras destacados em tais meios. Se você encontrar uma mulher que gosta das mesmas coisas que você, faça um teste - tente minar o assunto discutido, e comece a olhá-la como um pedaço de carne. Isso irá desarmá-la na hora.


Citar:    As mulheres diferentes morreram no passado (\"bruxas, prostitutas, possuidas, filhas do capeta etc\") e as que sobreviveram são muito parecidas e aprendem que se se comportarem de uma forma diferente serão \"sacrificadas\". So que elas tem um instinto de sobrevivencia muito forte, porque enquanto os homens sobreviviam na base da porrada (ou seja, mata o cara e toma uma cerveja com os amigos que sobreviveram) elas tiveram que sobreviver manipulando, roubando, mentindo, enganando, fazendo intrigas, se prostituindo etc. Isso porque muitas vezes elas compartilhavam um homem (poligamia) e tinham que competir pela atenção dele sem quebrar as regras, ou seja, fazendo intrigas, mentindo etc.

    Uma empresa é uma representação de um relacionamento poligâmico: as mulheres se odeiam porque estão competindo pela atenção.

Esse aqui comenta sobre a masturbação mas também fala dessa mediocridade inerente à personalidade das mulheres:

   
Citar:Chegaram a indicar que só viver exclusivamente de punheta é coisa de fracassado. Eu discordo. E vou mais além, tem homens que conseguem viver sem mulher e sem masturbação: são os ascetas, monges, etc, e eles não são vistos assim.

    A questão a ser perguntada sempre é: fracassado perante quem? Perante a si mesmo ou aos outros? Não há razão pra se ver assim, pelo contrário, e sim como alguém que quebrou muitas correntes impostas pelo meio externo. Os outros, a verdade é que nada importa a opinião deles. Até a opinião dos familiares não deveria importar mais.

    Aonde quero chegar?

    O que existe é uma indústria de carreiras, que vende cursos, apostilas e esperanças à todos, e depende muito da mulher pra ter lucro. Ora, alguém segue carreira justamente pra poder comprar um carrão, roupas caras, perfumes importados, comer o maior numero possível de mulheres e claro, consumir, gerando lucro pras empresas.

    E pra aqueles que mesmo assim não conseguirem pegar mulher, há toda uma industria de livros de auto-ajuda para deixá-los conformados com sua posição de macho beta e assim procurarem uma pseudo-santa pra casar, assim gerando mais lucro pras empresas, gastando com enxoval, aluguel, escola para os filhos e lá pra frente com a pensão pra ex-mulher. Viram que tem país aí querendo abocanhar o salário de quem chega à uma certa idade sem filhos?

    O sistema depende de tudo isso pra existir, e pra eles a masturbação é a ameaça-mor à sociedade. Por isso todo homem que se masturba deve ser visto como um fracassado, perdedor, etc. Notem que a mulher que faz isso não é vista desta forma, pois ela é parte da máquina opressora consumista. Ela consome sapatos, bolsas, etc, e pra ela homem não é necessário. Pra esse pessoal tocar o próprio corpo é coisa de \"perdedores\". Se a mulher (que sempre tem baixa libido) faz o mesmo é considerada \"auto-suficiente\".

    Homem que toca uma é aquele que não depende o tempo todo de mulher, e não tem motivação pra investir em carreiras fodásticas, pois não pretende gastar todo seu dinheiro com a mulherada (ou com casamento e filhos). E pra esse tipo de homem eles também criaram uma indústria, a dos filmes pornográficos, mas esta é ameaçada pela internet, onde pode-se baixar os filmes de graça, e logo a internet vira a vilã da história (vejam os casos de pedofilia, onde sempre citam a internet).

   
Citar:O homem é completo sem a mulher. Temos inúmeros exemplos de ascetas que viveram anos sem sexo, e atingiram sua plenitude. Cientistas inclusive fizeram um experimento de ondas cerebrais e constataram que o homem mais feliz dos que foram analisados era um monge budista que estava há anos sem sexo, considerado desde então o \"homem mais feliz do mundo\".

    Um homem pode viver anos sem uma mulher, é questão apenas de direcionamento, coisa que a maioria não possui. No trabalho, muitos precisam interagir com a sociedade de alguma forma, aí são bombardeados todos os dias com a idéia de sexo e afeto. Da idéia de afeto o homem pode se desvencilhar (uma vez que é uma questão emocional, que pode ser satisfeita por hobbies), mas na questão do sexo será mais difícil, uma vez que estamos falando de hormônios.

    O cara pode até se masturbar pra não dar problemas com retenção de líquidos (afinal é uma necessidade biológica) mas a sociedade cobrará dele que ele tem que comer mulher, e em alguns casos até o emprego dele pode ser posto em risco por causa disso. Em tais condições, fica muito difícil ter um direcionamento ascético, o cara acaba se perdendo no meio das ocupações.

    A mulher vive através da sociedade, não por necessidade de emprego, mas por questão de status social. A mulher vive pelo social e a pela aparência, sem estes itens ela não é porra nenhuma, então ela cai em depressão por não chamar a atenção das outras mulheres, diferente do homem que pode procurar um direcionamento ascético. Pra mulher, a ascese não existe, pois a ascese* aniquila o ego, e o ego é a unica coisa que a mulher possui.

*  A ascese consiste na prática da renúncia do prazer ou mesmo a não satisfação de algumas necessidades primárias, com o fim de atingir determinados fins espirituais.

Adendo:

Que mulher construiu ou fez algo de valor em toda a história da humanidade? Os homens "inventaram" a eletricidade, curas pra doenças, deram ao mundo obras de valor permanente, pisaram na Lua, um deles criou um blog famoso aí...

E tudo o mais que vemos e temos hoje, do computador que eu uso ao chinelo que vocês tem, se fôssemos depender das mulheres pra evoluções tecnológicas e sociais estaríamos numa caverna comendo insetos, e tentando descobrir se as pedras são comestíveis ou não, como bem lembrado.

O quê, eu pergunto, as mulheres fizeram até hoje, além de sugar os recursos naturais deste planeta, lidar com nossas fraquezas e espalhar corrupção onde quer que estejam?

A maioria tem a mente fraca e é emocionalmente instável, se preocupam apenas em alimentar os próprios egos e com questões subjetivas. Precisam sempre, assim como crianças imaturas, de outros que as levem pra algum lugar (e a prostituição é o exemplo perfeito disso, já que todas tem baixíssimo desejo sexual, precisam de muito mais "estímulos" que nós - já que se não fosse assim ela não seria "necessária").

São incapazes de fazer ou conseguir as coisas porque não tem vontade própria pra nada. Quando conseguem algo tem sempre algum esquema ou farsa no meio (é o marido/pai quem fez/influenciou, foi o grupo que ajudou mas os méritos foram pra ela, etc.). Se todas as mulheres perecessem amanhã os homens inventariam uma maneira de se reproduzir!

Os homens são capazes de olhar através das coisas porque tem uma capacidade de raciocínio muito superior que a da mulher, e conceitos fáceis de serem assimilados não fogem à nossa compreensão, já as mulheres nunca se distraem com pensamentos abstratos ou firmam suas idéias em nada, nunca olham pra um quadro por ex. e enxergam algo que não esteja lá, só ligam pra detalhes como o cheiro da pintura ou o tamanho dele.

A única habilidade que as mulheres tem é em mentir (inclusive pra elas mesmas), bancando as vítimas, agindo de maneira dissimulada. Isso aí é tão natural pra elas quanto respirar.

Todas são nada mais nada menos que vampiras (e tanto são vampiras, que competem entre si, não há honra alguma entre elas, todas são inimigas naturais), superficiais, desculpas patéticas pra seres humanos.

Vejam como são as "leis" criadas dentro de uma sociedade onde mulheres são mais "veneradas" e corrompem tudo: direitos absolutos (como no caso da juíza que baniu um cidadão que brigou com a irmã do município, da guarda dos filhos, pensão), etc.

Liberta-te de todas as fantasias. Deixa de ser uma marionete da paixão.
Aprende a reconhecer cada experiência pelo que ela é, quer seja tua ou de outrem.
Divide e classifica os objetos dos sentidos em causa e matéria.
Deixa o comportamento incorreto do teu vizinho com ele mesmo, que foi quem o iniciou.


Meditações, do Imperador Marcus Aurelius. Livro VII, v. 29. Séc II d.C.
07-10-2011 02:22 PM
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
Mandrake Offline
Coach
***

Respostas: 5,067
Registrado em: Oct 2011
Resposta: #3
Re:Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
Boa Johnes !!


SUMÁRIO - PSICOLOGIA

Como lidar com as mulheres?! Clique aqui e aqui.

Integrado na Real desde Julho de 2009.

Somos Legião.


07-10-2011 10:26 PM
Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
barãozin Offline
L'Forum c'est moi
*****

Respostas: 7,045
Registrado em: Oct 2011
Resposta: #4
Re:Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
Para quem quiser baixar:

http://www.4shared.com/document/WCKXMdS2...AIO_A.html

O estado atual de degradação moral, de desintegração social e de podridão cultural é precisamente o resultado de uma tolerância demasiada e, acima de tudo, errônea e equivocada. Ao invés de todos os habituais democratas, comunistas e adeptos de estilos de vida alternativos serem rapidamente isolados, excluídos e expulsos da civilização (de acordo com os princípios dos contratos), eles são tolerados pela sociedade.

Hans-Hermann Hoppe, Democracy: The God That Failed

Não pode haver tolerância para com as feminazis e os cavaleiros brancos em uma ordem social da Real. Eles deverão ser fisicamente separados e removidos do fórum, por assim dizer.

Barão-Hermann Hoppe, Democracy is my dick
07-10-2011 11:52 PM
Visitar o website do usuário Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
Simple Man Ausente
Búfalo
**

Respostas: 338
Registrado em: Feb 2013
Resposta: #5
RE: Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
Segue link atualizado:
http://www.4shared.com/office/OMVARBUU/A...AIO_A.html

Tudo é vaidade.
Clique no texto em azul e saberá mais.
15-03-2013 04:55 PM
Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
Bonaparte Offline
Self Made Man
**

Respostas: 90
Registrado em: Apr 2016
Resposta: #6
RE: Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
O livro é bom...

Mas a maioria das coisa já é do conhecimento de quem leu outros materiais da real...

Recomendo como um livro introdutório...

O homem nada mais é do que aquilo que ele faz de si mesmO
09-01-2017 10:53 AM
Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
Maldonado Offline
Búfalo
**

Respostas: 428
Registrado em: Aug 2013
Resposta: #7
RE: Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
Hoje vejo de outra forma,muita polarização e alguma revolta.Em algumas partes coloca como elas não tivessem escolha,são vadias por falta de uma estrutura patriarcal e não por escolha,como diz no texto.Com ou sem religião,patriarcado o que for sempre existirão vadias,as mulheres de antigamente também aprontavam,são suas escolhas e não culpa nossa.
(Resposta editada pela última vez em: 09-01-2017 02:30 PM por Maldonado.)
09-01-2017 02:25 PM
Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
Golgo 13 Offline
Búfalo
**

Respostas: 269
Registrado em: Oct 2011
Resposta: #8
RE: Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
esse cara é um dos manjões da época,recomendado
11-01-2017 12:12 AM
Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
Baralho Offline
Búfalo
**

Respostas: 457
Registrado em: Jan 2016
Resposta: #9
RE: Arthur Schopenhauer sobre as mulheres
Se Provérbios tem versos que podem ser revisitados como uma proto-real, os escritos schopenhauerianos podem ser considerados a idade medieval da real, e por isso talvez, pouco difundidos nos tempos atuais por não serem comercialmente simpáticos.

Entrega o teu caminho ao Senhor. Confia Nele, e Ele o fará.
E fará sobressair Tua justiça, como a luz e ao meio-dia, o Teu juízo.
(Salmo 37:5-6)
11-01-2017 02:36 AM
Encontrar todas as respostas deste usuário Citar esta mensagem em uma resposta
Responder 


Ir ao Fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes